Coberturas Especiais

haradaDados do estudo de fase 3 TROPION-Lung01 selecionados em poster no ELCC 2024 mostram que datopotamab deruxtecan (Dato-DXd) reduziu em 37% o risco relativo de progressão da doença ou morte versus docetaxel em pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas (CPCNP) avançado com histologia não escamosa previamente tratado, com 47% de sobrevida livre de progressão aos 6 meses versus 28% no braço de docetaxel. Guilherme Harada (foto), oncologista do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, comenta os resultados.

stephen liuO estudo CORRELATE buscou descrever os resultados pós-progressão e os padrões de tratamento de segunda e terceira linhas em pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas metastático após tratamento com imunoterapia em primeira linha. “Compreender os resultados de mundo real dessa população pode ajudar a identificar necessidades não atendidas e informar estratégias futuras de tratamento”, afirmaram os autores. Os resultados foram apresentados por Stephen Liu (foto) no ELCC 2024.

chee leeDados de qualidade de vida do ensaio FLAURA 2 reportados pelos próprios pacientes (PROs, de patient reported outcomes) foram selecionados em poster no ELCC 2024. A análise apresentada por Chee K. Lee (foto), da Universidade de Sydney, mostra que osimertinibe (TAGRISSO®) com ou sem quimioterapia é bem tolerado, com tendência de melhora significativa de sintomas como dispneia, dor torácica e tosse em ambos os braços.

pulmao 2020No estudo de fase 3 AEGEAN, durvalumabe perioperatório mais quimioterapia (QT) neoadjuvante melhorou significativamente a sobrevida livre de eventos e a resposta patológica completa versus QT neoadjuvante isoladamente em pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas (CPCNP) ressecável, com um perfil de segurança gerenciável. No ELCC 2024, apresentação de Laszlo Urban atualizou os resultados de segurança do estudo AEGEAN, com seguimento adicional de aproximadamente 9 meses.

pulmao 2020 bxEstudo selecionado para apresentação em pôster no ELCC 2024 buscou analisar as características de indivíduos nunca fumantes com diagnóstico de câncer de pulmão de células pequenas. “O câncer de pulmão de células pequenas (CPCP) é responsável por 15% de todos os tumores de pulmão e é o mais agressivo, e evidência disponível para CPCP em pessoas que nunca fumaram é escassa”, afirmaram os autores.

andrea filippiAndrea Riccardo Filippi (foto), Diretor de Radioterapia da Fundação IRCCS Policlinico San Matteo, Itália, apresentou no ELCC 2024 a análise preliminar de segurança do estudo de fase 2 DEDALUS, que avalia quimioimunoterapia de indução seguida de radioterapia hipofracionada (RT) desintensificada mais durvalumabe, seguida de manutenção com durvalumabe em pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas (CPCNP) irressecável em estágio III, considerados não elegíveis para quimiorradioterapia concomitante. Os resultados apoiam a sequência experimental e indicam a viabilidade e tolerabilidade do estudo DEDALUS.

pacienteNo EMPOWER-Lung 3 Parte 1, pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas (CPCNP) avançado e PD-L1 < 50% foram randomizados para 3 braços de tratamento: Quimioterapia (QT), cemiplimabe (CEMI) + QT ou CEMI + ipilimumabe (IPI) + QT. Os resultados clínicos para CEMI + IPI + QT versus QT (incluindo SG [HR: 0,615 (IC 95%, 0,441–0,857)]) foram relatados anteriormente. No ELCC 2024 foram relatados os resultados relatados pelos pacientes (PROs).

william william 400x225No estudo de Fase 3 FLAURA2 o tratamento de primeira linha com osimertinibe + quimioterapia com pemetrexede e platina (QTx) melhorou significativamente a sobrevida livre de progressão versus osimertinibe isolado em pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas (CPCNP) avançado com mutação do EGFR (HR 0,62; p<0,001). No ELCC 2024, resultados pós-progressão mostram tendência em direção ao benefício de sobrevida global, demonstrando que osimertinibe + QTx como primeira linha fornece benefício clínico além da progressão inicial. O oncologista William William (foto) comenta os resultados.

pulmao 2020 3 bxO estudo RATIONALE-315 avaliou a eficácia e segurança da adição de tislelizumab perioperatório ou placebo à quimioterapia (QT) neoadjuvante em pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas (CPCNP) ressecável. No ELCC 2024 foram apresentados os principais resultados de cirurgia, demonstrando que a adição de tislelizumab à QT neoadjuvante foi acompanhado por melhora estatisticamente significativa na resposta patológica maior (MPR) e na taxa de resposta patológica completa, com segurança gerenciável.