04082021Qua
AtualizadoTer, 03 Ago 2021 4pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Efeito Angelina Jolie e os destaques do Breast Cancer Symposium 2014

Mama_NET_OK.jpgEstudo liderado por Jacques Raphael, do Sunnybrook Odette Cancer Center, em Toronto, foi um dos destaques do Breast Cancer Symposium 2014 realizado de 4 a 6 de setembro na Califórnia e mostrou que seis meses depois da mastectomia bilateral de Angelina Jolie a procura pelo teste genético para BRCA teve aumento de quase 90% no centro canadense. 

Pesquisadores fizeram uma análise retrospectiva dos registros do Sunnybrook Odette Cancer Center e demonstraram que um total de 916 mulheres procuraram os testes genéticos entre maio de 2013 e novembro 2013 em comparação com 487 nos 6 meses anteriores.

Outro estudo canadense que chamou a atenção no Breast Cancer Symposium 2014 foi apresentado por Elisa K. Chan, radioterapeuta do Saint John Regional Hospital em New Brunswick. O estudo envolveu mulheres de 52 a 74 anos e mostrou que uma carta personalizada enviada pelo médico às pacientes melhorou em 70% as taxas de rastreio mamográfico.

Recorrência loco-regional

O oncologista Eleftherios Mamounas esteve à frente de um dos destaques apresentados no ASCO Breast Cancer Symposium 2014. Mamounas, da Universidade da Flórida, coordenou o estudo sobre preditores de recorrência loco-regional, que concluiu que a resposta patológica à quimioterapia neoadjuvante e o subtipo do tumor do paciente são dois importantes preditores de recorrência do câncer de mama e podem ser superiores ao estadiamento para prever a recidiva. Os resultados da análise consideraram 11.995 mulheres em 12 ensaios clínicos.
Status do receptor hormonal e tratamento em câncer de mama inicial

Os resultados de um estudo apresentado no 2014 ASCO Breast Conference mostraram que as mulheres diagnosticadas com câncer de mama em estadio inicial, com receptor hormonal positivo (HR+) que são submetidas à cirurgia seguida por radiação têm taxas de sobrevida ligeiramente melhores do que as mulheres que fizeram mastectomia ou apenas a cirurgia.

A mastectomia e a cirurgia conservadora da mama, seguida ou não de radiação, foram estabelecidas como intervenções equivalentes em termos de sobrevida para câncer de mama inicial. No entanto, os estudos que compararam essas abordagens são anteriores ao período da compreensão da heterogeneidade do tumor. Diante disso, um grupo de pesquisadores do MD Anderson Cancer Center, liderados por Catherine Parker, levantou a hipótese de que o status do receptor hormonal poderia afetar as taxas de sobrevida de acordo com a abordagem cirúrgica dessas pacientes.

Os pesquisadores analisaram os registros de saúde de 16.646 mulheres do National Cancer Database (NCDB) diagnosticadas com câncer de mama inicial e tratadas durante 2004 e 2005. Dessas mulheres, 11.214 (67%) foram tratadas com cirurgia mais radioterapia; 3587 (22%) foram tratadas com mastectomia e 1845 (11%) apenas com cirurgia. As mulheres foram acompanhadas por cerca de 7 anos. Cerca de 72% dos casos eram de câncer receptor hormonal positivo.

As pacientes submetidos à cirurgia com radiação tiveram resultados de sobrevida superiores em comparação com aquelas submetidas à mastectomia ou cirurgia conservadora sem radiação. A sobrevida global (SG) em 5 anos foi de 96% versus 90% vs 87%, respectivamente ( p <0,001).

Após o ajuste para outros fatores de risco, a cirurgia seguida de radiação permaneceu significativamente associada com melhor SG (HR 0,57 [95% CI 0,50, 0,66] comparada à cirurgia sem radiação; HR 0,67 [IC 95% 0,6, 0,76]. Na coorte combinada (1.706 pacientes em cada grupo de tratamento), a comparação de sobrevida global na análise multivariada confirmou o benefício de SG associado à cirurgia seguida de radiação sobre a mastectomia (HR 0,73 [95% CI, 0,59, 0,89]) no subconjunto receptor hormonal positivo (HR+), mas não no subconjunto hormonal negativo (HR-) (HR 0,91 [95% CI 0,62, 1,34]). A cirurgia seguida de radiação apresentou melhor SG tanto nos subconjuntos HR+ e HR- (HR 0,63 [95% CI, 0,52, 0,77], HR 0,67 [95% CI 0,46, 0,98], respectivamente.

Não foram observadas diferenças na sobrevida global entre a mastectomia e a cirurgia conservadora sem radiação em qualquer coorte HR (HR 0,87 [95% CI. 0,73, 1,03]), HR 0,73 [95% CI 0,51, 1,06]).
 


Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519