Estudo multicêntrico com participação de pesquisadores da Universidade São Francisco, da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), da Harvard Medical School e do Istituto Zooprofilattico Sperimentale delle Venezie (IZSVe) apresentou um modelo validado para prever resposta à quimioterapia neoadjuvante no câncer de mama. “Os metabólitos identificados podem ser considerados em conjunto com dados clínicos, permitindo o desenvolvimento de estratégias de medicina de precisão que levem a melhores escolhas de tratamento”, destacam os autores.

A quimioterapia neoadjuvante (NACT, na sigla em inglês) surgiu como importante opção de tratamento para câncer de mama, mas a resposta à NACT ainda é imprevisível e dependente do subtipo de câncer.

A metabolômica é uma ferramenta valiosa para identificar biomarcadores da resposta à quimioterapia. Neste estudo, os pesquisadores usaram cromatografia líquida acoplada à espectrometria de massas (LC-MS) em plasma de pacientes com câncer de mama (n = 75) antes do tratamento neoadjuvante. Após a filtragem dos dados, um modelo de classificação foi construído e validado com 75% e /25% dos dados, respectivamente.

Os resultados foram relatados por Silva et al. na Cancers e mostram que o modelo composto por 19 metabólitos foi capaz de prever a resposta à quimioterapia neoadjuvante nos conjuntos de treinamento/validação com alta sensibilidade (95,4% e /93,3%), especificidade (91,6% e 100,0%) e precisão (94,6% e /94,7%). Em ambos os conjuntos, o painel classificou corretamente 95% das mulheres resistentes e 94% das sensíveis. A maioria dos compostos identificados pelo modelo foram lipídios e aminoácidos e revelaram alterações na via relacionadas à quimiorresistência.

“Em conclusão, desenvolvemos um modelo analítico rápido e eficaz para prever a resposta do paciente com câncer de mama à NACT usando biomarcadores baseados no sangue. Este modelo contribui para fornecer uma previsão confiável da resposta à quimioterapia neoadjuvante antes do início do tratamento e destaca vias relacionadas à quimiorresistência”, analisam os autores. “Usando um painel de 19 compostos identificados, alcançamos uma previsão eficaz da resposta à NACT, demonstrando alta sensibilidade (93,3%), especificidade (100%) e precisão (94,7%)”, concluem.

O trabalho tem como primeiro autor o pesquisador Alex Ap. Rosini Silva e coautoria de Marcella R. Cardoso, Danilo Cardoso de Oliveira,Pedro Godoy, Maria Cecília R. Talarico, Junier Marrero Gutiérrez, Raquel M. Rodrigues Peres, Lucas M. de Carvalho, Natália Angelo da Silva Miyaguti, Luis O. Sarian, Alessandra Tata,Sophie F. M. Derchain e Andreia M. Porcari

Referência

Silva, A.A.R.; Cardoso, M.R.; Oliveira, D.C.d.; Godoy, P.; Talarico, M.C.R.; Gutiérrez, J.M.; Rodrigues Peres, R.M.; de Carvalho, L.M.; Miyaguti, N.A.d.S.; Sarian, L.O.; et al. Plasma Metabolome Signatures to Predict Responsiveness to Neoadjuvant Chemotherapy in Breast Cancer. Cancers 2024, 16, 2473. https://doi.org/10.3390/cancers16132473