matsas giglio 2024Meta-análise realizada por pesquisadores brasileiros explorou o significado clínico da relação plaquetas-linfócitos e da relação neutrófilos-linfócitos como preditores de sobrevida global e sobrevida livre de progressão em pacientes com câncer gástrico avançado tratados com imunoterapia. Os resultados foram apresentados no ASCO GI 2024 por Silvio Matsas, primeiro autor do estudo que tem o oncologista Auro Del Giglio como autor sênior.

“Avanços recentes no tratamento do câncer gástrico introduziram a imunoterapia como uma abordagem promissora para doenças avançadas. Nesse contexto, potenciais biomarcadores, como a relação plaquetas-linfócitos (PLR) e a relação neutrófilos-linfócitos (NLR), ganharam atenção por seu papel preditivo dos resultados do tratamento”, afirmaram os autores.

Dois revisores independentes pesquisaram sistematicamente bases de dados eletrônicas, incluindo PubMed, Embase e Scopus. A busca incorporou vocabulário controlado (termos MeSH) e palavras-chave relacionadas ao câncer gástrico, imunoterapia, relação plaquetas-linfócitos (PLR) e relação neutrófilos-linfócitos (NLR).

Os estudos elegíveis foram selecionados com base em critérios predefinidos, incluindo disponibilidade de HR, e foram avaliados quanto à qualidade e viés usando a Escala Newcastle-Ottawa. A extração de dados foi realizada de forma independente por dois revisores, e as discrepâncias na seleção dos estudos e na extração de dados foram resolvidas por um terceiro revisor. Análises de subgrupos foram realizadas para explorar possíveis variações nos resultados do estudo. Todas as análises foram realizadas com RevMan 5.4 e empregaram modelo de efeitos aleatórios.

Resultados

No total, 16 estudos incluindo 1.176 pacientes para relação neutrófilos-linfócitos e 8 estudos com 766 pacientes para relação plaquetas-linfócitos foram incluídos nesta revisão sistemática e meta-análise. Os estudos compreenderam os anos entre 2018 e 2023. A análise revelou associações significativas entre NLR alta e sobrevida global (SG; HR: 2,11, 95% CI: 1,70-2,62, p < 0,00001) e sobrevida livre de progressão (SLP; HR: 1,76, IC 95%: 1,43). -2,17, p < 0,00001) piores.

Da mesma forma, a PLR elevada foi significativamente associada a pior SG (HR: 1,77, 95% CI: 1,44-2,17, p < 0,00001) e SLP (HR: 1,61, 95% CI: 1,33-1,96, p < 0,00001). Em todas as análises de subgrupos realizadas, NLR e PLR elevados foram consistentemente associados a piores resultados de sobrevida.

“Nossa análise apoia a importância da NLR e da PLR como biomarcadores acessíveis e econômicos para prever resultados de sobrevida no contexto da imunoterapia para câncer gástrico avançado. Esses achados ressaltam seu significado potencial na orientação de decisões clínicas. Mais investigações devem ser realizadas para validar nossos achados”, concluíram os autores.

Além de Del Giglio e Matsas, o estudo contou com a participação do oncologista Pedro Aguiar Junior.

Referência: Prognostic role of platelet-to-lymphocyte ratio (PLR) and neutrophil-to-lymphocyte ratio (NLR) in advanced gastric cancer treated with immunotherapy: A systematic review and meta-analysis. Citation J Clin Oncol 42, 2024 (suppl 3; abstr 397) DOI 10.1200/JCO.2024.42.3_suppl.397