26092021Dom
AtualizadoSex, 24 Set 2021 3pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Quimioirradiação neoadjuvante em câncer retal

ASTRO_2_NET_OK.jpgPacientes com câncer retal localmente avançado que receberam radioterapia pré-operatória com irinotecano mais capecitabina ou oxaliplatina e capecitabina têm uma taxa de sobrevida global em quatro anos de 85% e 75%, respectivamente. 

Os dados de longo prazo do estudo RTOG 0247 foram publicados na revista científica oficial da American Society for Radiation Oncology. A análise confirma que os esquemas de quimioirradiação simultâneos, seguidos de cirurgia, se revelaram uma abordagem altamente curativa para esses pacientes.

O estudo multicêntrico, randomizado, de fase II, considerou pacientes com câncer retal localmente avançado (T3 e T4) tratados com quimioirradiação neoadjuvante no período de março de 2004 a fevereiro de 2007. A análise do desfecho primário considerou a remissão completa dos dois regimes e os resultados iniciais demonstraram que os pacientes tratados com irinotecano mais capecitabina tiveram taxas mais baixas de resposta patológica completa (10%) em relação ao grupo tratado com oxaliplatina e capecitabina (21%).

O RTOG 0247 envolveu 146 pacientes de 59 instituições, de março de 2004 a fevereiro de 2007. Todos os pacientes receberam radioterapia pélvica pré-operatória de 50,4 Gy ao longo de cinco semanas e meia, com 45 Gy em 25 frações (1,8 Gy por fração, cinco frações por semana, durante cinco semanas) e um acréscimo de 5,4 Gy em três frações. Os pacientes foram randomizados em dois grupos de tratamento de quimioterapia concomitante à radioterapia: No braço 1, o esquema consistiu em quatro doses de irinotecano (50 mg / m2 IV semanal) e capecitabina (1200 mg/m2/dia por via oral, de segunda a sexta-feira. Os pacientes no braço 2 receberam radioterapia concomitante com cinco doses de oxaliplatina (50 mg / m2 IV semanais) e capecitabina (1600 mg/m2/dia por via oral, de segunda a sexta-feira. Todos foram submetidos à cirurgia no período de 4 a 6 semanas após o final da radioterapia e receberam o esquema FOLFOX quatro a seis semanas após a cirurgia. (FOLFOX inclui oxaliplatina, leucovorina e 5-fluorouacil (5-FU).

Ambos os braços do estudo foram temporariamente suspensos em janeiro de 2005 devido a graves eventos gastrointestinais. O estudo foi reaberto em abril de 2005 com mudanças no regime de quimioterapia. Cento e quatro (104) pacientes, 52 em cada braço, foram elegíveis e incluídos nesta análise. Os pacientes elegíveis tinham idade média de 57 anos; estadio clínico T3 ou T4, com adenocarcinoma de reto potencialmente ressecável, ≤ 12 centímetros da borda anal, sem evidência de metástases à distância.

As avaliações dos doentes foram realizadas semanalmente durante a quimioterapia; antes da cirurgia e antes de cada ciclo de quimioterapia pós-operatória. O acompanhamento foi realizado a cada três meses para os dois primeiros anos pós-tratamento; a cada seis meses para os próximos três anos e depois anualmente. A mediana de acompanhamento foi de 3,77 anos no braço 1 e de 3,97 anos no braço 2.

Após quatro anos de seguimento, os pacientes no braço 1 (capecitabina mais irinotecano) apresentaram taxa de sobrevida global (SG) de 85% e taxa de sobrevida livre de progressão (SLP) de 68%.  O braço 2 (oxaliplatina e capecitabina) apresentou taxa de SG de 75%, com 62% de sobrevida livre de progressão.

"A nova análise do RTOG 0247 nos fornece resultados de eficácia favoráveis aos dois regimes de quimioterapia pré-operatórios utilizados em conjunto com protocolos de radioterapia", disse Neal J. Meropol, envolvido na investigação.

"Essas taxas de sobrevida confirmam que os esquemas quimioirradiação simultâneos seguidos de cirurgia podem ser uma abordagem altamente curativa para pacientes com câncer retal localizado”, dizem os autores. “É importante encontrar novos biomarcadores para além da taxa de remissão local, com indicadores que podem nos ajudar a determinar quais pacientes serão curados e podem se beneficiar da quimioirradiação”, concluem.

Referência: Wong SJ, Inverno K, Meropol NJ, et ai. A terapia de radiação grupo de oncologia 0247: Um estudo randomizado de fase II de capecitabina neoadjuvante e irinotecano ou capecitabina e oxaliplatina com radioterapia concomitante para pacientes com câncer retal localmente avançado. Int J Radiat Oncol Biol Phys. 2012; 82: 1367-1375.
 

 

Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519