16012022Dom
AtualizadoQui, 13 Jan 2022 6pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Entendendo a técnica FISH

Murad 2019 bxO oncologista André Murad (foto) explica a técnica da hibridização fluorescente in situ (FISH), em mais um tópico da coluna ‘Drops de Genômica’. Confira.

Por André Marcio Murad*

A hibridização fluorescente in situ (FISH) é uma técnica molecular baseada na detecção de pequenos segmentos de DNA ou RNA a partir de "sondas" específicas. As sondas são sequências de nucleotídeos complementares desenvolvidas a partir de segmentos conhecidos do DNA ou RNA que se deseja identificar, ligados a um marcador fluorescente ou radioativo, que por sua vez vai detectar anomalias cromossômicas que estão além do poder de resolução da citogenética de rotina, como microdeleções e rearranjos cromossômicos complexos.  

 A FISH utiliza-se da capacidade do DNA de ser reversivelmente desnaturado e renaturado. Muitas técnicas em biologia molecular usam hibridização para detectar um DNA específico em uma mistura complexa. Tanto a sonda quanto o DNA alvo são desnaturados e misturados. Quando as condições são restauradas para permitir a renaturação, a sonda encontrará quaisquer sequências complementares na mistura e formará um híbrido. No caso da FISH, o DNA alvo é uma propagação real de metáfase de cromossomos, ou células com cromossomos intactos. Isso permite a detecção de anormalidades cromossômicas complexas, como grandes deleções, inversões, duplicações e translocações.

drops fish ok

*André Murad é diretor científico do Grupo Brasileiro de Oncologia de Precisão (GBOP), diretor clínico da Personal - Oncologia de Precisão e Personalizada, professor adjunto coordenador da Disciplina de Oncologia da Faculdade de Medicina da UFMG, e oncologista e oncogeneticista da CETTRO Oncologia (DF)


Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
KITE PHARMA
Publicidade
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250

Estudos Clínicos

Estudo de mundo real deve retratar o cenário do câncer de mama RH+ HER2- no Brasil

Estudo de mundo real deve retratar o cenário do câncer de mama RH+ HER2- no Brasil

Latin American Cooperative Oncology Group (LACOG) espera incluir 300 participantes em um estudo observacional que pretende levantar dados de mundo real (real world data) no tratamento de primeira linha do câncer de mama metastático receptor hormonal positivo, HER 2 negativo. Este estudo foi um dos selecionados para suporte pelo Programa BRAVE com apoio da Novartis Brasil.

Leia Mais

Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519