IDOSO PACIENTE NET OKA qualidade de vida (QoL) e a recuperação funcional (FR) dos pacientes idosos podem ser restauradas após uma grande cirurgia oncológica? Quais são os fatores de risco para falhar nesses indicadores tão relevantes? Estudo multicêntrico internacional que avaliou pacientes geriátricos submetidos à cirurgia colorretal reportou resultados em publicação online no Journal of Clinical Oncology (JCO), demonstrando que a maioria dos pacientes idosos apresenta boa qualidade de vida e permanece independente após a cirurgia de câncer colorretal.

Nesta análise prospectiva do estudo GOSAFE (Geriatric Oncology Surgical Assessment and Functional rEcovery after Surgery) foram incluídos pacientes com idade igual ou superior a 70 anos submetidos a cirurgia colorretal eletiva de grande porte. A avaliação da fragilidade foi realizada e os resultados, incluindo QoL (EQ-5D-3L), foram registrados aos 3 e 6 meses após a cirurgia. A FR pós-operatória foi definida como uma combinação de Activity of Daily Living ≥5 + teste Timed Up & Go <20 segundos + MiniCog >2.

Os autores descrevem que dados prospectivos completos estavam disponíveis para 625/646 pacientes consecutivos (96,9%; 435 câncer de cólon e 190 câncer retal), 52,6% homens, e a idade mediana foi de 79,0 anos (IQR, 74,6-82,9 anos). A cirurgia foi minimamente invasiva em 73% dos pacientes (321/435 cólon; 135/190 reto). Em 3-6 meses, 68,9%-70,3% dos pacientes apresentaram QV igual/melhor (72,8%-72,9% de câncer de cólon, 60,1%-63,9% de câncer retal).

Na análise de regressão logística, Flemish Triage Risk Screening Tool pré-operatório ≥2 (odds ratio [OR] aos 3 meses foi de 1,68; IC de 95%, 1,04 a 2,73; P = 0,034, enquanto a OR em 6 meses foi de 1,71; IC de 95%, 1,06 a 2,75; P = 0,027). As complicações pós-operatórias (3 meses OR, 2,03; 95% CI, 1,20 a 3,42; P = 0,008, 6 meses OR, 2,56; 95% CI, 1,15 a 5,68; P = . 02) estão associadas à diminuição da qualidade de vida após colectomia.

O estudo GOSAFE mostra que o status de desempenho do Eastern Collaborative Oncology Group (ECOG PS) ≥2 é um forte preditor de declínio da qualidade de vida pós-operatória no subgrupo de câncer retal (OR, 3,81; 95% CI, 1,45 a 9,92; P = 0,006). A recuperação funcional foi relatada por 254/323 (78,6%) pacientes com câncer de cólon e 94/133 (70,6%) com câncer retal. Índice de comorbidade da idade de Charlson ≥7 (OR, 2,59; 95% CI, 1,26 a 5,32; P = 0,009), ECOG ≥2 (OR, 3,12; 95% CI, 1,36 a 7,20; P = 0,007 cólon; OR, 4,61 ; 95% CI, 1,45 a 14,63; P = 0,009 cirurgia retal), complicações graves (OR, 17,33; 95% CI, 7,30 a 40,8; P < 0,001), fTRST ≥2 (OR, 2,71; 95% CI, 1,40 a 5,25; P = 0,003) e cirurgia paliativa (OR, 4,11; IC 95%, 1,29 a 13,07; P = 0,017) são fatores de risco para não atingir FR.

“A maioria dos pacientes idosos apresenta boa qualidade de vida e permanece independente após a cirurgia de câncer colorretal. Os preditores de falha na obtenção desses resultados essenciais agora são definidos para orientar o aconselhamento pré-operatório de pacientes e familiares”, concluem os autores.

Diante desses resultados, o estudo GOSAFE mostra que a maioria dos pacientes idosos experimenta uma QV e FR restaurada 3 meses após a cirurgia de câncer colorretal, alertando que informações muitas vezes negligenciadas nas avaliações de rotina do paciente são fatores de risco para falha na obtenção de uma boa QV/FR. Esses achados podem ajudar a orientar estratégias cirúrgicas e prever resultados funcionais e de qualidade de vida..

Referência: Montroni I, Ugolini G, Saur NM, Rostoft S, Spinelli A, Van Leeuwen BL, De Liguori Carino N, Ghignone F, Jaklitsch MT, Kenig J, Garutti A, Zingaretti C, Foca F, Vertogen B, Nanni O, Wexner SD, Audisio RA; SIOG Surgical Task Force/ESSO GOSAFE Study Group. Predicting Functional Recovery and Quality of Life in Older Patients Undergoing Colorectal Cancer Surgery: Real-World Data From the International GOSAFE Study. J Clin Oncol. 2023 Jun 30:JCO2202195. doi: 10.1200/JCO.22.02195. Epub ahead of print. PMID: 37390383.