18042024Qui
AtualizadoQua, 17 Abr 2024 9pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

 

Cell free DNA no rastreamento do câncer colorretal

virgilio souza silva 22 bxA detecção precoce poderia prevenir mais de 90% das mortes relacionadas com o câncer colorretal, destacam Chung et al., em publicação na New England Journal of Medicine, que apresenta resultados de uma nova biópsia líquida baseada no DNA livre de células (cfDNA) para o rastreamento do câncer colorretal. O teste demonstrou 83% de sensibilidade para a detecção do câncer colorretal, 90% de especificidade para neoplasia avançada e 13% de sensibilidade para lesões pré-cancerosas avançadas. O oncologista Virgílio Souza e Silva (foto), médico do AC Camargo Cancer Center, comenta o estudo.

O câncer colorretal é o terceiro câncer mais diagnosticado em adultos nos Estados Unidos. Neste estudo (NCT04136002), os pesquisadores avaliaram as características de um teste sanguíneo baseado em cfDNA e seu desempenho em uma população elegível para rastreamento de câncer colorretal nos EUA. Os desfechos coprimários foram sensibilidade para câncer colorretal e especificidade para neoplasia avançada (câncer colorretal ou lesões pré-cancerosas avançadas) em relação à colonoscopia de rastreamento. O desfecho secundário foi a sensibilidade para detectar lesões pré-cancerosas avançadas.

A coorte de validação clínica incluiu 10.258 pessoas, 7.861 das quais preencheram os critérios de elegibilidade e foram avaliáveis. Os autores descrevem que um total de 83,1% dos participantes com câncer colorretal detectado por colonoscopia tiveram teste de cfDNA positivo e 16,9% tiveram teste negativo, o que indica sensibilidade do teste de cfDNA para detecção de câncer colorretal de 83,1% (intervalo de confiança de 95% [IC], 72,2 a 90,3). A sensibilidade para câncer colorretal em estágio I, II ou III foi de 87,5% (IC 95%, 75,3 a 94,1) e a sensibilidade para lesões pré-cancerosas avançadas foi de 13,2% (IC 95%, 11,3 a 15,3).

Os resultados da análise revelam que um total de 89,6% dos participantes sem qualquer neoplasia colorretal avançada (câncer colorretal ou lesões pré-cancerosas avançadas) identificada na colonoscopia tiveram um teste de sangue cfDNA negativo, enquanto 10,4% apresentaram teste de cfDNA positivo, o que indica uma especificidade para qualquer neoplasia avançada de 89,6% (IC 95%, 88,8 a 90,3). A especificidade para colonoscopia negativa (sem câncer colorretal, lesões pré-cancerosas avançadas ou lesões pré-cancerosas não avançadas) foi de 89,9% (IC 95%, 89,0 a 90,7).

“Em uma população de rastreio de risco médio, este teste sanguíneo de cfDNA apresentou 83% de sensibilidade para câncer colorretal, 90% de especificidade para neoplasia avançada e 13% de sensibilidade para lesões pré-cancerosas avançadas concluem os autores.

O estudo é financiado pela Guardant Health e seus achados sugerem que um exame de sangue tem o potencial de auxiliar na detectação precoce do câncer colorretal e reduzir a mortalidade relacionada à doença.

“Sabemos que a colonoscopia é o principal exame para o rastreamento e diagnóstico do câncer colorretal, porém existem limitações para sua aplicabilidade devido a custos e acesso. Sendo assim, o desenvolvimento de novas metodologias para rastreamento do câncer colorretal são importantes", destaca Virgílio, oncologista clínico com foco no tratamento de tumores gastrointestinais e preceptor da residência de Oncologia Clínica do A.C. Camargo Cancer Center. "Este estudo demonstra uma nova ferramenta com o uso da biópsia líquida com alta sensibilidade e especificidade para detecção do câncer colorretal diferentes de outros exames não invasivos, podendo ser uma ferramenta útil para o rastreamento, principalmente para pacientes com limitações para realizar a colonoscopia”, analisa.

Referência: N Engl J Med 2024; 390:973-983. DOI: 10.1056/NEJMoa2304714


Publicidade
ABBVIE
Publicidade
ASTRAZENECA
Publicidade
SANOFI
Publicidade
ASTELLAS
Publicidade
NOVARTIS
banner_assine_300x75.jpg
Publicidade
300x250 ad onconews200519