As evidências demonstram que a atividade física traz uma série de benefícios aos pacientes com câncer. Apesar disso, artigo publicado no ESMO Open relata que cerca de 48% dos pacientes com câncer entrevistados afirmaram que seus oncologistas nunca abordaram o tema em suas consultas, e apenas 10% foram encaminhados para serviços dedicados à prática de exercícios.

Esse estudo multicêntrico e transversal foi conduzido através da distribuição de um questionário anônimo e autoaplicável a pacientes com câncer. O questionário incluiu variáveis ​​demográficas, de saúde e de atividade física. As questões relacionadas à prática de exercícios utilizaram o Questionário de Atividade Física de Lazer Godin-Shephard para medir a quantidade de exercício físico.

A pesquisa também reuniu informações sobre se o exercício foi discutido com os pacientes e se os oncologistas seguiram o processo de avaliação, aconselhamento, reforço e encaminhamento em relação ao exercício. A pesquisa também perguntou se os pacientes preferiam que os exercícios fossem discutidos durante as consultas. Foi aplicada estatística descritiva e regressão logística.

Com uma taxa de resposta de 75%, 549 pacientes completaram a pesquisa. Em relação à discussão sobre exercícios, 38% dos pacientes afirmaram que seu oncologista iniciou uma discussão sobre exercícios, 14% iniciaram eles próprios a discussão e 48% disseram que o assunto não foi considerado.

No geral, 35% dos pacientes relataram que o oncologista avaliou o seu nível de exercício, 22% e 42% receberam aconselhamento ou reforço para aumentar o seu exercício, respectivamente, e 10% foram encaminhados para um serviço dedicado. Em relação às preferências, 72% dos pacientes acreditam que os oncologistas devem iniciar uma discussão sobre a prática de exercícios físicos, 2% que apenas os pacientes deveriam iniciar a discussão e 26% achavam que o assunto não deve ser discutido em uma consulta oncológica.

O estudo também demonstrou que 74% dos pacientes estão dispostos a receber a avaliação do exercício, 59% e 75% o aconselhamento e reforço para aumentar o seu exercício e 46% a serem encaminhados para um serviço de exercício.

“Embora as taxas de promoção de exercícios sejam baixas, os pacientes estão dispostos a receber informações sobre a prática de atividade física. Devem ser desenvolvidas estratégias específicas para apoiar os oncologistas na promoção da atividade física aos seus pacientes”, concluíram os autores.

Referência:

Avancini A, Giannarelli D, Borsati A, Carnio S, Cantale O, Nepote A, Mangiapane F, Bafunno D, Galetta D, Longo V, Tregnago D, Trestini I, Belluomini L, Sposito M, Insolda J, Schena F, Milella M, Novello S, Pilotto S; partnership with WALCE (Women Against Lung Cancer in Europe). A cross-sectional study evaluating the exercise discussion with oncologist during cancer consultation: the CONNECT study. ESMO Open. 2024 Jun 28;9(7):103624. doi: 10.1016/j.esmoop.2024.103624. Epub ahead of print. PMID: 38943736.