27112021Sáb
AtualizadoSex, 26 Nov 2021 9pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

EMPOWER-Lung 1: cemiplimabe mostra benefício em pacientes com metástases cerebrais do câncer de pulmão

mauro zukin asco19No estudo de Fase III, EMPOWER-Lung 1, a monoterapia com cemiplimabe proporcionou benefício de sobrevida significativo e um perfil de segurança aceitável em relação à quimioterapia em pacientes com câncer de pulmão não pequenas células avançado (CPNPC) e expressão de PD-L1 ≥ 50%. O estudo incluiu pacientes com metástases cerebrais no baseline, uma população geralmente subrepresentada em ensaios clínicos. No ASCO  2021, análise de subgrupo mostra que a monoterapia com cemiplimabe melhorou a sobrevida global, sobrevida livre de progressão e taxa de resposta nessa população de pacientes em comparação com quimioterapia. O oncologista Mauro Zukin (foto), médico da Oncologia D’Or e membro Diretor do GBOT, comenta os resultados.


OlympiA: inibidor de PARP adjuvante no câncer de mama precoce BRCA-mutado

azambuja ok bxDestacado como Late Breaking Abstract 1 no ASCO 2021, o estudo OlympiA mostrou que a adição de 1 ano do inibidor de PARP olaparibe após a conclusão da quimioterapia (neo)-adjuvante padrão, cirurgia e radioterapia (se necessário) melhorou significativamente a sobrevida livre de doença invasiva (IDFS) e a sobrevida livre de doença à distância (DDFS) em pacientes com câncer de mama HER2-negativo em estágio inicial com mutações germinativas BRCA1 e BRCA2 e alto risco de recorrência. “Os resultados de sobrevida (IDFS e DDFS) são practice changing nessa população de pacientes com alto risco de recidiva”, avalia Evandro de Azambuja (foto), oncologista do Instituto Jules Bordet, na Bélgica, e coautor do estudo, que teve publicação simultânea na New England Journal of Medicine.

JUPITER-02: imunoterapia no tratamento de primeira linha do carcinoma de nasofaringe avançado

Aline Chaves NET OKSelecionado para apresentação em Sessão Plenária do ASCO 2021, o estudo JUPITER-021 (LBA2) demonstrou que a adição da imunoterapia toripalimab à quimioterapia padrão na primeira linha de tratamento do carcinoma nasofaríngeo recorrente ou metastático prolongou a sobrevida livre de progressão em comparação com placebo, com uma mediana de 11,7 vs 8 meses, respectivamente. A oncologista Aline Lauda Chaves (foto), presidente do Grupo Brasileiro de Câncer de Cabeça e Pescoço (GBCP) e médica da DOM Oncologia, comenta os resultados.

Quimioterapia adjuvante não oferece benefício de sobrevida para pacientes com câncer cervical localmente avançado

angelica 21 1 bxA quimioterapia adjuvante administrada após o tratamento padrão de quimiorradioterapia não melhora a sobrevida de mulheres com câncer cervical localmente avançado e está associada a efeitos colaterais adicionais. É o que mostram os resultados de ensaio internacional de Fase III destacado no encontro anual da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO), com dados que mudam a prática clínica. A oncologista Angélica Nogueira-Rodrigues (foto), pesquisadora da UFMG e presidente do Grupo Brasileiro de Tumores Ginecológicos (EVA/GBTG), comenta os resultados.

Pembrolizumabe é nova opção para tratamento adjuvante do câncer renal

daniel araujo bxEnsaio multicêntrico de Fase 3 (KEYNOTE-564) avaliou o anti PD-1  pembrolizumabe  versus placebo em pacientes com ccRCC confirmado histologicamente, com risco intermediário alto (pT2, Gr 4 ou sarcomatoide, N0 M0; ou pT3, qualquer Gr, N0 M0) e alto risco (pT4, qualquer Gr, N0 M0; ou pT qualquer estágio, qualquer Gr, N + M0), ou M1 NED (nenhuma evidência de doença após tumor primário + metástases de tecidos moles completamente ressecadas ≤1 ano de nefrectomia) (Leibovich et al, 2003 ; Fuhrman et al, 1982). Quem comenta é o oncologista Daniel Vilarim (foto), chefe do serviço de oncologia clínica do Hospital de Base, em São José do Rio Preto, SP.

