24062019Seg
AtualizadoQua, 19 Jun 2019 12pm

PUBLICIDADE
topbanner novartis2019 468x60

TALENT: lenvatinibe em tumores neuroendócrinos pancreáticos e gastrointestinais

Duílio Rocha NET OK 2018Os resultados de eficácia e segurança do estudo TALENT apresentados no ENETs 2019 pelo oncologista Jaume Capdevila, do Vall d'Hebron University Hospital, em Barcelona, Espanha, demonstraram atividade significativa de lenvatinibe em tumores neuroendócrinos. “O estudo mostra de forma clara a atividade de uma nova terapia-alvo no manejo dos tumores neuroendócrinos, mesmo em população politratada”, afirma o oncologista Duílio Rocha Filho (foto), chefe do Serviço de Oncologia Clínica do Hospital Universitário Walter Cantídio (UFC-CE) e membro da diretoria do Grupo Brasileiro de Tumores Gastrointestinais (GTG).

As terapias-alvo demonstraram impacto na sobrevida livre de progressão (SLP), mas com diminuição limitada do tumor em pacientes com tumores neuroendócrinos (NETs) avançados. No estudo TALENT, os pacientes foram recrutados em duas coortes: tumores neuroendócrinos pancreáticos (panNETs) e gastrointestinais (giNETs). Para a inclusão de pacientes com panNETs, era necessário documentar progressão de doença após o uso de terapia-alvo; para giNETs, o critério foi a progressão da doença após análogos de somatostatina. Os pacientes receberam lenvatinibe 24 mg/dia até a progressão da doença ou toxicidade intolerável.

O endpoint primário foi a taxa de resposta global (ORR) por revisão radiológica central, incluindo sobrevida livre de progressão, segurança e biomarcadores como endpoints secundários. Os pesquisadores esperavam uma ORR ≥ 25% (90% power, 5% α-error).

Resultados

Foram incluídos 111 pacientes (55 panNETs/56 giNETs). Para panNETs, a terapia-alvo anterior foi everolimus em 70% dos pacientes e sunitinibe em 30%. A taxa de resposta global foi de 29%, 40% para panNETs e 18,5% para giNETs, e a sobrevida livre de progressão para panNETs foi de 15,8 meses (95% IC 11,4-NR) e 15,4 meses (95% IC 11,5-19,5) para giNETs. A sobrevida global estimada foi de 22 meses para panNETs e 33,8 m para siNETs, com benefício em todas as análises de subgrupos, incluindo grau e exposição prévia a terapia-alvo.

“A taxa de resposta obtida com lenvatinibe em panNETs só é encontrada em alguns estudos com quimioterapia. É algo que pode fazer a droga ganhar espaço no cenário da doença volumosa e sintomática, em que atualmente se dá preferência a regimes como CAPTEM”, avalia Duílio.

O especialista observa que é um estudo de fase II, sem grupo controle. “Em neuroendócrinos, é muito difícil comparar dados de resposta e de SLP de estudos diferentes, devido à heterogeneidade dos pacientes incluídos. Os estudos de fase II com sunitinibe, por exemplo, mostravam taxa de resposta bem superior ao que foi encontrado no estudo de fase III. A sobrevida livre de progressão longa, que se compara favoravelmente com outros agentes-alvo, também pode ser decorrente da seleção de doentes. Um estudo randomizado é necessário para esclarecer essas questões”, diz.

Foi observada uma correlação significativa entre a diminuição da cromogranina A e a sobrevida livre de progressão prolongada em giNETs (17,6 m vs NR, p = 0,032). Modificações de dose foram necessárias em 91,8% dos pacientes, e interrupção definitiva em 10,9% (panNETs) e 17,8% (siNETs).

Os eventos adversos mais comuns foram de graus 1/2 (90%); eventos adversos Grau 3 ocorreram em 9-10% dos participantes e apenas 0,5% tiveram eventos adversos grau 4. Os eventos adversos graus 3/4 mais frequentes foram hipertensão (20,7%), astenia (13,5%), diarreia (7,2%) e dor abdominal (5,4%).

“A toxicidade foi bastante elevada, conforme previsto com a dose de 24 mg/dia de lenvatinibe. É possível que a dose venha a ser revista em estudos subsequentes”, explica Duílio.

“Os resultados demonstraram atividade significativa do lenvatinibe em panNETs pré-tratados com terapia-alvo e também uma alta porcentagem de diminuição tumoral em siNETs. O estudo TALENT mostrou a taxa de resposta global (ORR) mais alta com uma terapia-alvo por avaliação radiológica central, com benefício em todas as análises de subgrupos”, concluíram os autores.

Referência: Efficacy and Safety Analyses of the TALENT Trial (GETNE 1509): A Phase II Study of Lenvatinib in Patients (pts) with Advanced G1/G2 Pancreatic (panNETs) and Gastrointestinal (giNETs) Neuroendocrine Tumors


Publicidade
300x250 ad onconews200519
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner teva inst 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner ibcc2019 300x250