05082021Qui
AtualizadoQui, 05 Ago 2021 2pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Identificação de microRNAs circulantes livres de células para a detecção precoce de câncer de mama

marcia marques barretos bx okEstudo do Hospital do Amor (Hospital de Câncer de Barretos) identificou subtipos-específicos de perfis moleculares de microRNAs livres de células adequados para detecção precoce de câncer de mama. A pesquisadora Marcia Marques (foto), coordenadora do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC/CNPq) do Hospital é a primeira autora do trabalho publicado no Journal of Oncology.

A detecção precoce é essencial para a redução na mortalidade por câncer de mama. A análise de microRNAs circulantes livres de células presentes no soro de pacientes com câncer emergiu como um novo biomarcador não invasivo promissor para a detecção precoce de tumores e a predição de suas classificações moleculares.

No estudo, cinquenta e quatro tumores de mama em estágio inicial e 27 controles pareados por idade foram selecionados para avaliação de microRNAs circulantes no soro. Os 54 casos foram classificados molecularmente (luminal A, luminal B, luminal B Her2 positivo, Her-2, triplo-negativo). A plataforma NanoString foi utilizada para detecção e quantificação digital de 800 microRNAs alvos, comparando as diferenças globais na expressão sérica de microRNAs em pacientes com câncer de mama com mulheres saudáveis sem risco para o câncer de mama (controles).

“Este é o primeiro estudo utilizando esta metodologia digital a partir de biopsia líquida em mulheres brasileiras e sem câncer de mama”, explica Marcia.

Resultados

Os pesquisadores identificaram os 42 microRNAs circulantes diferencialmente expressos mais significativos (P ≤ 0,05, 1,5 vezes) em cada subtipo molecular para estudo adicional. Desses microRNAs, 19 foram diferencialmente expressos em pacientes com luminal A, oito no luminal B, dez no luminal B HER2-positivo e quatro no subtipo HER2 enriquecido. A área sob a curva (do inglês, area under the curve – AUC) foi alta, com boa sensibilidade e especificidade para um biomarcador.

Para o subtipo triplo-negativo, o miR-25-3p teve a melhor acurácia. A análise preditiva dos alvos de mRNA sugere que eles codificam proteínas envolvidas em vias moleculares como a adesão celular, migração e proliferação.

O estudo identificou assinaturas de microRNAs com potencial biomarcador subtipo-específicos a partir de biopsia liquida para detecção precoce de câncer de mama, quando comparados com o perfil de expressao de microRNAs no soro de mulheres sem risco aparente para o câncer de mama.

“Esse perfil molecular deve ser validado usando estudos de coorte maiores para confirmar o potencial desses miRNAs para uso futuro como biomarcadores de detecção precoce, o que poderia evitar biópsias desnecessárias em pacientes com suspeita de câncer de mama”, observam os autores.

Referência: Identification of Cell-Free Circulating MicroRNAs for the Detection of Early Breast Cancer and Molecular Subtyping - Karen C. B. Souza,  Adriane F. EvangelistaLetícia F. LealCristiano P. SouzaRené A. VieiraRhafaela L. CausinA. C. NeuberDaniele P. PessoaGeraldo A. S. PassosRui M. V. Reis, e Marcia M. C. Marques - Journal of Oncology - Volume 2019, Article ID 8393769 - https://doi.org/10.1155/2019/8393769


Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519