24112020Ter
AtualizadoTer, 24 Nov 2020 4pm

Conheça o Podcast Onconews no Spotfy

PACE: avaliação da prostatectomia robótica

Robotic_Prostatectomy_NET_OK.jpgA edição de maio do Journal of Urology destaca o trabalho de Khurshid A. Guru et al, que desenvolveram e validaram uma ferramenta de avaliação para uso durante a prostatectomia robótica.

A capacidade de medir objetivamente e de forma confiável o desempenho dos cirurgiões assume papel crítico no desenvolvimento de qualquer programa de treinamento cirúrgico. Os autores fornecem uma ferramenta de avaliação promissora, mas lembram que os dados ainda são preliminares e novos estudos precisam ser feitos para confirmar sua utilidade.
 
Métodos
 
O estudo mostrou o desenvolvimento e validação da PACE (Prostatectomy Evaluation and Competence Evaluation), uma ferramenta objetiva e específica para avaliar a qualidade da prostatectomia radical robótica.
 
A PACE avaliou 7 domínios-chave, utilizando a metodologia Delphi. Foram considerados entre os critérios de desempenho a queda da bexiga, assim como a habilidade do cirurgião na preparação da próstata, vesícula seminal e dissecção do plano posterior, além da preservação do feixe neurovascular.
 
Para os autores, o PACE é uma ferramenta estruturada, específica para avaliar a prostatectomia radical por robótica, capaz de medir objetivamente o desempenho do cirurgião. A vantagem, segundo os autores, é permitir identificar diferentes níveis de especialização e fornecer feedback estruturado para personalizar o treinamento e melhorar a qualidade cirúrgica.

O médico Lucas Nogueira, coordenador de Oncologia Urológica do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e membro da Sociedade Brasileira de Urologia, lembra que a prostatectomia radical continua sendo um procedimento com grande variabilidade de resultados entre diferentes cirurgiões, independentemente da técnica aplicada. “Resultados (funcionais e oncológicos) e taxas de complicações peri e pós-operatórias apresentam grande variabilidade, sendo importante não somente o número de procedimentos realizados anteriormente por determinado cirurgião, mas também a técnica individualmente utilizada.Neste sentido, a curva de aprendizado do procedimento apresenta extensão variável e sua proficiência é avaliada de acordo com os resultados e complicações”, diz.

Para o especialista, “este novo sistema apresenta-se como uma ferramenta promissora no treinamento da prostatectomia radical assistida por robô, auxiliando o desenvolvimento de cada passo do procedimento. Deve-se salientar que curvas de aprendizado em procedimentos cirúrgicos apresentam ampla variabilidade individual, não se devendo colocar limites muito rígidos. Resta acrescentar que a proficiência em cada um dos domínios avaliados deve se traduzir em melhores taxas de resultados oncológicos e funcionais, e também na menor ocorrência de complicações peri e pós-operatórias”, resume.
 

Referência: Development and Validation of an Objective Scoring Tool for Robot-Assisted Radical Prostatectomy: Prostatectomy Assessment and Competency EvaluationKhurshid A. Guru et al - DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.juro.2016.11.100 - The Journal of Urology, May 2017 Volume 197, Issue 5, Pages 1237–1244



 
 


Publicidade
banner pfizer 2018 institucional 300x250px
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
IBCC
Publicidade
300x250 ad onconews200519