Coberturas Especiais

jiafu jiO anticorpo biespecífico PD-1/CTLA-4 cadonilimabe mais quimioterapia melhorou a sobrevida livre de progressão e a sobrevida global em pacientes com câncer gástrico ou de junção gastroesofágica (GEJ) não tratado, HER2-negativo, localmente avançado ou metastático, incluindo aqueles com tumores com baixa expressão de PD-L1, em comparação com a quimioterapia isolada. É o que mostram os resultados do estudo de fase III COMPASSION-15 apresentado pelo cirurgião Jiafu Ji (foto) na edição de 2024 do encontro anual da Associação Americana para Pesquisa do Câncer (AACR), realizada de 5 a 10 de abril.

ruiyi tianO envelhecimento acelerado foi mais comum nas últimas gerações, em coortes de nascimentos recentes, e foi associado ao aumento da incidência de tumores sólidos de início precoce, como indica pesquisa apresentada no AACR 2024, encontro da Associação Americana para a Pesquisa do Câncer, realizado de 5 a 10 de Abril. “Vários tipos de câncer têm se tornado cada vez mais comuns entre adultos jovens nos Estados Unidos e em todo o mundo”, disse Ruiyi Tian (foto), da Escola de Medicina da Universidade de Washington, à frente da pesquisa. “Compreender os fatores que impulsionam este aumento será fundamental para melhorar a prevenção ou detecção precoce do câncer nas gerações mais jovens e futuras”, destacou.

ian liuDos 46 medicamentos contra o câncer que receberam aprovação acelerada da Food and Drug Administration (FDA) dos EUA entre 2013-2017, 63% foram convertidos para aprovação regular, mas apenas 43% demonstraram benefício clínico em ensaios confirmatórios após mais de cinco anos de acompanhamento. Os dados são de estudo apresentado no encontro anual da Associação Americana para Pesquisa do Câncer (AACR), com publicação simultânea no JAMA. “Os pacientes devem ser claramente informados sobre os muitos medicamentos contra o câncer que utilizam a via de aprovação acelerada e acabam não mostrando benefícios”, disse Ian Liu (foto), coautor do estudo. 

Selecionado em sessão mini-oral, em apresentação de Theodoros Foukakis (foto), do Instituto Karolinska, resultados de eficácia do estudo randomizado de fase III PANTHER, após 10 anos de acompanhamento, mostram que a quimioterapia adjuvante com dose densa personalizada melhora a sobrevida livre de recorrência do câncer de mama em pacientes de alto risco na comparação com a quimioterapia adjuvante padrão contendo docetaxel de 3 semanas.

O oncologista Giuliano Santos Borges (foto), de Itajaí, está entre os pesquisadores do estudo internacional TROPION-Breast01, avaliando o conjugado anticorpo-droga datopotamab-deruxtecan (Dato-DXd) versus quimioterapia de escolha do investigador (ICC) em pacientes com câncer de mama HR+/HER2–. No ESMO Breast Cancer 2024 análises de segurança adicionais confirmam que Dato-DXd é mais tolerável que a ICC, enfatizando ainda mais o potencial de Dato-DXd como opção de tratamento na prática clínica.

No estudo NATALEE,  a adição de ribociclibe à terapia endócrina mostrou benefício significativo na sobrevida livre de doença invasiva (HR, 0,749; P unilateral = 0,0006) versus terapia endócrina isolada em homens e mulheres na pré/pós-menopausa com câncer de mama inicial HR+/HER2−. Dados atualizados de segurança foram destaque no ESMO Breast Cancer 2024, em apresentação do oncologista Carlos Barrios (foto), e confirmam que o tratamento com ribociclibe foi bem tolerado.

Análise de qualidade de vida relacionada à saúde do ensaio DESTINY-Breast04 apresentou dados comparando o tratamento de trastuzumabe deruxtecana (T-DXd) com capecitabina (CAP) em pacientes com câncer de mama metastático HR+, HER2-low. Os resultados foram selecionados para apresentação em poster no ESMO Breast Cancer 2024 e favorecem o grupo tratado com T-DXd.

O ESMO Breast Cancer 2024 selecionou para apresentação em poster os resultados do primeiro estágio do estudo prospectivo de fase II TUXEDO-2, de braço único, que avalia a atividade e segurança de datopotamab-deruxtecan (Dato-DXd) em pacientes com câncer de mama triplo negativo com metástases cerebrais ativas. A análise mostra respostas intracranianas e tolerabilidade, sugerindo que Dato-DXd pode ser uma terapia sistêmica bem-sucedida em metástases cerebrais ativas nessa população de pacientes.

Liderado pelo grupo de pesquisa francês Unicancer, o estudo internacional de Fase 2 DOLAF avalia a combinação de olaparibe, durvalumabe e fulvestranto em pacientes com câncer de mama metastático ER+, HER2-negativo e variantes patogênicas somáticas ou germinativas em genes da via de reparo de recombinação homóloga ou instabilidade de microssatélites. Os resultados foram selecionados para sessão oral no ESMO Breast 2024, em apresentação da oncologista Séverine Guiu.

Estudo de Fase IV com a versão atualizada do questionário de Qualidade de Vida em câncer de mama da European Organisation for. Research and Treatment of Cancer (EORTC) foi apresentado em sessão mini-oral no ESMO Breast 2024. “O EORTC QLQ BR42 incorpora os itens originais que permanecem relevantes, combinados com 19 novos itens que abordam os efeitos colaterais das terapias desenvolvidas nos últimos 20 anos”, afirmaram os autores.