VISION trial: Lu-PSMA aumenta sobrevida global no mCRPC previamente tratado

jose mauricio 21 bxSelecionado para a Sessão Plenária do ASCO 2021 (LBA4), o estudo VISION demonstrou que a adição de 177Lu-PSMA-617 ao tratamento padrão ou de suporte melhorou significativamente a sobrevida livre de progressão radiográfica (rPFS) e a sobrevida global (SG) em pacientes com câncer de próstata metastático resistente à castração (mCRPC) em comparação com o padrão de cuidados isolado. “Os resultados do estudo VISION impactarão de forma significativa a prática médica”, observa o oncologista José Maurício Mota (foto), chefe do Serviço de Oncologia Clínica Geniturinária do ICESP/FMUSP e médico da Oncologia D’Or. O oncologista Michael J. Morris, chefe da Seção de Câncer de Próstata no Memorial Sloan Kettering Cancer Center, em Nova York, é o primeiro autor do trabalho.

ASCO 2021: incidência e tendências de tumores associados ao HPV

luisa lina villa 2020 bxNos últimos 17 anos, a incidência de câncer de colo do útero diminuiu anualmente em 1%, enquanto a incidência de outros cânceres relacionados ao papilomavírus humano (HPV) continua a aumentar. Os resultados são de uma revisão da incidência e tendências dos tumores HPV-relacionados que considerou dados de 657.317 indivíduos e está entre os destaques do programa científico do 2021 American Society of Clinical Oncology Annual Meeting (ASCO 2021). Quem comenta é a bióloga Luisa Lina Villa (foto), referência em pesquisa do HPV.

RELATIVITY-047: relatlimabe mais nivolumabe no melanoma avançado

Sergio Azevedo NET OK 2Destaque do programa científico do ASCO 2021, o RELATIVITY-047 é o primeiro estudo randomizado de Fase III a validar a inibição do checkpoint imunológico LAG-3 como uma estratégia terapêutica para pacientes com câncer, demonstrando benefício de sobrevida livre de progressão da combinação de nivolumabe e relatlimabe (um novo anticorpo bloqueador de LAG-3) no tratamento de primeira linha do melanoma avançado. "A apresentação do estudo RELATIVITY-047 sobre tratamento de melanoma avançado em primeira linha , por Evan Lipson  e colegas neste ASCO 2021 é muito aguardada. Reconhecendo que cerca de 60%-70% dos pacientes tratados com inibidores de checkpoint não apresentam os resultados favoráveis positivos vistos nos estudos clínicos de imunoterapia e apresentam taxas de toxicidades muitas vezes proibitivas, a combinação de anti-PD1 com o novo inibidor de LAG3 é recebida com grande entusiasmo", avalia o oncologista Sergio Azevedo (foto), Professor da Faculdade de Medicina da UFRGS e Chefe do Serviço de Oncologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA).

ASCO destaca importância do rastreamento de câncer de próstata em afro-americanos

carlos anselmo lima bxEstudo observacional apontado entre os destaques do ASCO 2021 indica que o rastreamento do câncer de próstata pode ser útil em indivíduos de alto risco. A análise é de pesquisadores da Universidade da Califórnia e envolveu quase 5 mil afro-americanos de 40 a 55 anos. Os resultados sugerem que aumentar a intensidade do rastreamento por PSA nessa população reduziu em quase 40% o risco de doença metastática de novo, com redução de quase 25% no risco de morte entre os mais jovens. Carlos Anselmo Lima (foto), coordenador do Registro de Câncer de Base Populacional de Aracaju, comenta os resultados.

Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519