19012021Ter
AtualizadoSeg, 18 Jan 2021 11pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

CHAARTED apresenta dados de qualidade de vida

Fernando_Maluf_1301315.jpgEvidências recentes demonstraram que o uso de docetaxel concomitante à terapia de privação do androgênio (ADT) melhora a sobrevida global no câncer de próstata metastático hormônio sensível. Agora, trabalho apresentado no ASCO GU traz a avaliação de qualidade de vida do estudo CHAARTED e demonstra que não houve impacto negativo a longo prazo com a adição da quimioterapia. Fernando Maluf (foto), diretor do Serviço de Oncologia Clínica do Centro Oncológico Antônio Ermírio de Moraes (COAEM), comenta o estudo com exclusividade para o Onconews.

“O trabalho mostra algo óbvio. No período da quimioterapia, por conta da toxicidade, a qualidade de vida cai. Depois desse período, à medida em que os pacientes têm resposta, ficam menos sintomáticos e sobrevivem mais, com saúde, a qualidade de vida é revertida a favor da quimioterapia”, afirma o especialista.

O estudo avaliou 790 pacientes, randomizados para receber ADT mais 6 ciclos de docetaxel a cada 3 semanas (braço A, n=397) ou ADT isoladamente (braço B, n=393). Avaliações de qualidade de vida, incluindo a escala FACT (Functional Assessment of Cancer Therapy) foram realizadas no início (baseline) e após 3, 6,9 e 12 meses da randomização. 

Resultados

Testes pareados foram utilizados para comparar os dois braços (veja quadro).
 
Pacientes do braço A (ADT + docetaxel) reportaram um declínio de qualidade de vida na avaliação FACT em câncer de próstata (FACT-P) aos 3 meses. No entanto, o resultado observado aos 3 meses (-2,7; p= 0,003) não se manteve na avaliação de longo prazo. Aos 12 meses a pontuação do FACT-P no braço A se aproximava do resultado inicial (-0,7).
 
Em contraste, os pacientes do braço B, tratados exclusivamente com privação androgênica, não reportaram declínio significativo da qualidade de vida aos 3 meses (- 1,1), mas aos 12 meses o score do FACT-P foi significativamente mais baixo do que o referido no baseline da investigação (-4,2; p= 0.0001).
 
Em conclusão, o docetaxel está associado à diminuição da qualidade de vida no período inicial de tratamento (em 3 meses) comparado com ADT isoladamente. No entanto, aos 12 meses os resultados de qualidade de vida favorecem o uso concomitante de quimioterapia e privação hormonal, demonstrando que o uso de docetaxel + ADT não confere impacto negativo de longo prazo na qualidade de vida para pacientes com câncer de próstata metastático hormônio sensível.
 
O estudo foi financiado pela Sanofi : NCT00309985.
 

Modelo de efeitos mistos1 para pontuação total FACT-P.      
Diferença Braço A e Braço B Estimada Erro padrão (SE) p-value
Baseline -1,00 1,28 0,43
3 meses -3,09 1,32 0,02
6 meses 0,85 1,34 0,52
9 meses 0,27 1,37 0,84
12 meses 2,83 1,39 0,04


1 - Adjusted for age ( ≤ 59 vs. 60-69 v. ≥ 70 disease extent (high v. low), local therapy (Y/N), ECOG PS (0 v. ½), baseline physical well-being ( ≤ 20 v. 20 < PWB ≤ 25 v. > 25) and baseline pain score (0/1 v. 2/3 vs. ≥ 4) 2. Arm A score - Arm B score
 
Referência: Quality of life (QOL) analysis from E3805, chemohormonal androgen ablation randomized trial (CHAARTED) in prostate cancer (PrCa) - J Clin Oncol 34, 2016 (suppl 2S; abstr 286)
 

Publicidade
banner pfizer 2018 institucional 300x250px
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
IBCC
Publicidade
300x250 ad onconews200519