cigarro eletronico bxApesar dos crescentes esforços de saúde pública para desencorajar o uso do tabaco entre adolescentes, produtos com sabor, especialmente os e-cigarettes e vaporizadores, permanecem estimulando o consumo entre os jovens. O assunto foi tema de estudo apresentado na AACR 2020, que empregou uma abordagem geoespacial para explorar o contexto socioecológico das lojas de tabaco e vaporizadores nos Estados Unidos.

Esta análise considerou os pontos de venda de produtos de nicotina, os chamados ENDS -electronic nicotine delivery system - discriminando o uso entre jovens por sexo, idade e grupos raciais / étnicos. Os pesquisadores realizaram um mapeamento geoespacial no sistema de Planejamento de Serviços de Los Angeles (SPA 3) e avaliaram o ambiente social das plataformas de mídia social tabaco-relacionadas, combinando buscas no Google e nas Páginas Amarelas.

Dados obtidos no Censo dos EUA (2013-2017), na American Community Survey (ACS) e a partir da California Tobacco Facts and Figures 2019 foram considerados para compor o perfil da população estudada.

Resultados

13,5% dos adolescentes de ensino fundamental II e 37,7% dos jovens estudantes de ensino médio relataram já usar cigarros eletrônicos, os chamados e-cigaretts. O uso de dispositivos básicos ou descartáveis ​​foi associado a idade mais jovem, especialmente entre os latinos (5% relataram uso no mês passado em comparação com <3% entre outras etnias).

A análise dos contextos socioecológicos das lojas de tabaco e vaporizadores na região de Los Angeles (SPA 3) mostrou que independentemente da renda, um maior número de lojas de tabaco e vaporizadores parece corresponder a maior porcentagem de minorias étnicas.

As cidades de baixa renda tendem a ter mais lojas de tabaco e vaporizadores em comparação com as cidades de alta renda. Os produtos de tabaco custam menos em bairros com renda familiar média mais baixa e em bairros com proporção maior de residentes hispânicos, mesmo após o ajuste para o tipo de loja.

Através do software GIS aberto (QGIS), os pesquisadores mostraram como análises de mapeamento geoespacial podem codificar o comércio tabaco-relacionado em uma dada demografia, ilustrando suas relações espaciais. Ao revelar dados capazes de embasar estratégias de prevenção e controle, o estudo pretende contribuir com estratégias do FDA para a redução do tabaco, fornecendo informações críticas para ações voltadas para a população jovem e as minorias étnicas.

Referências: CT087 - A geospatial approach to explore the socioecological context of tobacco and vape shop locations - Kimlin T. AshingBrian TiepJonjon MacalintalSophia YeungTimothy O'ConnorBin XieUdochukwu ObodoMing-Hsiang TsouGaole SongFaith AbuanChristyl Dawson. City of Hope, Duarte, CA, Claremont Graduate University, Claremont, CA, San Diego State University, San Diego, CA, Florida International University, Miami, FL