28112020Sáb
AtualizadoSex, 27 Nov 2020 1pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Cirurgia de resgate com preservação de órgão após vigilância no câncer retal

rodrigo lauraO cirurgião oncológico Rodrigo Perez (foto) é autor sênior de revisão retrospectiva publicada no periódico Diseases of the Colon & Rectum que analisa os resultados do resgate de pacientes com câncer de reto distal tratados com estratégia de Watch and Wait após resposta clínica completa. A cirurgiã Laura Melina Fernandez, da Fundação Champalimaud, em Lisboa, Portugal, é a primeira autora do trabalho.

“O estudo demonstrou que pacientes com estadiamento inicial cT2 submetidos à terapia neoadjuvante com o objetivo de atingir uma resposta clínica completa são mais propensos à uma nova abordagem com estratégia de preservação de órgão (excisão local) no momento do resgate para um recrescimento tumoral (regrowth) quando comparados a tumores com estadiamento inicialT3/T4 submetidos a quimiorradiação neoadjuvante por razões oncológicas”, esclarece Perez.

Pacientes com câncer retal que alcançaram resposta clínica completa após quimiorradiação neoadjuvante tem sido tratados de forma não-cirúrgica (watch and wait). Aproximadamente 30% desses pacientes podem desenvolver um novo crescimento local no intervalo de 3 anos. Geralmente a recomendação é ressecção de resgate com cirurgia radical. No entanto, pacientes selecionados detectados em estágios precoces e de pequenas dimensões podem ser submetidos a ressecções locais transanais como alternativa de preservação de órgão.

O estudo incluiu pacientes consecutivos com câncer retal distal (cT2-4N1-2M0) tratados por watch and wait e com recrescimento local de dois centros terciários independentes (Brasil e Portugal). As características patológicas finais e os resultados cirúrgicos e oncológicos foram comparados de acordo com o estadiamento radiológico inicial.

Resultados

Um total de 73 de 257 pacientes com resposta clínica completa tratados pela estratégia de watch and wait apresentaram novo crescimento local (regrowth). Tumores com estadiamento inicial cT2 apresentaram taxas de amputação abdomino-perineal do reto e achados anatomo-patológicos (ypT, ypN, R0; p> 0,05) no momento do resgate semelhantes quando comparados com pacientes com tumores com estadiamento inicial cT3 a cT4. No entanto, pacientes com estadiamento inicial cT2 foram mais propensos à possibilidade de um procedimento de resgate com preservação de órgãos através de ressecção local transanal (56,2% vs 26,5%; p = 0,03) no momento do recrescimento.

As taxas de sobrevida livre de recidiva local ou de sobrevida livre de doença metastática não foram diferentes entre os grupos conforme estadiamento inicial (cT2 vs. cT3/4). O tipo de resgate cirúrgico também não teve impacto na sobrevida livre de recidiva local. Pacientes submetidos à ressecção local trasanal (com preservação de órgão) no momento do resgate apresentaram sobrevida livre de doença metastática superior aos pacientes submetidos a cirurgia radical (p=0.04).

“Os resultados sugerem algumas conclusões com implicações práticas muito relevantes. Em primeiro lugar, embora os pacientes com câncer retal cT2 basal apresentassem estágio patológico semelhante no momento da recorrência, eles foram mais propensos ao procedimento de preservação de órgãos após o recrescimento local por meio de excisão local transanal quando comparados com cT3 a cT4”, afirma o cirurgião.

Ele ressalta que apesar da realização de procedimento menos agressivo e menos radical (sem excisão total do mesorreto ou linfadenectomia), não houve impacto negativo nos resultados oncológicos. “Pacientes submetidos a nova estratégia de preservação de órgão no momento da recidiva apresentaram resultados de sobrevida livre de recidiva local iguais aos pacientes submetidos a ressecções radicais. Curiosamente, provavelmente pela detecção do recrescimento em fase precoce de biologia tumoral favorável, pacientes tratados com ressecção local transanal apresentaram melhores resultados em termos de sobrevida livre de doença metastática”, conclui, acrescentando que a análise retrospectiva, o pequeno tamanho da amostra e possíveis imprecisões no estadiamento inicial inerentes aos exames radiológicos disponíveis são possíveis limitações do trabalho.

Referência: Fernandez, Laura M. M.D.; Figueiredo, Nuno L. M.D., Ph.D.; Habr-Gama, Angelita M.D., Ph.D.; São Julião, Guilherme P. M.D.; Vieira, Pedro M.D.; Vailati, Bruna B. M.D.; Nasir, Irfan M.R.C.S.; Parés, Oriol M.D.; Santiago, Inês M.D.; Castillo-Martin, Mireia M.D., Ph.D.; Carvalho, Carlos M.D.; Parvaiz, Amjad M.D, F.R.C.S.; Perez, Rodrigo Oliva M.D., Ph.D. Salvage Surgery With Organ Preservation for Patients With Local Regrowth After Watch and Wait: Is It Still Possible?, Diseases of the Colon & Rectum: August 2020 - Volume 63 - Issue 8 - p 1053-1062 doi: 10.1097/DCR.0000000000001707

 


Publicidade
banner pfizer 2018 institucional 300x250px
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
IBCC
Publicidade
300x250 ad onconews200519