Artigo publicado no Lung Cancer Journal traz diretrizes consensuais sobre o diagnóstico e tratamento da pneumonite por radiação, bem como técnicas para diminuir o risco no planejamento da radioterapia.

“A pneumonite por radiação é uma toxicidade limitante da dose para pacientes submetidos à radioterapia (RT) para câncer de pulmão. No entanto, a prática ideal para diagnóstico, manejo e acompanhamento permanece incerta”, observam os autores.

Desenvolvidas usando uma abordagem de consenso Delphi, as diretrizes representam áreas de consenso entre especialistas internacionais em radio-oncologia e pneumologistas com experiência em oncologia torácica.  

Na Rodada 1, perguntas abertas foram distribuídas a 31 médicos especialistas no tratamento de doenças malignas torácicas. Na Rodada 2, os participantes avaliaram concordância/discordância com afirmações derivadas das respostas da Rodada 1 usando uma escala Likert de 5 pontos. O consenso foi definido como concordância ≥75%. As declarações que não alcançaram consenso foram modificadas e testadas novamente na Rodada 3.

Resultados 

A taxa de resposta foi de 74% na Fase 1 (n=23/31; 17 oncologistas, 6 pneumologistas); 82% na Rodada 2 (n=19/23; 15 oncologistas, 4 pneumologistas); e 100% na Rodada 3 (n=19/19). Trinta e nove das 65 declarações da Segunda Rodada alcançaram consenso; outras 10 das 26 declarações alcançaram consenso na Rodada 3.

Na Rodada 2, houve acordo de que a estratificação/mitigação de risco inclui fatores do paciente; planejamento de tratamento ideal; a base para o diagnóstico de pneumonite por radiação; e que oncologistas e pneumologistas devem estar envolvidos no tratamento.

Para pneumonite por radiação não complicada, um regime inicial típico é equivalente a 60 mg de prednisona oral por dia, levando em consideração a gastroproteção. No entanto, neste estudo, não foi alcançado consenso quanto à recomendação de dosagem.

A dose inicial de esteroides deve ser administrada por um período de 2 semanas, seguida por uma redução gradual semanal (equivalente a uma redução de 10 mg de prednisona por semana). Para pneumonite grave, recomenda-se metilprednisolona IV por 3 dias antes do início dos corticosteroides orais.

“As declarações finais de consenso destacam que o tratamento da pneumonite por radiação deve ser multidisciplinar, a incerteza se a pneumonite é induzida por medicamentos ou por radiação e a importância da estratificação de risco, especialmente no cenário de doença pulmonar intersticial”, concluem os autores.

Referência: Indu S. Voruganti Maddali, Cicely Cunningham, Lorraine McLeod, Angela Wright, Stephen Harrow, Alexander V. Louie et al. Optimal management of radiation Pneumonitis: Findings of an international Delphi consensus study - Published: May 13, 2024. DOI:https://doi.org/10.1016/j.lungcan.2024.107822