20112018Ter
AtualizadoTer, 20 Nov 2018 1am

PUBLICIDADE
banner pfizer instuc 2018 468x60px

Radioterapia e Oncotype

Jessica pereira NET OKO radio-oncologista Carlos Lima Junior, da Radioterapia São Sebastião, e Jessica Santos Pereira (foto), residente de oncologia clínica da clínica LeSanté, comentam análise publicada no Journal of the National Cancer Institute que utilizou informação sobre o perfil de expressão gênica para avaliar o impacto da omissão da radioterapia na recorrência e mortalidade no câncer de mama.

Por Carlos Lima Junior e Jessica Santos Pereira

Uma análise retrospectiva dos estudos NSABP B-14 e B-20 havia demonstrado a associação entre recidiva locorregional e os escores do teste de recorrência dos 21 genes (Oncotype®): menores taxas de recidiva local em pacientes com tumores de mama iniciais tratados com cirurgia conservadora e com escores mais baixos no teste. O estudo, contudo, não avaliou os efeitos da radioterapia nos resultados.

Uma pooled analysis de 7 estudos randomizados publicada no Journal of the National Cancer Institute1, com 1778 pacientes, buscou avaliar o impacto da radioterapia nas taxas de recidivas locorregional e distante, bem como na mortalidade câncer-específica e na mortalidade global. Os pesquisadores indagaram se seria seguro omitir a irradiação na população submetida a cirurgia conservadora e hormonioterapia sem quimioterapia, com 40 a 74 anos, com tumores de até 2cm, clínica e patologicamente nodos-negativas, com receptores de estrógeno e/ou progesterona positivos, HER-2 negativo ou desconhecido e escore do Oncotype® até 18.

A omissão da radioterapia aumentou 2,5 vezes a ocorrência de recidiva locorregional. As taxas de pacientes livres de recidiva local ipsilateral em 5 anos ajustadas foram 97,9% para o grupo que recebeu radioterapia e 93,5% para o grupo que não recebeu. Em 10 anos, os índices foram 95,3% x 86,1%, favorecendo também o grupo irradiado.

Quanto à sobrevida livre de recidiva locorregional, a radioterapia aumentou o porcentual de 93,7% a 98,6% em 5 anos e de 85,5% a 96,6% em 10 anos. Não se associou a radioterapia a ganhos de sobrevida global ou sobrevida câncer-específica.

Conclui-se que, até o presente, o grupo de baixo risco definido pelo perfil de expressão gênica se beneficia da irradiação pós-operatória.

Referência: Jayasekera J, Schechter CB, Sparano JA, et al. Effects of radiotherapy in early-stage, low-recurrence risk, hormone-sensitive breast cancer. Journal of the National Cancer Institute, https://doi.org/10.1093/jnci/djy128.

Publicidade
Publicidade
banner Sanofi 2017 300x250
Publicidade
banner astellas2018 v1
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
Merck 300x250 2018
Publicidade
banner logoBMS 2018 300x250
Publicidade
ad lilly 300X250px
Publicidade
banner abbvie2018 300X250p