16052022Seg
AtualizadoSeg, 16 Maio 2022 12pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Oncohematologia

  • Ivosidenib mostra resultados na Leucemia Mieloide Aguda

    rodrigo caladoA combinação de ivosidenib – um inibidor da mutação no gene de isocitrato desidrogenase 1 (IDH1) – e azacitidina mostrou atividade clínica encorajadora em estudo de fase 1b que envolveu pacientes com leucemia mieloide aguda com mutação IDH1 recém diagnosticados. Agora, Montesinos et al. apresentam resultados de estudo randomizado de Fase 3, em artigo publicado 21 de abril na New England Journal of Medicine,corroborando o benefício dessa combinação nessa população de pacientes. O estudo tem participação do oncohematologista Rodrigo do Tocantins Calado (foto), da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto.

  • Vacina baseada em peptídeos induz resposta imune de células T em pacientes com deficiência de células B

    covid hematoCoVac-1, uma nova vacina contra SARS-CoV-2, induziu respostas imunes de células T em 93% dos pacientes com deficiências de células B, incluindo muitos pacientes com leucemia e linfoma. Os resultados foram apresentados na AACR 2022. “Até onde sabemos, a CoVac-1 é atualmente a única candidata a vacina à base de peptídeo desenvolvido e avaliado especificamente para pacientes imunocomprometidos”, destacou Juliane Walz (foto), autora sênior do estudo e professora de imunoterapia no Hospital Universitário de Tübingen, na Alemanha.

  • Axi-cel: terapia CAR T cells tem nova aprovação do FDA

    approved NET OKFood and Drug Administration (FDA) aprovou a indicação de axicabtagene ciloleucel (Yescarta®, Kite/Gilead) para adultos com linfoma de grandes células B, em pacientes refratários à quimioimunoterapia de primeira linha ou que recaíram dentro de 12 meses após a quimioimunoterapia inicial. A decisão da agência norte-americana foi anunciada 1º de abril e tem como base o estudo ZUMA-7, que demonstrou dados robustos de eficácia e segurança nessa população de pacientes.

  • Avaliação genética de pacientes com leucemia linfoblástica aguda em ambiente de recursos limitados

    wellington hemato icesp2020Estudo publicado na Hematology, periódico da Sociedade Internacional de Hematologia, traz análise de uma coorte retrospectiva de 5 anos de pacientes com leucemia linfoblástica aguda (LLA) recém-diagnosticados e seus achados genéticos e resultados. O hematologista Wellington Fernandes da Silva (foto), médico do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP), é o primeiro autor do trabalho.

  • Mecanismos genéticos de resistência adquirida a inibidores não covalentes da tirosina quinase de Bruton

    alvaro alencar 22 bxUm grupo de pesquisadores identificou uma série de mecanismos genéticos que levam a resistência adquirida a uma nova classe de agentes inibidores não covalentes da tirosina quinase de Bruton (BTK). Os resultados foram publicados na New England Journal of Medicine (NEJM), em artigo com participação do hematologista brasileiro Alvaro Alencar (foto), professor associado na Universidade de Miami.

  • Nova promessa na macroglobulinemia de Waldenström

    waldenstrom macroglobulinemia bxEstudo de fase II que avaliou a monoterapia com tirabrutinib na dose diária de 480 mg para pacientes com macroglobulinemia de Waldenström sem tratamento prévio e com doença recorrente ou refratária (estudo ONO-4059-05) demonstrou eficácia promissora e perfil de segurança tolerável. Agora, dados de uma análise não planejada foram reportados na Cancer Science, em artigo de Sekigushi e colegas, com achados que corroboram o benefício de tirabrutinib nessa população de pacientes.

  • Estudo mede eficácia das vacinas SARS CoV-2 no mieloma múltiplo

    hungria 22 bxPacientes com malignidades de células B, incluindo mieloma múltiplo, apresentam risco aumentado de mortalidade relacionada a COVID-19 e resposta sorológica variável à vacina. Estudo reportado por Nooka et al. no Journal of Clinical Oncology buscou quantificar a capacidade dos anticorpos induzidos pela vacina de neutralizar o SARS CoV-2 ou suas variantes nesses pacientes. Os resultados mostram que anticorpos neutralizantes (nAbs) são gerados em apenas 54% dos pacientes com mieloma que receberam vacinas de RNA. “Compreender os determinantes da indução de nAbs mediada por vacina em pacientes com mieloma múltiplo é fundamental para desenvolver estratégias para proteger esses pacientes”, avalia Vânia Hungria (foto), professora adjunta de Hematologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP).

