20042021Ter
AtualizadoSeg, 19 Abr 2021 9pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Pulmão

  • Tislelizumab + quimioterapia na primeira linha do câncer de pulmão de células não pequenas não-escamoso

    Pulm o DEZ NET OKNa primeira linha de tratamento do câncer de pulmão de células não pequenas não escamoso, a adição de tislelizumab à quimioterapia resultou em melhora significativa da sobrevida livre de progressão e da taxa de resposta objetiva em comparação com a quimioterapia isolada, com perfil de segurança manejável. Os resultados do estudo randomizado de Fase III foram publicados no Jama Oncology.

  • Aneuploidia do câncer pode predizer resposta à imunoterapia no câncer de pulmão

    Joao Alessi dana farber bxO oncologista brasileiro João Victor Alessi (foto), pesquisador do Dana-Farber Cancer Institute, é primeiro autor de estudo apresentado na AACR 2021, sugerindo que níveis mais baixos de aneuploidia do câncer estão associados a resultados mais favoráveis ​​em pacientes com câncer de pulmão não pequenas células (CPNPC) tratados com inibidores de checkpoint imune.

  • Nivolumabe neoadjuvante mais quimioterapia aumenta taxas de resposta completa no CPNPC

    Pulm o 2017 NET OKA adição de nivolumabe à quimioterapia como tratamento neoadjuvante para pacientes com câncer de pulmão não pequenas células ressecável (CPNPC) mostrou benefício significativo e aumentou a taxa de resposta completa para 24%, em comparação com 2,2% no braço de quimioterapia isolada, sem aumento de toxicidade. Os resultados são do ensaio de fase III (CheckMate-816), apresentados na AACR 2021.

  • Imunoterapia e seleção de pacientes no câncer de pulmão

    ramon 2021 bxRamon Andrade de Mello (foto), oncologista da Escola Paulista de Medicina-UNIFESP,  é coautor de estudo translacional publicado na Cancers (Basel), que avalia um novo potencial biomarcador e um modelo prognóstico capaz de selecionar pacientes que não derivam benefícios clínicos duráveis com inibidores de checkpoint imune (ICI) no câncer de pulmão não pequenas células (CPNPC).

  • Análise mutacional no câncer de pulmão

    rodrigo cavagna bxMutações drivers em câncer de pulmão não pequenas  células (CPNPC) têm valor prognóstico e preditivo e são relevantes para o manejo clínico. Estudo de Rodrigo Cavagna  (foto) e colegas do Hospital de Câncer de Barretos descreve todas as etapas envolvidas em uma análise genômica de amostras de CPNPC por reação em cadeia da polimerase (PCR), desde o isolamento do DNA a partir do tecido tumoral, até o sequenciamento de regiões de hotspot (EGFR, KRAS e BRAF).

  • Kit de coleta de linfonodos e resultados de sobrevida no câncer de pulmão

    ricardo terra bxUm kit de coleta de linfonodos pode ajudar os cirurgiões a obter uma ressecção completa e melhorar a sobrevida a longo prazo após a cirurgia de câncer de pulmão com intenção curativa. É o que mostra estudo de Smeltzer et al. reportado no Journal of Thoracic Oncology Clinical and Research Reports, publicação da Associação Internacional para o Estudo do Câncer de Pulmão (IASLC). Ricardo Terra (foto), professor associado da Faculdade de Medicina da USP e chefe da Divisão de Oncologia Torácica Cirúrgica do ICESP, comenta os resultados.

  • Mutações STK11 e/ou KEAP1, inibidores de checkpoint e resultados no CPCNP

    alberto codima bxAlberto Codima (foto), médico da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), é primeiro autor de revisão sistemática que investigou a relação entre mutações somáticas nos genes STK11 e KEAP1 e o prognóstico de pacientes com câncer de pulmão de células não-pequenas (CPCNP) tratados com anticorpos monoclonals anti-PD(L)1. O estudo foi selecionado para apresentação em pôster no European Lung Cancer Virtual Congress 2021. Gilberto de Castro Jr., professor da FMUSPP e chefe da divisão de oncologia torácica do ICESP e do Centro de Oncologia do Hospital Sírio-Libanês, é o autor sênior do trabalho.

