Os resultados de 5 anos do estudo COMBI-AD mostraram que a terapia adjuvante com dabrafenibe mais trametinibe resultou em maior sobrevida livre de recidiva e prolongou a sobrevida livre de metástase à distância na comparação com placebo entre pacientes com melanoma estágio III com mutação BRAF V600. Agora, a análise final, após quase 10 anos de acompanhamento, corrobora esses benefícios e ainda indica que o risco de morte foi 20% menor com a terapia combinada, mas o benefício não foi significativo; entre pacientes com melanoma com mutação BRAF V600E o risco de morte foi 25% menor com a combinação.

Neste estudo de Fase 3 (NCT01682083) foram randomizados 870 pacientes com melanoma estágio III ressecado com mutações BRAF V600 para receber 12 meses de dabrafenibe (150 mg duas vezes ao dia) mais trametinibe (2 mg uma vez ao dia) ou dois placebos correspondentes. Em artigo na New England Journal of Medicine (NEJM), Long et al. relatam agora os resultados finais deste estudo, incluindo análises de sobrevida global, sobrevida específica para melanoma, sobrevida livre de recidiva e sobrevida livre de metástase à distância.

Em um seguimento mediano de 8,33 anos para o braço de dabrafenibe mais trametinibe e de 6,87 anos para o braço placebo, as estimativas de Kaplan-Meier para a sobrevida global favoreceram a terapia combinada em relação ao placebo, embora o benefício não tenha sido significativo (razão de risco para morte, 0,80; intervalo de confiança [IC] de 95%, 0,62 a 1,01; P = 0,06 pelo teste de log-rank estratificado). Os pesquisadores descrevem que o benefício de sobrevida foi consistentemente observado em vários subgrupos pré-especificados, incluindo os 792 pacientes com melanoma com mutação BRAF V600E (razão de risco para morte, 0,75; IC de 95%, 0,58 a 0,96). A sobrevida livre de recidiva favoreceu dabrafenibe mais trametinibe em relação ao placebo (razão de risco para recidiva ou morte, 0,52; IC de 95%, 0,43 a 0,63), assim como a sobrevida livre de metástase à distância (razão de risco para metástase à distância ou morte, 0,56; IC de 95%, 0,44 a 0,71). Nenhum novo sinal de segurança foi relatado.

“Após quase 10 anos de acompanhamento, a terapia adjuvante com dabrafenibe mais trametinibe foi associada a melhor sobrevida livre de recidiva e sobrevida livre de metástase à distância na comparação com placebo entre pacientes com melanoma estágio III ressecado. A análise da sobrevida global mostrou que o risco de morte foi 20% menor com a terapia combinada do que com placebo, mas o benefício não foi significativo. Entre os pacientes com melanoma com mutação BRAF V600E, os resultados sugerem que o risco de morte foi 25% menor com a terapia combinada”, concluem os autores.

Referência:

Published June 19, 2024
DOI: 10.1056/NEJMoa2404139