18012021Seg
AtualizadoSeg, 18 Jan 2021 1pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

FDA aprova avelumabe como tratamento de manutenção no carcinoma urotelial

approved NET OKA Food and Drug Administration (FDA) aprovou o anti-PD-L1 avelumabe (BAVENCIO®) para o tratamento de manutenção de pacientes com carcinoma urotelial (UC) localmente avançado ou metastático que não progrediram à primeira linha de tratamento com quimioterapia com platina. A aprovação é baseada nos resultados do estudo de Fase III JAVELIN Bladder 100, apresentados em Sessão Plenária no ASCO 2020.

Os resultados demonstraram uma melhora significativa de 7,1 meses na mediana de sobrevida global (SG) com avelumabe como manutenção de primeira linha mais melhores cuidados de suporte (BSC) em comparação com o BSC isolado: 21.4 meses (95% CI: 18,9 a 26,1) vs. 14,3 meses (95% CI: 12,9 a 17,9).

Essa melhora estatisticamente significativa na SG representa uma redução de 31% no risco de morte na população em geral (HR 0,69; 95% CI: 0,56 a 0,86; 2-sided P=0,001).1 A SG foi mensurada a partir do momento da randomização, após os pacientes terem sido tratados com quatro a seis ciclos de gemcitabina mais cisplatina ou carboplatina por um período de aproximadamente quatro meses.2

"Como a primeira imunoterapia a demonstrar uma melhora estatisticamente significativa na sobrevida global no cenário de primeira linha no carcinoma urotelial metastático localmente avançado ou metastático, a aprovação do avelumabe pela FDA é um dos avanços mais significativos no paradigma de tratamento nesse cenário em 30 anos", disse Petros Grivas, um dos principais pesquisadores do estudo JAVELIN Bladder 100. "Com a mediana de sobrevida global de mais de 21 meses medida a partir da randomização, a maior sobrevida global em um estudo de Fase III em carcinoma urotelial avançado, o regime JAVELIN Bladder 100 com avelumabe como tratamento de manutenção de primeira linha tem o potencial de se tornar um novo padrão de atendimento baseado em sua capacidade comprovada de reforçar o benefício (resposta ou doença estável) da quimioterapia de indução e prolongar a vida dos pacientes".

Atualmente, a quimioterapia baseada em platina é o padrão de tratamento de primeira linha para pacientes elegíveis com doença avançada, com base em altas taxas de resposta inicial. No entanto, a maioria dos pacientes acaba experimentando a progressão da doença dentro de nove meses após o início do tratamento3,4, e apenas 5% dos pacientes com doença metastática no diagnóstico vivem mais de cinco anos.5

Para pacientes que não progridem à quimioterapia baseada em platina, o avelumabe é administrado como tratamento de manutenção de primeira linha até a progressão da doença ou toxicidade inaceitável.

O FDA havia aprovado o avelumabe sob o programa de aprovação acelerada em 2017 para o tratamento de pacientes com carcinoma urotelial localmente avançado ou metastático cuja doença progrediu durante ou após quimioterapia contendo platina ou que tenham progressão da doença no período de 12 meses após o tratamento neoadjuvante ou adjuvante com platina contendo quimioterapia, com base na taxa de resposta do tumor e duração da resposta. A aprovação contínua dependia da verificação do benefício clínico, demonstrado no JAVELIN Bladder 100.

Sobre JAVELIN Bladder 100 

O JAVELIN Bladder 100 (NCT02603432)2 é um estudo randomizado de fase III, multicêntrico, aberto, que avalia o tratamento de primeira linha com avelumabe mais BSC versus BSC isolado em pacientes com carcinoma urotelial localmente avançado ou metastático que não progrediram à quimioterapia de primeira linha contendo platina (RECIST v1.1).

Um total de 700 pacientes foram randomizados para receber avelumabe (infusão intravenosa de 10 mg/kg a cada 2 semanas) mais BSC (n = 350) ou BSC isolado (n = 350). O endpoint primário foi a SG em todos os pacientes randomizados e pacientes com tumores PD-L1+ definidos pelo ensaio Ventana SP263. Os desfechos secundários incluíram sobrevida livre de progressão, atividade antitumoral, segurança, farmacocinética, imunogenicidade, biomarcadores preditivos e resultados relatados pelos pacientes nas duas populações.

Todos os endpoints primários e secundários foram avaliados a partir do momento da randomização, após a conclusão de quatro a seis ciclos de quimioterapia. Foram excluídos pacientes com doença autoimune ou condição médica que necessitava de imunossupressão.

Nos pacientes PD-L1-positivo (n = 358, 51%), o risco de morte foi reduzido em 44% no braço avelumabe versus o braço controle (HR 0,56; 95% CI: 0,40 a 0,79; 2-sided p-value <0.001). Resultados consistentes foram observados nos subgrupos pré-especificados de resposta completa ou parcial versus doença estável à quimioterapia de primeira linha. Em uma análise exploratória de pacientes com tumores PD-L1-negativo (n = 271, 39%), o hazard ratio de SG foi de 0,85 (95% CI: 0,62, 1,18).

Um evento adverso fatal (sepse) ocorreu em um (0,3%) paciente que recebeu avelumabe mais BSC. Reações adversas graves ocorreram em 28% dos pacientes que receberam avelumabe mais BSC. As reações adversas graves em ≥1% dos pacientes incluíram infecção do trato urinário (incluindo infecção renal, pielonefrite e urosepsia, 6,1%), dor (incluindo dor abdominal, lombar, óssea, flanco, extremidade e pélvica, 3,2%), lesão renal aguda (1,7%), hematúria (1,5%), sepse (1,2%) e reação relacionada à infusão (1,2%). As reações adversas mais comuns (≥20%) nos pacientes que receberam avelumabe mais BSC foram fadiga, dor musculoesquelética, infecção do trato urinário e erupção cutânea.

Referências:

1 - BAVENCIO Prescribing Information. Rockland, MA: EMD Serono Inc.; 2020.

2 - Powles T, et al. "Maintenance avelumab + best supportive care (BSC) versus BSC alone after platinum-based first-line chemotherapy in advanced urothelial carcinoma: JAVELIN Bladder 100 phase III results." 2020 ASCO Annual Meeting, 31 May 2020, virtual. Conference Presentation.

3 - Bukhari N, et al. Update on the treatment of metastatic urothelial carcinoma. ScientificWorldJournal. 2018;2018:5682078.

4 - Von der Maase H, et al. Long-term survival results of a randomized trial comparing gemcitabine plus cisplatin, with methotrexate, vinblastine, doxorubicin, plus cisplatin in patients with bladder cancer. Journal of Clinical Oncology. 2005;23(21):4602-4608.

5 - SEER. Cancer stat facts: bladder cancer. https://seer.cancer.gov/statfacts/html/urinb.html. Accessed June 2020.


Publicidade
banner pfizer 2018 institucional 300x250px
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
IBCC
Publicidade
300x250 ad onconews200519