IDOSO PACIENTE NET OKApresentada na ASCO, análise de qualidade de vida do estudo PROSPER mostraram que a enzalutamida atrasou significativamente a sobrevida livre de metástase em homens com câncer de próstata não metastático resistente à castração sem agravar a qualidade de vida e reduziu significativamente o risco de deterioração clinicamente significativa da QV em vários domínios do FACT-P. Outra análise do mesmo estudo mostrou ainda que os resultados relatados pelo paciente podem complementar os métodos tradicionais de prática clínica para monitorar a progressão da doença.

 

O PROSPER (NCT02003924) mostrou uma melhora estatisticamente significativa na sobrevida livre de metástases (MFS) com enzalutamida (ENZA; n = 933) vs. placebo (PBO; n = 468) em homens assintomáticos com câncer de próstata não metastático resistente à castração (M0 CRPC) e tempo de duplicação do antígeno próstata-específico ≤10 meses.

A primeira análise avaliou qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) e dor.1 A Avaliação Funcional da Terapia de Câncer de Próstata (FACT-P) e o Breve Inventário de Dor foram utilizados para avaliar a QVRS e a dor no baseline (BL) e a cada 16 semanas durante o tratamento. A progressão da dor foi definida como ≥2 pontos nos itens de gravidade da dor.

As características e escores do baseline foram semelhantes entre os braços com baixa dor (mediana 0) e alta QVRS (mediana do escore total do FACT-P, 121). A proporção de pacientes com progressão da dor na semana 49 foi semelhante entre ENZA (11-20%) e placebo (14% a 21%). Um menor risco de progressão da dor foi observado com ENZA vs. Placebo na análise con_rmed (hazard ratio [HR] 0,78-0,93; p> 0,05).

O trabalho mostrou que no PROSPER, a enzalutamida atrasou significativamente a sobrevida livre de metástases em comparação com placebo sem agravar a qualidade de vida relacionada à saúde e reduziu significativamente o risco de deterioração clinicamente significativa da QVRS em vários domínios do FACT-P. A progressão da dor foi igualmente baixa em ambos os braços.

A outra análise avaliou a associação entre qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) e os desfechos clínicos. Os pesquisadores utilizaram o estudo PROSPER para avaliar (a) a relação entre o tempo para a deterioração da QVRS e a resposta do antígeno prostático específico (PSA) e (b) a associação entre a QVRS e a sobrevida livre de metástase (MFS).

No total, 723 de 1401 (52%) pacientes foram confirmados como respondedores de PSA, significativamente menos propensos a deterioração em todos os escores do FACT-P em comparação com os não respondedores ([HR] 0,56-0,82), exceto no bem-estar físico (PWB) [HR 0,90; p = 0,244]. Quando o tratamento é incluído no modelo, foram observados efeitos mais fortes, explicados por 98% dos respondedores de PSA que receberam ENZA. A maioria dos escores do FACT-P foi prognóstico para MFS (7 de 10 escores). Cada aumento de 10 pontos no escore total do FACT-P (ou seja, melhora) foi associado com um risco diminuído de 6% de metástase (HR [95% IC] 0,94 [0,88, 1,00]).

Cada aumento de 3 pontos na subescala de bem-estar físico, bem-estar emocional ou câncer de próstata foi associado a 14% (0,86 [0,81, 0,92]), 12% (0,88 [0,78, 0,99]) e 9% (0,91 [0,86, 0,96]) de diminuição do risco de metástase, respectivamente.

Em conclusão, o trabalho indica que uma redução de 50% no PSA do baseline resultaria em redução do risco de deterioração da QVRS, mostrando também uma relação entre as mudanças do baseline na QVRS e as metástases. Assim, os resultados relatados pelo paciente não são úteis apenas para descrever a experiência do paciente em ensaios clínicos, mas podem complementar os métodos tradicionais de prática clínica para monitorar a progressão da doença.

Referências:  1 - Health-related quality of life (HRQoL) deterioration and pain progression in men with non-metastatic castration-resistant prostate cancer (M0 CRPC): Results from the PROSPER study.

2 - Association between health-related quality of life (HRQoL) and clinical outcomes in non-metastatic castration-resistant prostate cancer (M0 CRPC): Results from the PROSPER study.