  • Biópsia líquida, redes sociais e câncer de pulmão em tempos de COVID-19

    marcos andre 21 bxA análise genômica do DNA livre de células plasmáticas (cfDNA) permite a caracterização remota do genoma do câncer. É o que motiva estudo liderado por pesquisadores do Dana-Farber Cancer Institute em busca de abordagens de biópsia líquida para estudar remotamente a resistência terapêutica em pacientes com câncer de pulmão não pequenas células metastático ALK-positivo. Quem comenta o trabalho é o oncologista Marcos André Costa (foto), do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

  • Bloqueio concomitante de EGFR/BRAF/MEK no adenocarcinoma pulmonar metastático

    Mauricio Ribeiro bxO oncologista Maurício Ribeiro (foto), do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, é primeiro autor de relato de caso que descreve a experiência da terapia combinada com dabrafenibe, trametinibe e osimertinibe no resgate de um paciente com adenocarcinoma de pulmão avançado EGFR mutado que desenvolveu a mutação BRAFV600E como um dos mecanismos de resistência ao tratamento de segunda linha com osimertinibe. O trabalho foi publicado no npj Precision Oncology, periódico do Grupo Nature,em artigo que tem a pesquisadora Franciele Hinterholz Knebel como coprimeira autora.

  • Incidência de metástases cerebrais em pacientes com CPCNP estágio IV durante a pandemia

    wanyuan cui bxDurante a pandemia de Covid-19, a incidência de metástases cerebrais de novo em pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas em estágio IV foi maior em comparação com as taxas históricas. “A redução nos procedimentos diagnósticos durante a pandemia podem ter levado ao diagnóstico tardio e a um aumento no diagnóstico de metástases cerebrais de novo”,observou Wanyuan Cui (foto), oncologista do Royal Marsden Hospital - NHS Foundation Trust, em Londres, em apresentação no ELCC 2021.

  • Inibidor de KRASG12C mostra atividade no câncer de pulmão avançado

    Pulm o Horiz NET OKA atividade clínica com um segundo fármaco, o inibidor de KRASG12C adagrasibe, confirmou seu papel como alvo terapêutico em pacientes com câncer de pulmão não pequenas células (CPNPC) avançado. É o que sugerem os resultados de estudo apresentado no European Lung Cancer Virtual Congress 2021(ELCC 2021).

  • Estudo japonês compara duas gerações de tratamento no câncer de pulmão

    Pulm o 2017 NET OKQual a taxa de sobrevida em 10 anos para pacientes com câncer de pulmão não pequenas células irressecável estágio III tratados com quimiorradioterapia curativa, com regimes de segunda e terceira geração? Ensaio clínico randomizado de Fase III com 440 pacientes randomizados para 3 grupos de tratamento mostra que as probabilidades de sobrevida em 10 anos foram de 13,6 %, 7,5% e 15,2%.“Este estudo contribui com dados de controle históricos para comparar resultados de longo prazo em futuros ensaios clínicos de quimiorradioterapia”, reportam os autores, em artigo no Jama Oncology.

  • Câncer de pulmão e risco genético

    Pulmão NGS NET OKEmbora o risco de câncer de pulmão seja influenciado por fatores ambientais e estilo de vida, estima-se que 18% dos casos sejam associados a variantes genéticas hereditárias. Estudo de Liu et al. publicado em acesso aberto na NPJ Precision Oncology investigou como variantes genéticas podem contribuir para aumentar o risco de câncer de pulmão.

