16072020Qui
AtualizadoQua, 15 Jul 2020 3pm

Conheça o Podcast Onconews no Spotfy

ASCO 2020

Resultados encorajadores no mesotelioma pleural maligno

Pulm o 2017 NET OKEstudo de Fase II de braço único selecionado para sessão oral na ASCO 2020 mostrou que a associação do anti-PD-L1 durvalumabe  (durva) à quimioterapia com cisplatina (C) e pemetrexede (P)  pode ampliar a sobrevida de pacientes com mesotelioma  pleural maligno irressecável.  A apresentação foi de Patrick M. Forde, do Johns Hopkings Sidney Kimmel Comprehensive Cancer Center.

Neste estudo (PrE0505) foram elegíveis pacientes com mesotelioma pleural maligno (MPM) cirurgicamente irressecável. O endpoint primário foi sobrevida global (SG); pacientes receberam até 6 ciclos de durvalumabe com cisplatina-pemetrexede, seguidos de manutenção com durvalumabe por até 1 ano.

A carboplatina foi permitida para pacientes com déficit de audição ou insuficiência renal. As primeiras 15 pacientes foram monitoradas quanto a toxicidades limitantes da dose (TLDs). Os endpoints secundários incluíram toxicidade, resposta objetiva por RECIST modificado, sobrevida livre de progressão (SLP) e análises correlatas. Com base amostral de 55 pacientes e 32 eventos, o estudo tem poder de  90% para detectar um benefício de 58% na mediana de SG em 12 meses  (controle histórico) para 19 meses com durva-CP.

Resultados

O ensaio PrE0505 registrou 55 pacientes em 15 centros nos EUA entre junho de 2017 e junho de 2018. A  amostra foi composta de subtipos histológicos  epitelioides (75%), bifásicos (11%), sarcomatoides (13%) e desmoplásticos (2%).

Não houve TLDs durante este período de análise. Em janeiro de 2020, o acompanhamento médio foi de 20,6 meses e ocorreram 29 mortes. A SG mediana foi de 21,1 meses. A taxa de SG em 12 meses foi de 70% com intervalo de confiança (IC) de 95% (56%, 81%) e IC de 80% (62%, 78%). Em 24 meses, a SG foi de 44%, com IC de 95% (30%, 57%).

O sequenciamento de exoma, o TCR e a dupla coloração de PD-L1 / CD8 foram concluídos em tumores basais de pelo menos 45 dos 55 pacientes inscritos, bem como o sequenciamento de RNA para aqueles com tecido adequado para análise. Os resultados iniciais mostram que os tumores apresentavam carga média de mutação tumoral de 22 alterações na sequência somática e níveis variados de aneuploidia.

Em relação ao perfil de toxicidade, os eventos adversos de todos os graus incluíram fadiga (37, 67%), náusea (31, 56%), anemia (31, 56%), constipação (30, 54%) e dispneia (19, 34%). Os eventos adversos de graus 3/4 mais frequentes foram fadiga (4, 7%) e anemia (14, 25%). 

 “A combinação de quimioterapia com durvalumabe proporcionou SG mediana promissora para pacientes com MPM irressecável, sem tratamento prévio”, concluíram os autores.

Serão relatados os resultados completos do estudo.

Informações sobre o ensaio clínico na ClinicalTrials.gov: NCT02899195

Referência: 

PrE0505: Phase II multicenter study of anti-PD-L1, durvalumab, in combination with cisplatin and pemetrexed for the first-line treatment of unresectable malignant pleural mesothelioma (MPM)—A PrECOG LLC study. - J Clin Oncol 38: 2020 (suppl; abstr 9003) - DOI:10.1200/JCO.2020.38.15_suppl.9003

First Author: Patrick M. Forde, MD
Meeting: 2020 ASCO Virtual Scientific Program
Session Type: Oral Abstract Session
Session Title: Lung Cancer—Non-Small Cell Local-Regional/Small Cell/Other Thoracic Cancers
Track: Lung Cancer—Non-Small Cell Local-Regional/Small Cell/Other Thoracic Cancers
Subtrack: Mesothelioma
Abstract #: 9003

Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
300x250 ad onconews200519