17012018Qua
AtualizadoSeg, 15 Jan 2018 10am

banner_freud_adv_468x60.jpg


FDA aprova inibidor de PARP no câncer de mama BRCA mutado

Mama RaioX IlustraA agência Food and Drug Administration dos EUA expandiu o uso de olaparibe (Lynparza®) para incluir o tratamento de pacientes com câncer de mama metastático com mutação germinal BRCA. O anúncio foi feito sexta-feira, 11 de janeiro. Esta é a primeira aprovação de um inibidor de PARP para o tratamento de câncer de mama, representando o primeiro agente aprovado para o tratamento de pacientes com mutação BRCA. A decisão da FDA considera a seleção de pacientes através do teste genético chamado BRACAnalysis CDx, também aprovado dia 11 de janeiro.

Novos tratamentos e métodos de rastreamento reduzem mortes por câncer de mama

Mama News 1 NET OKNas últimas décadas, dezenas de novos medicamentos contra o câncer de mama - das quimioterapias às terapias alvo – se tornaram disponíveis para uso clínico, e a tecnologia de mamografia passou de filme para digital. Mas as mudanças fazem a diferença no número de mortes por câncer de mama? A resposta é sim, de acordo com um estudo publicado dia 9 de janeiro de JAMA.

Rastreamento e gestão de risco no câncer de pulmão

Pulm o 2017 NET OKO rastreamento do câncer de pulmão com base no risco individual de um fumante evitaria mais mortes do que os critérios atuais de rastreamento recomendados pela USPSTF, a US Preventive Services Task Force. É o que apontam os dados de um relatório publicado dia 2 de janeiro no Annals of Internal Medicine1.

Biopsia líquida no câncer de mama triplo negativo

Biopsia Liquida NET OKO chamado cell free DNA (cfDNA) ou DNA isento de células é coletado a partir do plasma e tem o potencial de avaliar de forma minimamente invasiva as mutações genômicas de um tumor, podendo estar associado ao prognóstico do paciente. Estudo publicado em janeiro no Journal of Clinical Oncology avaliou a partir do cfDNA o número de cópias somáticas no câncer de mama triplo negativo (TNBC, da sigla em inglês) para determinar se a biópsia líquida pode ter valor preditivo no cenário da doença metastática. A conclusão dos autores mostra que a avaliação da fração de tumor de cfDNA foi viável para quase todos os pacientes e que a fração tumoral ≥ 10% foi associada a uma sobrevida significativamente maior na coorte avaliada.

Mecanismo de resistência aos inibidores de checkpoint imune

imuno cancer NET OKDois grupos de pesquisa do Dana-Farber Cancer Institute anunciaram dia 4 de janeiro a descoberta do mecanismo de resistência aos inibidores de checkpoint imune, com dados que podem refinar a seleção de pacientes e orientar novas estratégias de tratamento. Os resultados foram publicados em dois artigos independentes na revista Science1, 2.

FDA concede Breakthrough Therapy para avelumabe no câncer renal

Renal 2 NET OKA agência norte-americana Food and Drug Administration (FDA) concedeu a designação de Breakthrough Therapy para o anti PD-L1 avelumabe, desenvolvido pela Pfizer em parceria com a Merck, desta vez para pacientes com carcinoma de células renais (CCR) avançado sem tratamento prévio. A designação é uma forma de acelerar o desenvolvimento de medicamentos com potencial terapêutico em patologias graves, quando evidências clínicas preliminares indicam benefício significativo em relação aos tratamentos atualmente disponíveis.

Combinação de lenvatinibe e pembrolizumabe no carcinoma de células renais avançado e/ou metastático

rimA agência norte-americana Food and Drug Administration (FDA) concedeu a designação de Breakthrough Therapy para o inibidor de múltiplos receptores de tirosina quinase lenvatinib (Lenvima®, Eisai) em combinação com a terapia anti-PD-1 pembrolizumabe (Keytruda®, MSD) para o tratamento de pacientes com carcinoma de células renais avançado e/ou metastático.

Benefício clínico em xeque

Beneficio Clinico NET OKArtigo publicado no Lancet Oncology1 destaca que menos da metade dos estudos clínicos randomizados que apoiam a aprovação de medicamentos contra o câncer pela agência norte-americana Food and Drug Administration (FDA) atingem o limiar de benefício clínico definido pela Sociedade Europeia de Oncologia Médica e não cumprem os critérios da escala de Magnitude de Benefícios Clínicos (ESMO-MCBS).

Anvisa aprova novos tratamentos contra o câncer

Medicamentos DiversosEntre as drogas aprovadas pela Anvisa em dezembro de 2017 estão a lenalidomida (Revlimid®) em combinação com a dexametasona para o tratamento de pacientes com mieloma múltiplo refratário ou recidivado; durvalumabe (Imfinzi®), para carcinoma urotelial localmente avançado ou metastático; olaratumabe (Lartruvo®), indicado para pacientes com sarcoma de tecido mole avançado não candidatos à radioterapia ou cirurgia e que não foram previamente tratados com antraciclínicos; e a combinação de netupitanto + palonosetrona (Akynzeo®), para a prevenção de náuseas e vômitos agudos ou tardios em pacientes em quimioterapia.

