guilherme nader marta bxO oncologista Guilherme Nader-Marta (foto) é coprimeiro autor de artigo publicado na Nature Medicine1 que apresenta o programa BrainStorm, uma plataforma multidisciplinar de pesquisa clínica de metástases cerebrais lançada em 2020 pelo Institut Jules Bordet. “O objetivo é coletar dados sobre a epidemiologia e biologia de metástases de tumores sólidos no sistema nervoso central (SNC), permitindo a identificação de fatores de risco, a descoberta de novos alvos terapêuticos para futuros ensaios clínicos e tratamentos inovadores para melhoria da qualidade de vida destes pacientes”, esclarecem os pesquisadores.

A incidência de metástases no SNC difere de acordo com o câncer primário, variando de aproximadamente 5% a 50%2. Os cânceres mais comuns que apresentam disseminação para o SNC são câncer de pulmão, de mama, melanoma e carcinoma de células renais2. O diagnóstico de metástases no SNC está associado a um mau prognóstico, com sobrevida global variando de 3 a 25 meses dependendo do câncer primário2, e as opções de tratamento são limitadas e geralmente envolvem abordagens multimodais que incluem cirurgia, radioterapia, radiocirurgia e, às vezes, terapia sistêmica, dependendo do número de lesões, localização e tipo de tumor primário, bem como do performance status do paciente com base em índices prognósticos validados3,4.

O programa BrainStorm é um estudo prospectivo, internacional, multicêntrico, focado em indivíduos com tumores sólidos metastáticos não  primários do SNC recém-diagnosticados com alto risco de desenvolvimento de metástases no SNC. O programa está construindo uma grande base de dados clínico-patológicos de cerca de 600 pacientes para investigar o desenvolvimento e a epidemiologia das metástases no SNC, concentrando-se em três períodos de tempo: antes do diagnóstico; ao diagnóstico; e após o diagnóstico de metástases no SNC.

A plataforma está recrutando pacientes adultos com metástases não-SNC recém-diagnosticadas ou até 24 meses a partir do diagnóstico de metástases não-SNC de câncer de mama triplo-negativo, câncer de mama HER2-positivo, câncer de pulmão de células pequenas (CPCP), câncer de pulmão de células não pequenas (CPCNP) e melanoma.

A parte A do estudo considera um período de acompanhamento prospectivo antes de um primeiro evento no SNC. A disponibilidade de tecido tumoral primário e/ou não metastático de arquivo do SNC é obrigatória para inclusão. Os pacientes incluídos são submetidos a uma análise inicial de ressonância magnética (MRI) para excluir metástases no SNC e acompanhados até o diagnóstico do primeiro evento de SNC, óbito ou até 48 meses após a inclusão se não houver desenvolvimento de metástases no SNC.

A parte B do programa inclui pacientes na apresentação de um primeiro evento do SNC que não foram previamente inscritos na parte A, independentemente do tipo de tumor, com uma coorte separada para pacientes com carcinomatose leptomeníngea. Uma punção lombar para coleta de líquido cefalorraquidiano será realizada em pacientes diretamente inscritos na parte B e naqueles que foram incluídos na parte A e desenvolveram metástases no SNC.

A avaliação da qualidade de vida usando a versão EORTC QLQ-C30 3.0, EORTC QLQ BN20 e EQ-5D-5L será realizada ao diagnóstico de metástases no SNC (parte B) e a cada 3 meses após o primeiro evento no SNC (parte C), juntamente com consulta médica, coleta de amostras de sangue e ressonância magnética cerebral. Os pacientes serão acompanhados até a morte ou até 48 meses após o diagnóstico de metástases no SNC, e novas amostras de líquido cefalorraquidiano e tumor do SNC serão coletadas durante a parte C, se clinicamente indicado.

“A coleta de características clínico-demográficas basais definirá subgrupos clínicos de pacientes com maior risco de metástases no SNC, e as análises de

amostras biológicas identificarão potenciais biomarcadores para o desenvolvimento do SNC metástases”, observam os autores.

As biópsias cerebrais são uma abordagem invasiva e, portanto, as biópsias líquidas estão sendo investigadas como uma ferramenta potencial para detectar alterações moleculares no ctDNA do líquido cefalorraquidiano que diferem dos tumores primários e outros locais metastáticos, que podem conferir sensibilidade especial do SNC para tratamentos direcionados.

“Esperamos que o BrainStorm sirva de base para o desenvolvimento de estudos clínicos subsequentes visando a prevenção de eventos no SNC, incluindo tanto a prevenção primária (redução do risco de metástases para o SNC), quanto a prevenção secundária (detecção e tratamento precoces de metástases cerebrais). Este estudo também irá avaliar taxas de controle de doença, qualidade de vida e padrões de sobrevida para identificar futuras estratégias de tratamento personalizadas neste cenário”, concluíram os autores.

Referências:

1 - Martins-Branco, D., Nader-Marta, G., Gombos, A. et al. BrainStorm: a multicenter international study to tackle CNS metastases in solid tumors. Nat Med (2023). https://doi.org/10.1038/s41591-023-02595-y 

2 - Taillibert, S. & Le Rhun Cancer Radiother. 19, 3–9 (2015)

3 - Lin, X. & DeAngelis, L. M. J. Clin. Oncol. 33, 3475–3484 (2015)

4 - Soffietti, R. et al. Neuro.
Oncol. 19, 162–174 (2017)