gabriel polho icespEstudo de mundo real aceito para apresentação em poster no ASCO GU`23 discute o transplante autólogo de células tronco com altas doses de quimioterapia (HDCT) no tratamento de pacientes com tumores avançados de células germinativas (aGCT) atendidos no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP). O trabalho tem como primeiro autor o médico Gabriel Polho (foto) e como autor sênior o oncologista José Maurício Mota.

Os pesquisadores revisaram o banco de dados institucional para identificar pacientes com aGCT progressivo encaminhados para HDCT após exames tumorais. Os prontuários médicos foram analisados para extrair dados clínicos. Estimativas de sobrevida foram comparadas por Log-rank, enquanto análises de risco proporcional de Cox buscaram determinar os efeitos na sobrevida global (SG). 

Resultados

De janeiro de 2013 a agosto de 2022, foram encaminhados para HDCT 35 pacientes com aGCT. A idade média foi de 28 anos (IQR 25-30). A maioria dos pacientes tinha tumor primário de testículo (84%), histologia não seminoma (87%), 1 linha de tratamento anterior (62%), risco baixo pelo IGCCCG - International Germ Cell Cooperative Consensus Cancer Group (78%) e risco intermediário a muito alto pelo IPFSG- International Prognostic Factors Study Group (45%). Os autores descrevem que 32 pacientes foram considerados elegíveis após a avaliação inicial, 25 receberam quimioterapia de mobilização e 21 receberam ≥1 ciclo de HDCT. As razões para o não cumprimento do tratamento incluíram doença progressiva e/ou deterioração do desempenho devido à toxicidade.

O estudo do ICESP mostra que o regime de HDCT variou, tendo a maioria dos pacientes recebido TI-CE (62%). A maioria dos pacientes teve atrasos ≥1 mês (85%) e ≥2 meses (52%) no tratamento agendado. As taxas de SG de 1 ano e 2 anos foram de 42% e 38% na população elegível, e de 70% e 62% entre aqueles que tiveram ≥ 1 ciclo HDCT.

Nenhum fator de risco se correlacionou com SG na análise univariada (Tabela). A análise exploratória de pacientes tratados com ≥1 ciclo de HDCT mostrou correlação de IGCCCG ruim (p<0,01) e IPFSG (p=0,03) com SG. O tempo para mobilização (TTM) foi maior em pacientes IGCCCG de baixo risco (0,4 vs. 1,7 meses, p<0,01). Quatro mortes foram atribuídas ao HDCT.

“A HDCT foi viável em nosso centro terciário no Brasil, apesar de algumas mortes relacionadas ao tratamento. Para os pacientes que tiveram pelo menos 1 ciclo de HDCT, os resultados de sobrevida foram semelhantes aos da literatura estabelecida.

Atrasos significativos no protocolo foram observados e correlacionados com o risco prognóstico do grupo”, concluem os autores. 

Univariate analysis of prognostic factors and OS. Data represents HR (95% CI).

 

Eligible population

≥1 HDCT cycle

Oversampled population (≥1 HDCT cycle)

Age

0.99 (0.91-1.08)

1.08 (0.98-1.19)

1.08 (0.97-1.21)

IPFSG Intermediate, High, Very High

2.57 (0.83-7.93)

3.63 (0.75-17.58)

6.77 (1.39-32.98)

IGCCCG Poor

1.85 (0.54-6.34)

2.59 (0.32-20.83)

9.97 (1.24-79.81)

βhCG

1.00 (1.00-1.00)

1.00 (1.00-1.00)

1.00 (1.00-1.00)

AFP

1.00 (0.99-1.00)

1.00 (0.99-1.00)

1.00 (1.00-1.00)

LDH

0.99 (0.99-1.01)

0.99 (0.98-1.01)

0.99 (0.98-1.00)

TTM

0.78 (0.55-10.11)

0.81 (0.55-1.19)

1.03 (0.75-1.41)

Time from mobilization to first HDCT

1.33 (0.64-2.75)

1.33 (0.64-2.75)

1.81 (0.84-3.91)

Time from first to second HDCT

0.81 (0.11-5.85)

0.81 (0.11-5.85)

2.56 (0.71-9.30)

 

Referência: High-dose chemotherapy with autologous stem cell transplant (HDCT) for patients (pts) with advanced germ-cell tumors (aGCT): Real-world evidence from a tertiary cancer center in Brazil.
Meeting: 2023 ASCO GU Cancers Symposium
Session Type: Poster Session
Session Title: Poster Session C: Renal Cell Cancer; Adrenal, Penile, Urethral and Testicular Cancers
Track: Testicular Cancer

Subtrack: Quality of Care/Quality Improvement and Real-World Evidence
Abstract #: 414