Anvisa aprova primeiro biossimilar do trastuzumabe

MAMA bxFoi publicada no Diário Oficial da União (DOU) dia 18 de dezembro a aprovação do primeiro medicamento biossimilar do trastuzumabe (Herceptin®, Roche) para o tratamento de câncer de mama HER2+. O Zedora® foi desenvolvido pela biofarmacêutica indiana Biocon, com estudos clínicos multicêntricos conduzidos pela farmacêutica norte-americana Mylan. No Brasil, o medicamento será fornecido ao Governo Federal por meio de uma Parceria para o Desenvolvimento Produtivo (PDP) entre a Libbs e o Instituto Butantan.

Anvisa aprova elotuzumabe em mieloma múltiplo

sangueA Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) aprovou o anticorpo elotuzumabe (Empliciti®, da Bristol–Myers Squibb) para tratamento de mieloma múltiplo recorrente. A aprovação foi baseada nos resultados do estudo ELOQUENT-2, que mostrou o impacto desse novo agente terapêutico na sobrevida global e redução de 30% no risco de progressão.

Anvisa aprova nivolumabe para tratamento do câncer de cabeça e pescoço

William Nassib 2017 NET OKA Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nivolumabe (Opdivo®, Bristol-Myers Squibb) para o tratamento dos pacientes com câncer de cabeça e pescoço recorrente ou metastático, com progressão da doença durante ou após terapia à base de platina. Publicada no Diário Oficial da União (DOU) dia 04 de dezembro, a aprovação foi baseada nos resultados do estudo fase III CheckMate 1411. O oncologista William Nassib William Jr. (foto), diretor médico da Oncologia Clínica e Hematologia do Centro Oncológico da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo, comenta a aprovação.

Pertuzumabe no SUS

BARRIOS NET OKO Ministério da Saúde incorporou o pertuzumabe na primeira linha de tratamento do câncer de mama HER2-positivo metastático no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) dia 06 de dezembro. O prazo máximo para efetivar a oferta do agente terapêutico é de 180 dias. O oncologista Carlos Barrios (foto), diretor executivo do LACOG e do Hospital do Câncer Mãe de Deus, comenta a aprovação.

STF proíbe amianto no Brasil

Lei NET Ok 2O amianto passa a ser proibido em todo o país, porque fere o direito à saúde e ao meio-ambiente. A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) foi anunciada 29 de novembro1 e põe fim à produção, comercialização e uso do amianto tipo crisotila (asbesto) no Brasil.

Obesidade e diabetes aumentam carga global de câncer

Obesidade ASCO 1A cada ano, 792.600 novos casos de câncer em todo o mundo são consequência da obesidade e do diabetes. É o que mostra estudo publicado no Lancet Diabetes & Endocrinology, indicando que quase 6% dos novos casos de câncer em 2012 foram decorrentes da combinação de diabetes, sobrepeso (IMC acima de 25 kg/m2) ou obesidade (IMC acima de 30 kg/m2).

Prioridades dos pacientes e estratégias de tratamento

prioridades NET OKOs pacientes com leucemia linfocítica crônica (LLC) valorizam ganhos de sobrevida livre de progressão, mas aceitam reduções significativas para evitar eventos adversos graves. É o que sugere estudo publicado na Blood Advances, que discutiu as prioridades do paciente no percurso terapêutico. A adição de custos também alterou as escolhas, sugerindo que os pacientes são sensíveis ao impacto do custo na definição do tratamento.

Consenso para linfadenectomia pós sentinela (+)

GBM NET OK 2Por unanimidade, o Grupo Brasileiro de Melanoma (GBM) considera as linfadenectomias pós-sentinela (+) o padrão de tratamento no Brasil, considerando as dificuldades de acesso às novas terapias. Aprovados em reunião da diretoria em setembro de 2017, os Consensos sobre Indicações de Pesquisa de Linfonodo Sentinela e Linfadenectomia pós sentinela positivo ainda não foram publicados.

ASCO alerta para a relação entre consumo de álcool e câncer

Buzaid PortalEm 2012,  5,5% de todos os novos casos de câncer e  5,8% de todas as mortes pela doença no mundo são atribuíveis ao consumo de álcool. Os dados são da Sociedade Americana de Oncologia Clínica, em comunicado publicado no Journal of Clinical Oncology.  O oncologista Antonio Carlos Buzaid (foto), diretor-geral do Centro Oncológico Antônio Ermírio de Moraes, da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, e membro do Comitê Gestor do Centro de Oncologia do Hospital Israelita Albert Einstein, comenta a declaração da ASCO.


Publicidade
AD_Pfizer_2017_ 300x250px.jpg
Publicidade
banner Sanofi 2017 300x250
Publicidade
banner logo astellas 300x250
Publicidade
banner assine 300x250