25112020Qua
AtualizadoTer, 24 Nov 2020 4pm

Conheça o Podcast Onconews no Spotfy

FDA aprova ripretinib para o tratamento de quarta linha de GIST

aprovado 2019 bxA agência norte-americana Food and Drug Administration (FDA) aprovou o ripretinib (QINLOCK™, Deciphera Pharmaceuticals, Inc.) para a quarta linha de tratamento de pacientes adultos com tumor estromal gastrointestinal avançado (GIST) que receberam tratamento prévio com 3 ou mais inibidores de quinase, incluindo o imatinibe. A aprovação é baseada no estudo de Fase III INVICTUS.

“Apesar do progresso feito nos últimos 20 anos no desenvolvimento de tratamentos para o GIST, incluindo quatro terapias-alvo aprovadas pela FDA - imatinibe em 2002, sunitinibe em 2006, regorafenibe em 2013 e avapritinibe no início deste ano - alguns pacientes não respondem ao tratamento e seus tumores continuam progredindo. A aprovação de hoje fornece uma nova opção de tratamento para pacientes que esgotaram todas as terapias aprovadas para GIST”, disse Richard Pazdur, diretor do Oncology Center of Excellence da FDA e diretor interino do Office of Oncologic Diseases in the FDA’s Center for Drug Evaluation and Research.

A aprovação é baseada nos resultados de eficácia do estudo de Fase III INVICTUS, multicêntrico, randomizado, duplo-cego, placebo-controlado, a segurança, tolerabilidade e eficácia de ripretinib em comparação com placebo em pacientes com GIST avançado cujas terapias anteriores incluíram imatinibe, sunitinibe e regorafenibe, bem como nos resultados de segurança combinados do INVICTUS e do estudo de Fase I de ripretinib.

Os pacientes foram randomizados 2: 1 para 150 mg de ripretinib ou placebo uma vez ao dia, em ciclos de 28 dias até a progressão da doença ou toxicidade inaceitável. Após a progressão da doença, os pacientes que foram randomizados para placebo tiveram a opção de receber ripretinib. O endpoint primário de eficácia é a sobrevida livre de progressão (SLP), avaliado por uma revisão radiológica independente, usando os critérios RECIST.

O ripretinib demonstrou uma mediana de sobrevida livre de progressão de 6,3 meses em comparação com 1,0 mês no grupo placebo e reduziu significativamente o risco de progressão ou morte da doença em 85% (hazard ratio de 0,15, p <0,0001). Os endpoints secundários, conforme determinado por uma revisão radiológica independente usando RECIST modificado, incluíram taxa de resposta objetiva (ORR) e a sobrevida global (SG). Ripretinib demonstrou uma ORR de 9,4% em comparação com 0% para o placebo (p = 0,0504), e uma mediana de SG de 15,1 meses em comparação com 6,6 meses no grupo placebo, com redução do risco de morte em 64% (hazard ratio 0,36).

As reações adversas mais comuns (≥20%) foram alopécia, fadiga, náusea, dor abdominal, constipação, mialgia, diarreia, diminuição do apetite, síndrome da eritrodisestesia palmar-plantar (EPP) e vômito. Reações adversas que resultaram em descontinuação permanente ocorreram em 8% dos pacientes, interrupções de dose devido a uma reação adversa ocorreram em 24% dos pacientes e reduções de dose devido a uma reação adversa ocorreram em 7% dos pacientes que receberam ripretinib.

Referência: https://www.fda.gov/news-events/press-announcements/fda-approves-first-drug-fourth-line-treatment-advanced-gastrointestinal-stromal-tumors

Publicidade
banner pfizer 2018 institucional 300x250px
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
IBCC
Publicidade
300x250 ad onconews200519