coronavirus bxA AACR dedicou uma sessão inteira ao tema COVID-19 e Câncer, como parte da Plenária apresentada na manhã de 28 de abril (VCTPL09). Com participação de pesquisadores de Wuhan, estudo chinês descreveu a experiência de tratar pacientes de câncer durante a pandemia. Os dados foram apresentados no segundo dia da AACR 2020, por Li Zhang, do Tongji Hospital, em Wuhan.

“Neste estudo de coorte retrospectivo, coletamos e analisamos dados de pacientes com câncer com infecção por COVID-19 confirmada, a partir de três hospitais designados em Wuhan, China, de 13 de janeiro de 2020 a 26 de fevereiro de 2020”, descreve o estudo. Análises univariadas e multivariadas foram realizadas para avaliar os fatores de risco associados a eventos graves, definidos como aqueles que envolveram internação em unidade de terapia intensiva, uso de ventilação mecânica ou morte.  O estudo também acompanhou 124 pacientes com câncer em tratamento com inibidores de checkpoint imune (ICI) e suas famílias quanto à taxa de infecção e resultados clínicos.

Resultados

Vinte e oito pacientes com câncer e COVID-19 foram incluídos na análise, com idade média de 65,0 anos (IQR: 56,0-70,0) e sexo masculino de 60,7% (17/28). Dos 28 pacientes, 7 (25%) tiveram câncer de pulmão e 8 (28,6%) foram considerados infectados por transmissão hospitalar. Quinze (53,6%) pacientes tiveram eventos graves com taxa de mortalidade de 28,6%.

O último tratamento antitumoral no período de 14 dias após o diagnóstico de COVID-19 aumentou significativamente o risco de desenvolver eventos graves (HR = 4.079, IC 95% 1.086-15.322, P = 0.037). Os achados comuns da TC de tórax foram opacidade em vidro fosco (21, 75,0%) e consolidação irregular (13, 46,3%).

A consolidação desigual na TC foi positivamente associada a um risco maior de desenvolver eventos graves (HR = 5,438, IC 95% 1,498-19,748, P = 0,010). Houve apenas um paciente (1/124, 0,8%) em tratamento com ICI infectado por COVID, com apresentação clínica leve e um curso hospitalar curto, mas os dados são limitados.

A conclusão dos autores indica que pacientes com câncer tiveram apresentação agressiva da infecção por COVID-10, com maus resultados. “Recomenda-se que seja realizada uma triagem vigorosa da infecção por COVID-19 em pacientes com câncer”, propõem.

Referência: The experience of treating patients with cancer during the COVID-19 pandemic in China - Li Zhang, F Zhu, L Xie, C Wang, J Wang, R Chen, P Jia, H Q. Guan, L Peng, P Peng, P Zhang, Q Chu, Q Shen, Y Wang, S Y. Xu, J P. Zhao, M Zhou, Y Chen. Tongji Hospital, Tongji Medical College, Huazhong University of Science and Technology, Wuhan, China, Union Hospital, Tongji Medical College, Huazhong University of Science and Technology, Wuhan, China, Shanghai Jiao Tong University School of Medicine, Shanghai, China