20062021Dom
AtualizadoQui, 17 Jun 2021 6pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

PACIFIC: Qualidade de vida em pacientes com CPNPC tratados com durvalumab

pulmao 6 OKO estudo PACIFIC foi um dos grandes destaques do programa científico da 18ª conferência mundial de câncer de pulmão (WCLC 2017), realizada de 15 a 18 de outubro em Yokohama, no Japão. O PACIFIC é um estudo randomizado, duplo cego, de Fase III, que desta vez apresentou os resultados de qualidade de vida em pacientes tratados com o anti-PD-L1 durvalumab.

O estudo inscreveu pacientes que receberam ≥2 ciclos de quimioterapia baseada em platina concomitante à radioterapia. Aqueles sem progressão da doença foram randomizados (2: 1) para durvalumab 10 mg/ kg iv q2w ou placebo por até 12 meses.

Os endpoints secundários incluíram avaliação de sintomas, função e estado de saúde global /qualidade de vida (QoL). Os pesquisadores utilizaram o questionário validado pela EORTC (QLQ-C30 v3) e seu módulo de câncer de pulmão (QLQ-LC13). Os pacientes completaram os questionários no baseline e em diversas fases do tratamento, até a progressão da doença. O tempo de deterioração (TTD) e as probabilidades de melhoria foram analisados. As alterações reportadas no baseline foram analisadas usando um modelo misto para medidas repetidas (MMRM).

Resultado

A conclusão dos questionários foi elevada nos dois grupos durvalumab (n = 476) e placebo (n = 237) (> 80% até a semana 48). Não houve diferenças entre os grupos no baseline em relação aos sintomas, função ou estado de saúde global/QoL. A análise de MMRM não mostrou diferenças estatisticamente significativas entre os grupos de tratamento nos sintomas pré-especificados de dispnéia, tosse, dor torácica, fadiga e perda de apetite e para o estado de saúde global / QV e funcionamento físico.

As melhorias clinicamente relevantes foram observadas ao longo do estudo em ambos os grupos para disfagia (alteração média [SD] na semana 48, -14,2 [26,1] e -14,8 [25,3], respectivamente) e alopecia (-22,1 [33,0] e -21.4 [29.5]). Não houve diferenças na TTD mediana entre os grupos, exceto a "outra dor" (9,2 meses com durvalumab vs 5,6 meses com placebo [HR 0,72; IC 95% 0,58, 0,89]). A única diferença nas taxas de melhora entre os grupos foi a perda de apetite (taxa de aumento de 26,1% com durvalumab versus 24,9% com placebo [OR 1,72; IC 95% 1,04, 2,85]). Outros sintomas, função e QoL relacionada à saúde permaneceram estáveis, sem diferenças entre grupos em TTD ou taxas de melhora.

Em conclusão, o tratamento com durvalumab não piorou os sintomas, a função ou a QV relacionada à saúde. A melhoria clinicamente relevante na alopecia e disfagia com durvalumab e placebo foi provavelmente devido à resolução de toxicidadades relacionadas à quimiorradiação prévia.

Referência: PL 02.02 Patient-reported outcomes with durvalumab after chemoradiation in locally advanced, unresectable nsclc: data from PACIFIC - R. Hui , M. Özgüroğlu, D. Daniel, D. Baz, S. Murakami, T. Yokoi, A. Chiappori , K.H. Lee, M. De Wit , B. Chul Cho, J. Gray, A. Rydén, L. Viviers, L. Poole, P. Dennis, S. Antonia


Publicidade
NEXT FRONTIERS 2021
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519