Pr__stata_Nova_NET_OK.jpgEm 2011, a US Preventive Services Task Force emitiu uma recomendação de que o PSA não deveria ser utilizado para o rastreamento do câncer de próstata em homens, independentemente da idade. Uma análise dos dados de cerca de 87.500 homens tratados para câncer de próstata desde 2005 apresentou um aumento notável em casos de maior risco da doença entre 2011 e 2013.

Segundo a análise retrospectiva apresentada no 2015 Genitourinary Cancers Symposium, a proporção de homens diagnosticados com doença de risco intermediário e alto aumentou em cerca de 6% nesse período. Apesar do aumento da mortalidade ainda não ter sido observado, os autores estimam que esta aparente tendência poderia produzir 1.400 mortes adicionais por câncer de próstata por ano. A estimativa tem como base os 233 mil novos casos de câncer de próstata em 2014 e considera as taxas de sobrevida pela doença em 10 anos, que são cerca de 95% para homens com tumores de baixo risco, de 75%-90% para risco intermediário, e de 60%-80% para a doença de alto risco.Os autores enfatizam, no entanto, que os resultados devem ser confirmados por meio de novas pesquisas.

Métodos e resultados

No estudo, os pesquisadores analisaram dados de 87.562 homens diagnosticados com câncer de próstata entre janeiro de 2005 e junho de 2013. Os dados dos pacientes foram coletados a partir da National Oncology Data Alliance (NODA, uma marca registrada da Elekta Medical Systems), um banco de dados que reúne casos de câncer em mais de 150 hospitais norte-americanos. Esta base de dados foi selecionada porque incluía registros de 2011-2013 que não estavam disponíveis no Surveillance, Epidemiology, and End Results (SEER) no momento da análise.

No entanto, os autores observam que os dados apresentados ao NODA são os mesmos que os submetidos aos registros estaduais de tumores e, posteriormente, ao SEER. Os investigadores coletaram informações sobre data do diagnóstico, idade, raça, estadio T, pontuação de Gleason e PSA. Os pacientes foram classificados em grupos de risco, de acordo com critérios do National Comprehensive Cancer Network (NCCN).

O nível de PSA no sangue superior a 10 significa câncer de próstata de risco intermediário ou alto, independentemente do estadio do tumor e grau. De 2005 a 2011, a proporção de homens com câncer de próstata e PSA superior a 10 diminuiu gradualmente. Entre 2011 e 2013, no entanto, a proporção de homens diagnosticados com câncer intermediário ou de alto risco, com base no nível de PSA no sangue, aumentou 3% ao ano (p <0,0004).

A fração de homens com idade ≥75 anos com PSA> 10 aumentou quase o dobro da taxa observada para homens de todas as idades no mesmo período. Não foram observadas tendências significativas na escala de Gleason; no geral, a frequência de homens com estadios T mais elevados diminuiu ao longo do período, sem uma mudança notável depois de 2011. O percentual de homens com câncer de risco intermediário ou alto ficou estável em 70%-73% antes de 2011, mas cresceu 2,9% por ano depois 2011 (p <0,003).

"Nosso estudo é o primeiro a medir as mudanças na apresentação do câncer de próstata após as recomendações de rastreamento do PSA da US Preventive Services Task Force", disse o principal autor do estudo, Timothy E. Schultheiss, da City of Hope, em Duarte, Califórnia. "Diante do aumento dos casos de câncer de próstata de risco intermediário e alto risco observado em nossa análise durante este período, os homens que estão em risco aumentado para câncer de próstata, especialmente aqueles com história familiar da doença, devem conversar com o seu médico sobre o exame de PSA", diz.

Segundo Charles Ryan, expert da ASCO, este estudo, embora preliminar, acrescenta uma nova visão para o debate em curso sobre os riscos e benefícios do exame PSA para o câncer de próstata. "Estes resultados por si só não garantem mudanças na prática médica, mas sugerem que os homens devem continuar a ser incentivados a conversar com seus médicos sobre o rastreamento para decidir se é adequado ou não para o seu caso", diz
Os pesquisadores planejam atualizar esta análise assim que novos dados de registro estiverem disponíveis.

Referência: Abstract 143 - Increase in higher risk prostate cancer cases following new screening recommendation by the US Preventive Services Task Force (USPSTF).