  • ICARIA: novos dados de sobrevida de isatuximabe no mieloma múltiplo

    sangueAnálise de sobrevida global atualizada 24 meses após a análise primária revelou que a adição de isatuximabe à pomalidomida-dexametasona continuou a demonstrar benefício significativo na sobrevida livre de progressão de pacientes com mieloma múltiplo recidivado e refratário, projetando-se como novo padrão de tratamento nessa população de pacientes. Os resultados estão em artigo de Paul G Richardson e colegas, no Lancet Oncology.

  • Novo agente mostra resultados na trombocitopenia induzida por quimioterapia

    hanny 2 bxA trombocitopenia induzida por quimioterapia é comum e causa reduções na dose de quimioterapia ou atrasos no tratamento, sangramento e resultados oncológicos subótimos. Agora, estudo randomizado de Fase 3 apresenta resultados de avatrombopag, um agonista do receptor de trombopoietina que aumenta a contagem de plaquetas em pacientes com câncer não hematológico e contagem inferior a 50 ×109 células por L. Hanny Al-Samkari (foto), do Massachusetts General Hospital, é o primeiro autor do trabalho.

  • Anvisa aprova primeira terapia gênica no tratamento do câncer

    approved NET OKA Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o registro sanitário da primeira terapia gênica com células CAR-T para o tratamento do câncer, o agente tisangeleucel (Kymriah, Novartis) para o tratamento de pacientes pediátricos e adultos jovens (até 25 anos de idade) com Leucemia Linfoblástica Aguda (LLA) de células B e para pacientes adultos com Linfoma Difuso de Grandes Células B. A decisão foi publicada 23 de fevereiro no Diário Oficial da União1.

  • Axi-cel no linfoma de grandes células B recidivado ou refratário

    otavio baiocchi 22O prognóstico de pacientes com linfoma de grandes células B precocemente recidivado ou refratário após quimioimunoterapia de primeira linha é extremamente reservado, evidenciando clara necessidade médica não atendida. Agora, novos dados da terapia CAR T cell axicabtagene ciloleucel (axi- cel) reportados na New England Journal of Medicine corroboram benefícios desse novo agente nessa população de pacientes. o oncohematologista  Otávio Baiocchi (foto), professor associado da UNIFESP e diretor de hematologia e oncohematologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, comenta os resultados.

  • Rituximabe e resposta à vacina contra COVID-19

    vacina covid bxO anti CD-20 rituximabe, medicamento amplamente utilizado em pacientes com linfoma, atenua ou elimina a resposta de anticorpos às vacinas contra COVID-19 se for administrado antes do imunizante, apontam pesquisadores da Universidade de Stanford, em artigo na Blood Cancer Discovery.

  • CMED define preço para zanubrutinibe para o tratamento do linfoma de células do manto

    linfoma celulas mantoO inibidor de quinase de Bruton (BTK) de 2ª geração zanubrutinibe (BRUKINSA®), indicado para o tratamento de pacientes adultos com linfoma de células do manto (LCM) que receberam pelo menos uma terapia anterior, recebeu aprovação de registro de preço pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED). O medicamento foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)1 em agosto de 2021 com base em resultados de eficácia de dois ensaios clínicos de braço único.

  • Axicabtagene ciloleucel: FDA atualiza prescrição e inclui corticosteroide profilático

    approved NET OKA agência norte-americana Food and Drug Administration (FDA) aprovou uma atualização sobre a prescrição da terapia axicabtagene ciloleucel (Yescarta®, da Kite/ Gilead) para incluir o uso de corticosteroides profiláticos em todas as indicações aprovadas. Com a decisão, esta é a primeira e única terapia de células T do receptor de antígeno quimérico (CAR T) com informações no rótulo para gerenciar e potencialmente prevenir os efeitos colaterais do tratamento.

