13062021Dom
AtualizadoQui, 10 Jun 2021 9pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

2021

Comunicação, adesão ao tratamento e relação médico-paciente

Medico e paciente NET OKPedro Henrique Perillo, da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás (UFG), é primeiro autor de trabalho apresentado no BBCS 2021 que avaliou a influência da comunicação no diagnóstico do câncer de mama e as repercussões no tratamento, utilizando como parâmetro o Centro Avançado de Diagnóstico de Câncer de Mama (CORA / HC-UFG) em Goiânia-GO.

O câncer de mama é o câncer com maior incidência em mulheres no Brasil. A revelação desse diagnóstico é considerada um momento crucial com reflexos na relação médico-paciente, e embora a comunicação de más notícias seja uma das práticas mais frequentes entre os médicos, as dificuldades são comuns.

Nesse estudo qualitativo e integrativo selecionou 6 artigos nas bases de dados PubMed, Scielo e MedLine. As palavras-chave utilizadas foram ‘comunicação’, ‘diagnóstico’, ‘câncer de mama’, ‘adesão ao tratamento’ e ‘relação médico-paciente’. Com base nos resultados, foi feita uma comparação com a prática realizada no CORA/HC-UFG.

Resultados

Por meio da análise dos artigos, observou-se que a notificação do diagnóstico de câncer é considerada um momento crítico e a forma como os profissionais notificam o paciente interfere diretamente na relação do paciente com o próprio diagnóstico. “Cabe aos profissionais prestar apoio psicológico e informativo no momento do diagnóstico, a fim de diminuir sentimentos pessimistas e evitar o abandono do acompanhamento médico-hospitalar”, observam os autores.

Além disso, ao analisar o atendimento prestado no CORA, percebe-se que a adoção de uma comunicação mais humanizada e multiprofissional, com o auxílio da equipe psicológica, promove melhor aceitação e adesão ao tratamento.

“A notificação do câncer deve ser feita da forma mais empática possível, utilizando técnicas da psicologia e da comunicação, para que o paciente receba informações sobre sua situação de saúde de forma acolhedora. Além disso, embora a comunicação diagnóstica seja um ato médico, a presença de um psicólogo para dar suporte ao paciente tem mostrado benefícios”, concluem.

Referência: Interference of breast cancer communication On treatment adherence and the doctor-patient Relationship. - Pedro Henrique A. Perillo, Vinicius L. Nascimento, Laís M. Queiroz, Ianca L. Santos, Ana Carla M. Miranda, Débora S.A. Cardoso. 

Publicidade
NEXT FRONTIERS 2021
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519