12082020Qua
AtualizadoSeg, 10 Ago 2020 12am

Conheça o Podcast Onconews no Spotfy

Células tumorais circulantes na avaliação de resposta ao tratamento neoadjuvante do câncer de reto

Virgilio ASCOGI NET OKEstudo de pesquisadores brasileiros avaliou o valor preditivo da análise de células tumorais circulantes (CTCs) em pacientes com câncer de reto localmente avançado (LARC) submetidos a quimiorradiação neoadjuvante (NCRT) mais cirurgia. Os resultados foram publicados dia 26 de junho no periódico Cells. O oncologista Virgilio SouZa e Silva (foto), médico do A.C.Camargo Cancer Center e um dos autores do estudo, comenta os achados.

No estudo, os pesquisadores monitoraram na CTCs a timidilato sintase (TYMS) e a proteína de reparo de excisão, o RAD23 homólogo B (RAD23B), para determinar seu valor preditivo em relação à resistência à quimioterapia/radioterapia.

Métodos e resultados

Amostras de sangue de 30 pacientes foram coletadas antes da quimiorradiação neoadjuvante (S1) e antes da cirurgia (S2). As células tumorais circulantes foram isoladas e quantificadas pelo ISET®, as proteínas foram analisadas por imunocitoquímica e o RNAm de TYMS foi detectado por hibridização cromogênica in situ.

As contagens de CTCs diminuíram entre S1 e S2 em pacientes que exibiram resposta patológica completa (p = 0,02) ou resposta parcial (p = 0,01). Quanto à expressão proteica nas CTCs, o TYMS estava ausente em 100% das CTCs dos pacientes com pCR (p = 0,001), mas foi expresso em 83% dos não respondedores no S2 (p <0,001).

Além disso, o RAD23B foi expresso em CTCs em 75% dos não respondedores em S1 (p = 0,01) e em 100% dos não respondedores em S2 (p = 0,001). Todos os não respondedores expressaram mRNA de TYMS em ambos os momentos (p = 0,001). Por fim, o TYMS/RAD23B não foi detectado nas CTCs dos pacientes que apresentaram pCR (p = 0,001).

Os resultados demonstraram 83,3% de sensibilidade para mRNA de TYMS em S1 (p = 0,001) e 100% para expressão proteica de TYMS (p = 0,064) e RAD23B (p = 0,01) em S2. Assim, a expressão de mRNA de TYM e/ou TYMS/RAD23B em CTCs, bem como a cinética de CTC, têm o potencial de predizer a ausência de resposta à quimiorradiação neoadjuvante em pacientes com câncer de reto localmente avançado.

“Nossos resultados fornecem dados valiosos sobre potenciais biomarcadores na análise de CTCs para avaliação de resposta à quimiorradioterapia em pacientes submetidos a tratamento neoadjuvante para câncer retal localmente avançado. Apesar do pequeno tamanho da amostra, a cinética da CTC, bem como a não expressão do mRNA de TYMS e/ou RAD23B/TYMS nas CTCs, correlacionaram-se fortemente com o pCR”, observa Virgilio.

O oncologista acrescenta que mais estudos são necessários para validar esses achados com uma coorte maior de pacientes. “Se a análise de células tumorais circulantes for útil na previsão de resposta patológica completa com alta precisão, muitos pacientes podem ser poupados de cirurgia radical para o tratamento do câncer retal. Além disso, análises cinéticas e de biomarcadores de CTCs podem identificar potenciais não respondedores ao tratamento com quimiorradiação neoadjuvante, identificando a necessidade de avaliar outras formas de terapia para esses pacientes”, conclui.

Referência: Molecular and Kinetic Analyses of Circulating Tumor Cells as Predictive Markers of Treatment Response in Locally Advanced Rectal Cancer Patients - Bianca C. Troncarelli Flores, Virgilio Souza e Silva, Emne Ali Abdallah, Celso A.L. Mello, Maria Letícia Gobo Silva, Gustavo Gomes Mendes, Alexcia Camila Braun, Samuel Aguiar Junior e Ludmilla Thomé Domingos Chinen - Cells 2019, 8(7), 641 - https://doi.org/10.3390/cells8070641


Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
300x250 ad onconews200519