  • ctDNA e achados acionáveis no adenocarcinoma pancreático avançado e metastático

    pedro uson bxEstudo publicado no periódico The Oncologist buscou caracterizar as alterações genômicas do ctDNA em pacientes com adenocarcinoma ductal pancreático avançado, com foco em resultados acionáveis. O oncologista Pedro Uson Junior (foto), pesquisador fellow na Mayo Clinic, é coautor do trabalho.

  • ELCC 2021

    elcc 21 bxOs principais avanços em tumores torácicos estão em pauta no European Lung Cancer Virtual Congress (ELCC 2021), que acontece online entre os dias 25 e 27 de março.

  • USPSTF atualiza recomendações para rastreamento de câncer de pulmão

    RIAD NET OKA US Preventive Services Task Force (USPSTF) atualizou suas recomendações para o rastreamento do câncer de pulmão com tomografia computadorizada de baixa dose (LDCT, da sigla em inglês). As recomendações atualizadas expandem as indicações, incluindo adultos entre 50 e 80 anos, tabagistas ou que pararam de fumar nos últimos 15 anos, com um histórico de tabagismo de 20 maços/ano. O cirurgião oncológico Riad Younes (foto), diretor do Centro de Oncologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo, comenta as diretrizes publicadas no JAMA Network Open.

  • Novo biomarcador de resposta a inibidores de checkpoint

    gustavo schvartsman 19Estudo publicado na Nature Communicationsidentificou o receptor 1 de quimiocina CX3C (CX3CR1), um marcador de diferenciação de células T, como um novo biomarcador preditivo de resposta aos inibidores do checkpoint imune (ICI) logo após o início do tratamento em pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas (CPCNP). “O estudo propõe um método minimamente invasivo (coleta de sangue periférico) para auxiliar na avaliação de eficácia ao longo do tratamento, que ainda precisa ser validado em coortes maiores e independentes”, observa o oncologista Gustavo Schvartsman (foto), do Hospital Israelita Albert Einstein.

  • CTONG1104: resultados finais de sobrevida global no câncer de pulmão

    BALANCO PULMAO horiz bxResultados finais de sobrevida global (SG) do estudo randomizado de Fase III ADJUVANT-CTONG1104 publicados por Zhong et al. no Journal of Clinical Oncology mostram que o tratamento adjuvante com gefitinibe melhorou significativamente a sobrevida livre de doença (SLD) versus vinorelbina mais cisplatina (VP) em pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas (CPNPC) com mutação do receptor do fator de crescimento epidérmico (EGFR) ressecado estágio II-IIIA (N1-N2), mas esse benefício não se traduziu em SG.

  • Cemiplimabe na primeira linha do CPCNP avançado com alta expressão de PD-L1

    approved NET OKAUS Food and Drug Administration (FDA) aprovou o inibidor de PD-1 cemiplimabe (Libtayo®, Sanofi) no tratamento de primeira linha de pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas (CPCNP) avançado cujos tumores têm alta expressão de PD-L1 (≥50%), conforme determinado por um teste aprovado pela FDA. Os pacientes elegíveis devem ter tumores metastáticos ou localmente avançados que não sejam candidatos à ressecção cirúrgica ou quimiorradiação definitiva, e que não apresentem alterações nos genes EGFR, ALK ou ROS1. A aprovação é baseada no estudo pivotal de Fase III EMPOWER-Lung 1.

  • Guideline: tratamento do CPCNP estádio IV com alterações driver

    GuidelinesUma diretriz conjunta da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO) e da Cancer Care Ontario atualizou as recomendações de tratamento sistêmico do câncer de pulmão de células não pequenas (CPCNP) estádio IV com alterações driver. Publicado no Journal of Clinical Oncology (JCO), o guideline reúne evidências de 27 ensaios clínicos randomizados, 26 estudos observacionais e uma meta-análise, publicados entre dezembro de 2015 e janeiro de 2020, além de abstracts apresentados no encontro anual da ASCO 2020.

Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519