22042024Seg
AtualizadoSex, 19 Abr 2024 10pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

 

ESMO 2023

Selpercatinib mostra ganho de SLP no CPCNP RET+

guilherme harada 23Resultados de estudo de fase 3 apresentados no ESMO 2023, com publicação simultânea na New England Journal of Medicine, mostram que selpercatinib prolongou significativamente a sobrevida livre de progressão comparado à quimioterapia à base de platina com ou sem pembrolizumab em pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas avançado positivo para fusão RET. “É um estudo que consolida selpercatinib em primeira linha para essa população de pacientes”, diz o oncologista Guilherme Harada (foto), do Centro de Oncologia do Hospital Sírio-Libanês, que comenta os principais achados.

Neste estudo randomizado de fase 3 (LIBRETTO-431), os pesquisadores avaliaram a eficácia e segurança de selpercatinib na primeira linha em comparação com o tratamento controle, que consistia em quimioterapia à base de platina com ou sem pembrolizumabe, a critério do investigador. O endpoint primário foi a sobrevida livre de progressão (SLP) avaliada por revisão central independente e cega, tanto na população com intenção de tratar com pembrolizumabe, quanto na população geral com intenção de tratar. O cruzamento de participantes do grupo controle para o grupo de intervenção com selpercatinib foi permitido na progressão da doença.

Resultados

No total, 212 pacientes foram submetidos à randomização na população com intenção de tratar – pembrolizumabe. No momento da análise de eficácia interina pré-planejada, a sobrevida livre de progressão mediana foi de 24,8 meses (intervalo de confiança [IC] de 95%, 16,9 a não estimável) com selpercatinib e de 11,2 meses (IC 95%, 8,8 a 16,8) no braço tratamento controle (razão de risco para progressão ou morte, 0,46; IC 95%, 0,31 a 0,70; P<0,001).

Os resultados mostram que a parcela de pacientes com resposta objetiva foi de 84% (IC 95%, 76 a 90) com selpercatinib e de 65% (IC 95%, 54 a 75) com o tratamento do braço controle. A razão de risco específica para o tempo até à progressão que afeta o sistema nervoso central foi de 0,28 (IC 95%, 0,12 a 0,68). Os resultados de eficácia na população geral com intenção de tratar (261 pacientes) foram semelhantes aos da população com intenção de tratar – pembrolizumab.

“O estudo LIBRETTO-431 foi positivo para o seu desfecho primário, com hazard ratio 0.46, uma sobrevida livre de progressão significativamente superior ao braço controle e com elevadas taxas de resposta, tanto sistêmica quanto intracraniana, mostrando então a ótima atividade dessa medicação” analisa Harada. “São resultados que corroboram ainda mais a importância a necessidade do Painel molecular do câncer de pulmão quanto antes.

Em relação à segurança, os eventos adversos que ocorreram com selpercatinib e o tratamento controle foram consistentes com os relatados anteriormente.

Em conclusão, o tratamento com selpercatinib prolongou significativamente a sobrevida livre de progressão comparado à quimioterapia à base de platina com ou sem pembrolizumabe em pacientes com CPCNP avançado positivo para fusão RET (RET+).

Este estudo está registrado na plataforma ClinicalTrials.gov:NCT04194944.

Referências:

1 - LBA 4 - Randomized phase III study of first line selpercatinib versus chemotherapy and pembrolizumab in RET fusion-positive NSCLC

2 - October 21, 2023 -  DOI: 10.1056/NEJMoa2309457

Leia mais: LIBRETTO-431: selpercatinib mostra ganho de SLP no CPCNP RET+

 

Publicidade
ABBVIE
Publicidade
ASTRAZENECA
Publicidade
SANOFI
Publicidade
ASTELLAS
Publicidade
NOVARTIS
banner_assine_300x75.jpg
Publicidade
300x250 ad onconews200519