01082021Dom
AtualizadoDom, 01 Ago 2021 10pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Cemiplimabe mostra resultados de eficácia e segurança em pacientes imunossuprimidos

guilherme rabinowits bxGuilherme Rabinowits (foto), do Miami Cancer Institute, apresentou no ASCO 2021 resultados de segurança e eficácia da coorte inicial de pacientes imunossuprimidos e / ou imunocomprometidos com carcinoma de células escamosas cutâneo (CSCC) avançado inscritos no estudo C.A.S.E. (CemiplimAb-rwlc Survivorship and Epidemiology).


Cemiplimabe apresenta análise de qualidade de vida em paciente com carcinoma basocelular localmente avançado

alexander stratigos bxCemiplimab-rwlc é a primeira imunoterapia a receber aprovação nos EUA para pacientes com carcinoma basocelular avançado (laBCC) e aprovação acelerada para carcinoma basocelular, pós-inibidores de hedgehog ou para pacientes que não são elegíveis a inibidores-hedgehog. “Cemiplimab resultou em atividade antitumoral clinicamente significativa em pacientes com laBCC que progrediram ou eram intolerantes à terapia com inibidor de hedgehog. Esta análise avaliou a qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) nesses pacientes”, descrevem os autores, que atualizaram os resultados no encontro anual da ASCO 2021, em apresentação de Alexander J. Stratigos (foto), da Universidade de Atenas.

KEYNOTE-426: resultados de longo prazo no carcinoma renal de células claras avançado

Sergio Azevedo NET OK 2Selecionada para apresentação oral no ASCO 2021, análise final do estudo de fase III KEYNOTE-426, com mediana de acompanhamento de 42,8 meses, confirmou a eficácia e segurança da combinação de pembrolizumabe e axitinibe em comparação com sunitinibe como tratamento de primeira linha do carcinoma de células claras renais avançado (ccRCC). O oncologista Sergio Azevedo (foto), Professor da Faculdade de Medicina da UFRGS e Chefe do Serviço de Oncologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), é coautor do trabalho.

ctDNA e sobrevida de pacientes tratados com imunoterapia em estudos de fase inicial

Vladimir foto bxO oncologista Vladimir Galvão (foto), pesquisador do Early Clinical Drug Development Group no Instituto de Oncologia do Hospital Vall d’Hebron, é primeiro autor de pôster selecionado para o ASCO 2021 que avaliou o valor prognóstico e preditivo da quantificação do DNA tumoral circulante (ctDNA) em pacientes tratados com inibidores de checkpoint imune em ensaios clínicos de fase inicial.

Câncer e COVID-19 – impacto em profissionais da oncologia e na assistência ao paciente

casal bergerot 2021Os brasileiros Cristiane Decat Bergerot (psicóloga) e Paulo Gustavo Bergerot (oncologista), do Centro de Câncer de Brasília (CETTRO), são coautores sênior de dois estudos selecionados para o programa científico do ASCO 2021, fruto de uma parceria de colaboração científica internacional com o grupo DumaLab.

FIRE 4.5 mostra resultados no câncer colorretal metastático com mutação BRAF V600E

rachel riechelmann 2021 bxSelecionado no programa do ASCO 2021, o estudo FIRE-4.5 (AIO KRK-0116) comparou FOLFOXIRI mais cetuximabe ou bevacizumabe em pacientes com câncer colorretal metastático com mutação BRAF V600E (mCRC) sem tratamento prévio para doença metastática. Quem comenta é a oncologista Rachel Riechelmann (foto), diretora do Departamento de Oncologia do A.C. Camargo Cancer Center e presidente do Grupo Brasileiro de Tumores Gastrointestinais (GTG).

ECOG-ACRIN: Platina vs capecitabina no câncer de mama triplo negativo subtipo basal

ingrid mayer bxA médica e pesquisadora brasileira Ingrid Mayer (foto), do Vanderbilt-Ingram Cancer Center, é primeira autora de estudo do grupo cooperativo ECOG/ACRIN apresentado no ASCO 2021 e com publicação simultânea no Journal of Clinical Oncology (JCO). Destacado em sessão oral, o estudo mostra que agentes de platina não melhoram a sobrevida livre de doença em pacientes com câncer de mama triplo-negativo (TNBC) do subtipo basal pós-quimioterapia neoadjuvante, e estão associados a maior toxicidade quando comparados com capecitabina.

Futuro do desenho de estudos clínicos

roberto pestana bxArtigo publicado no Educational Book da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO) analisa as inovações recentes no desenho de estudos de fase I sob a perspectiva das várias partes interessadas, fornecendo recomendações para futuros ensaios. O oncologista Roberto Pestana (foto), do Hospital Israelita Albert Einstein e ex-fellow no MD Anderson Cancer Center, é coautor do trabalho.

CheckMate 649: nivolumabe mais quimioterapia em tumores gastrointestinais do trato alto

arinilda 2021 bxO estudo randomizado de fase III CheckMate 649 demonstrou sobrevida global superior da combinação de nivolumabe e quimioterapia na primeira linha de tratamento de pacientes com câncer gástrico, de junção gastroesofágica e adenocarcinoma esofágico avançado, com benefício de sobrevida livre de progressão e perfil de segurança aceitável em pacientes cujos tumores expressam PD-L1 CPS ≥ 5 e ≥ 1, e em todos os pacientes randomizados (Moehler et al. Ann Oncol 2020). No ASCO 2021, foram apresentados em Sessão Oral dados adicionais para todos os pacientes randomizados. "Os resultados do nosso estudo mudaram o padrão de tratamento de primeira linha do câncer gástrico metastático, que durante muitos anos foi quimioterapia isolada", afirma a oncologista Arinilda Campos Bragagnoli (foto), médica do Hospital de Câncer de Barretos e coautora do trabalho publicado simultaneamente no The Lancet.

Brasileira recebe o Global Oncology Young Investigator Awards 2021

cristiane bergerot oficial bxA psico-oncologista Cristiane Bergerot (foto), do Centro de Câncer de Brasília (CETTRO), recebeu o Global Oncology Young Investigator Awards 2021 (GO YIA), oferecido pela Conquer Cancer Foundation. A premiação é dada a especialistas em início de carreira como pesquisadores independentes com projetos de pesquisa que tenham reconhecido impacto para diminuir a carga global do câncer. A premiação aconteceu durante a ASCO 2021, realizada em formato virtual.

ARCHES: eficácia de enzalutamida no câncer de próstata metastático hormônio sensível

Prostata 2018 2 NET OKA adição de enzalutamida (ENZA) à terapia de privação androgênica (ADT, da sigla em inglês) reduziu o risco de progressão radiográfica em pacientes com câncer de próstata metastático hormônio sensível (mHSPC). Agora, novos dados de análise post hoc apresentada no ASCO 2021 demonstram que ENZA + ADT proporciona benefício clínico em pacientes com metástases ósseas, independentemente da carga da doença óssea, apoiando a utilidade de ENZA nessa população de pacientes.


Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519