Nódulos pulmonares são cada vez mais identificados em indivíduos assintomáticos. Estudo de base populacional que buscou identificar os fatores de risco em uma população da Europa Ocidental mostrou que sexo masculino, idade avançada, baixo nível educacional, tabagismo, exposição ao amianto e DPOC aumentaram independentemente a probabilidade de nódulos pulmonares; histórico familiar de câncer de pulmão foi significativamente associado a nódulos pulmonares entre nunca fumantes.

As diretrizes atuais enfatizam uma abordagem sistemática para a avaliação de nódulos pulmonares, com estratificação de risco de acordo com as características individuais e do nódulo. As recomendações consideram que idade avançada e tabagismo pesado estão entre os critérios de risco, mas outras características variam entre os estudos disponíveis.

Nesta análise, os pesquisadores buscaram quantificar a presença ou ausência de nódulos pulmonares entre 12.055 participantes do estudo ImaLife (Imaging in Lifelines) de base populacional holandesa (idade ≥45 anos) que foram submetidos à tomografia computadorizada de tórax de baixa dose. Os resultados incluíram a presença de 1) pelo menos um nódulo pulmonar sólido (volume ≥30 mm3) e 2) um nódulo pulmonar clinicamente relevante (volume ≥100 mm3). Modelos de regressão logística multivariável totalmente ajustados foram aplicados e estratificados por tabagismo para identificar fatores de risco independentes para a presença de nódulos.

Os resultados foram relatados por Cai et al. no European Respiratory Journal.  Entre os 12.055 participantes (44,1% homens; idade média de 60 anos; 39,9% nunca fumantes; 98,7% brancos), nódulos pulmonares foram encontrados em 41,8% (5.045 de 12.055) e nódulos clinicamente relevantes em 11,4% (1.377 de 12.055); os números correspondentes entre nunca fumantes foram 38,8% e 9,5%, respectivamente.

Os autores descrevem que fatores independentemente associados ao aumento do risco de nódulos pulmonares incluíram sexo masculino, idade avançada, baixo nível educacional, histórico do tabagismo, exposição ao amianto e DPOC. Entre nunca fumantes, um histórico familiar de câncer de pulmão aumentou o risco de nódulos pulmonares e nódulos clinicamente relevantes. Entre ex-fumantes e fumantes atuais, o baixo nível educacional foi positivamente associado a nódulos pulmonares, enquanto o sobrepeso foi negativamente associado. Entre fumantes atuais, a exposição ao amianto e a baixa atividade física foram associadas a nódulos clinicamente relevantes.

Neste grande estudo populacional, nódulos pulmonares estavam presentes em 41,8% da população geral e em 38,8% dos nunca fumantes.  “O estudo fornece uma avaliação em larga escala de nódulos pulmonares e fatores de risco associados em uma população da Europa Ocidental: nódulos pulmonares e nódulos clinicamente relevantes foram prevalentes, e não fumantes com histórico familiar de câncer de pulmão foram um grupo não negligenciável”, concluem os autores.

A íntegra do estudo está disponível em acesso aberto.

Referência:

Jiali Cai, Marleen Vonder, Yihui Du, Gert Jan Pelgrim, Mieneke Rook, Gerdien Kramer, Harry J.M. Groen, Rozemarijn Vliegenthart, Geertruida H. de Bock
European Respiratory Journal 2024 63: 2301736; DOI: 10.1183/13993003.01736-2023