Pulm o DEZ NET OKNo câncer de pulmão de células nao pequenas avançado, em pacientes com EGFR mutado, o tratamento inicial com osimertinibe mostrou redução significativa no risco de progressão cerebral, com sobrevida global comparável versus o tratamento sequencial. É o que mostram resultados do ensaio APPLE apresentado no ELCC`2023, em análise que avaliou osimertinibe versus gefitinibe seguido de osimertinibe nessa população de pacientes.

Realizado por pesquisadores do EORTC Lung Cancer Group, o ensaio APPLE é um estudo não comparativo de fase II que considera 3 braços de tratamento. Os pacientes foram randomizados para: braço A (osimertinibe até progressão da doença – PD -  por RECIST), braço B (gefitinibe até o surgimento de mutação de DNA tumoral EGFR T790M ou PD por RECIST) ou braço C (gefitinibe até PD por RECIST) seguido de osimertinib em ambos os braços B e C.

Nesta análise, os braços B e C foram agrupados. O endpoint primário foi sobrevida livre de  progressão “com osimertinibe” em 18 meses (SLP-OSI-18) no braço B. Endpointssecundários incluíram sobrevida global (SG) e sobrevida livre de progressão no cérebro (SLPC). Em todos os braços, a tomografia cerebral com contraste foi realizada a cada 8 semanas.

Resultados 

De 11/2017 a 02/2020,  foram randomizados 156 pacientes (braço A:53, braço B/C:103) e 136 foram incluídos na análise. Os pacientes inscritos foram majoritariamente do sexo feminino (56,6% e 69,9%), com EGFR Del19 (66% e 64%). Metástases cerebrais basais estavam presentes em 19% e 29,1%, respectivamente. Nos braços combinados B/C, 70% dos pacientes receberam osimertinibe na progressão da doença.

Os autores descrevem que no braço A, a SLP com osimertinibe foi de 19,5 meses. A SLP-OSI-18 foi de 51,1% no Braço A e de 61% nos braços combinados B/C. A  mediana de sobrevida global não foi alcançada no braço A vs 42,8 meses (95% CI: 28,6-NR) no braço combinado B/C, com SG em 18 meses de 84,4% e 82,3%, respectivamente. Em todos os braços, foram observados 68 eventos de progressão no cérebro. Tempo médio para DP cerebral no braço A e B/C foram 34,3 meses (intervalo de confiança de 95%, CI:26,9-NR) e 22,3 meses (IC de 95%: 18,6–22,3), com taxa de risco correspondente de 0,54 (IC de 90%:0,34–0,86) com SLPC em 18 meses de 82,2% e 63,5%, respectivamente.

“ No CPCNP EGFR mutado avançado, o tratamento inicial com osimertinibe mostra redução significativa no risco de dano cerebral, com SG comparável versus o tratamento sequencial”, concluem os autores.

Clinical trial identification: NCT02856893.

Referência: Osimertinib versus gefitinib followed by osimertinib in patients with EGFR-mutant non-small cell lung cancer (NSCLC): EORTC Lung Cancer Group 1613 APPLE trial