O pesquisador Francisco Cezar Aquino de Moraes (foto), da Universidade Federal do Pará, é autor principal de revisão sistemática e meta-análise que avaliou o impacto da quimioterapia adjuvante em pacientes com câncer de reto que alcançaram resposta patológica completa. Os resultados foram publicados no periódico International Journal of Colorectal Disease.

O câncer retal localmente avançado (LARC, da sigla em inglês - Locally advanced rectal cancer) normalmente envolve quimiorradioterapia neoadjuvante (QRT NEO) seguida de cirurgia (excisão total do mesorreto, TME). “Embora alcançar uma resposta patológica completa (RPC) seja um forte indicador de um prognóstico positivo, os benefícios específicos da quimioterapia adjuvante após RPC permanecem incertos”, observaram os autores.

Neste estudo, os pesquisadores realizaram uma busca nas bases de dados Medline, Embase e Web of Science se concentrando preferencialmente em resultados binários, analisando-os usando odds ratios (OR) com intervalos de confiança (IC) de 95%.

Levando em conta a potencial variabilidade entre os estudos, todos os parâmetros de avaliação foram analisados ​​com modelos de efeitos aleatórios DerSimonian e Laird. A heterogeneidade foi avaliada usando a estatística I2 e o software estatístico R (versão 4.2.3) foi utilizado para todas as análises.

Foram incluídos 34 estudos, compreendo 31.558 pacientes. Os resultados demonstraram uma diferença significativa favorecendo o grupo de quimioterapia adjuvante em relação à sobrevida global (SG) (HR 0,75; IC 95% 0,60-0,94; p = 0,015; I2 = 0%) e SG em 5 anos (OR 1,65; 95% IC 1,21-2,24; p = 0.001; I2 = 39%).

Não houve diferença significativa entre os grupos para sobrevida livre de doença (SLD) (HR 0,94; IC 95% 0,76-1,17; p = 0,61; I2 = 17%), SLD em 5 anos (OR 1,19; IC 95% 0,82- 1,74; p = 0,36; I2 = 43%), sobrevida livre de recorrência (RFS) (HR 1,10; IC 95% 0,87-1,40; p = 0,39; I2 = 0%) e sobrevida livre de recidiva (OR 1,08; 95% IC 0,78-1,51 p = 0,62; I2 = 0%).

“Esta revisão sistemática e meta-análise encontraram uma diferença significativa a favor do grupo de quimioterapia adjuvante na sobrevida de pacientes com câncer de reto localmente avançado após a resposta patológica completa. A administração deste tratamento como terapia adjuvante deve ser incentivada na prática clínica”, concluíram os autores.

Além de Moraes, participaram os estudo os pesquisadores Francinny Alves Kelly, do Instuituto Dante Pazzanese de Cardiologia; Maria Eduarda Cavalcanti Souza, da Universidade de Pernambuco; e Rommel Mario Rodríguez Burbano, da Universidade Federal do Pará/Hospital Ophir Loyola.

Referência:

de Moraes, F.C.A., Kelly, F.A., Souza, M.E.C. et al. Impact of adjuvant chemotherapy on survival after pathological complete response in rectal cancer: a meta-analysis of 31,558 patients. Int J Colorectal Dis 39, 96 (2024). https://doi.org/10.1007/s00384-024-04668-x