  • Sobrevida em LLA quase dobra em 20 anos

    ASH Sangue NET OK 2Para pacientes com leucemia linfoblástica aguda (LLA) portadores do cromossomo Filadélfia que recidivaram após transplante alogênico de célula-tronco hematopoiética (HCT), a taxa de sobrevida global em dois anos quase dobrou do período de 2000 a 2004 para o período entre 2015 e 2019. É o que revela estudo publicado na Clinical Cancer Research, publicação da American Association for Cancer Research.

  • Estudo brasileiro descreve o cenário do transplante alogênico em adultos com leucemia linfoblástica aguda no Brasil

    wellingtonWellington F. Silva (foto), hematologista do ICESP é primeiro autor de estudo que descreve os resultados do transplante alogênico de células-tronco (TCTH) em pacientes com leucemia linfoblástica aguda (LLA) em centros brasileiros, com resultados que impactam a estratégia de seleção de doadores no nosso país. A análise foi apresentada na ASH 2021 e examina os fatores de risco para sobrevida global (OS), sobrevida livre de doença (DFS), incidência cumulativa de recidiva (CIR), mortalidade sem recidiva (NRM) e doença do enxerto contra hospedeiro (GVHD) após TCTH.

  • POLARIX: avanço no linfoma difuso de grandes células B

    perini 21 bxO conjugado polatuzumabe vedotina em combinação com rituximabe, ciclofosfamida, doxorrubicina e prednisona aumentou a sobrevida livre de progressão em relação ao tratamento padrão para pacientes com linfoma difuso de grandes células B. É o que mostram os resultados do ensaio de Fase 3 POLARIX, destacado como primeiro Late Breaking Abstract da ASH 2021 e publicado simultaneamente na New England Journal of Medicine. Guilherme Perini (foto), hematologista no Hospital Israelita Albert Einstein e coordenador da Hematologia do Grupo Américas, analisa os resultados.

  • Ponatinibe em combinação com quimioterapia de alta dose na leucemia mieloide crônica em fase blástica

    fabio pires bxO estudo prospectivo MATCHPOINT avalia a atividade e tolerabilidade do TKI ponatinibe em combinação com quimioterapia de alta dose para melhorar o status de remissão e os resultados do transplante alogênico de células-tronco em pacientes com leucemia mieloide crônica em fase blástica. Os resultados finais do trabalho foram apresentados no ASH 2021 e publicados simultaneamente no Lancet Hematology. “É um estudo extremamente interessante porque foca em uma necessidade não atendida na oncohematologia, que é o tratamento dos pacientes com leucemia mieloide crônica em fase blástica mieloide”, observa o hematologista Fabio Pires de Souza Santos (foto), médico do Hospital Israelita Albert Einstein e da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

  • Resultados de longo prazo confirmam benefício de asciminib na LMC em fase crônica

    ASH Sangue NET OKA análise primária do ensaio pivotal de Fase 3 ASCEMBL demonstrou que asciminib tem eficácia superior e um melhor perfil de segurança comparado a bosutinibe (BOS) no tratamento de pacientes com leucemia mieloide crônica em fase crônica (LMC-CP) após ≥ 2 inibidores de tirosina quinase (TKIs) de ligação ATP. Agora, os pesquisadores relatam na ASH 2021 resultados atualizados de eficácia e segurança após acompanhamento mediano de 19,2 meses (adicional de 7,5 meses) desde a análise primária. O estudo tem participação brasileira, dos hematologistas Laura Fogliatto, Hospital de Clínicas de Porto Alegre; Carla Boquimpani, HEMORIO; e André Abdo, do ICESP.

  • Axi-Cel mostra resultados de qualidade de vida no linfoma de grandes células B

    IDOSO PACIENTE NET OKEstudo randomizado de Fase 3 (ZUMA-7; NCT03391466), com participação de 77 centros em todo o mundo, avaliou a terapia celular CAR-T com axi-cel versus o tratamento padrão (SOC) em pacientes com linfoma de grandes células B (LBCL) que apresentam recidiva ou são refratários à terapia de primeira linha. Mahmoud Elsawy e colegas apresentam na 63ª ASH a primeira análise comparativa de qualidade de vida, com resultados relatados pelos pacientes (PROs). Os dados corroboram o benefício de axi-cel como opção de segunda linha no LBCL recidivado / refratário (R / R).

Publicidade
KITE PHARMA
Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
300x250 ad onconews200519