18042024Qui
AtualizadoQua, 17 Abr 2024 9pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

 

VENICE-1: venetoclax em pacientes com LLC recidivante ou refratária

alan skarbnik bxVenetoclax em monoterapia demonstrou respostas profundas e duradouras em pacientes com leucemia linfocítica crônica recidivante ou refratária, incluindo pacientes pré-tratados com com inibidor de quinase associado ao receptor de células B (BCRi). Os resultados são do estudo de Fase 3b VENICE-1, publicado no Lancet Oncology. O hematologista brasileiro Alan Skarbnik (foto), diretor do Programa de Doenças Linfoproliferativas do Novant Health Cancer Institute, em Charlotte, Estados Unidos, é coautor do trabalho.

“A maioria dos pacientes com leucemia linfocítica crônica (LLC) progride após o tratamento ou retratamento com terapia-alvo ou quimioimunoterapia, e as opções de tratamento subsequentes são limitadas. Os níveis de resposta a venetoclax como agente único no cenário de recidiva são desconhecidos. Nesse estudo, buscamos avaliar a atividade de venetoclax em pacientes com ou sem tratamento prévio com inibidor de quinase associado ao receptor de células B (BCRi)”, esclarecem os autores.

Este estudo multicêntrico, aberto, de braço único, de Fase 3b (VENICE-1) avaliou a atividade e a segurança da monoterapia com venetoclax em adultos com leucemia linfocítica crônica recidivante ou refratária, estratificada pela exposição prévia a um BCRi. Os participantes elegíveis tinham 18 anos ou mais com leucemia linfocítica crônica recidivante ou refratária previamente tratada. Foram permitidas presença de aberrações del (17p) ou TP53 e tratamento prévio com BCRi.

Os pacientes receberam aumento de 5 semanas para 400 mg de venetoclax oral uma vez ao dia e foram tratados por até 108 semanas, com follow-up de 2 anos após a descontinuação ou acesso estendido opcional.

O endpoint primário foi a taxa de remissão completa (remissão completa ou remissão completa com recuperação incompleta da medula) em pacientes sem tratamento prévio com BCRi. As análises utilizaram a intenção de tratar (ou seja, todos os pacientes inscritos, que coincidiram com aqueles que receberam pelo menos uma dose de venetoclax).

Resultados

Entre 22 de junho de 2016 e 11 de março de 2022, foram incluídos 258 pacientes com leucemia linfocítica crônica recidivante ou refratária (180 [70%] eram do sexo masculino; 252 [98%] eram brancos; 191 eram virgens de BCRi e 67 eram tratados previamente com BCRi). O acompanhamento médio na coorte geral foi de 49,5 meses (IQR 47,2–54,1), 49,2 meses (47,2–53,2) no grupo BCRi-naive e 49,7 meses (47,4–54,3) no grupo pré-tratado com BCRi.

Entre os 191 pacientes sem tratamento prévio com BCRi, 66 (35%; IC 95% 27,8-41,8) tiveram remissão completa ou remissão completa com recuperação incompleta da medula. 18 (27%; IC 95% 16,8–39,1) dos 67 pacientes no grupo pré-tratado com BCRi tiveram remissão completa ou remissão completa com recuperação incompleta da medula.

Eventos adversos relacionados ao tratamento de grau 3 ou superior foram relatados em 203 (79%) e eventos adversos graves foram relatados em 136 (53%) de 258 pacientes na coorte geral. O evento adverso relacionado ao tratamento mais comum foi neutropenia (96 [37%]) e o evento adverso mais comum e grave foi pneumonia (21 [8%]).

Houve 13 (5%) mortes relatadas devido a eventos adversos; uma destas mortes (anemia hemolítica autoimune) esteve possivelmente relacionada com venetoclax. Não foi identificado nenhum novo sinal de segurança.

“Até onde sabemos, este ensaio de fase 3b de venetoclax em monoterapia é o maior e tem o acompanhamento mais longo de qualquer ensaio que avalie a monoterapia com venetoclax e demonstrou respostas profundas e duráveis e sobrevida global prolongada, independentemente do tratamento anterior com BCRi. Com modificações de dose, o perfil de segurança de venetoclax foi manejável mesmo após esse longo período de acompanhamento, e muitos pacientes fizeram a transição para um estudo de extensão para continuar recebendo a terapia com venetoclax”, destacaram os autores.

“Estes dados sugerem que os doentes com leucemia linfocítica crónica recidivante ou refratária, incluindo aqueles com exposição prévia ao BCRi, podem obter benefícios clínicos da monoterapia com venetoclax, mesmo durante longos períodos de tempo”, concluíram.

O estudo foi financiado pela AbbVie e está registrado em ClinicalTrials.gov, NCT02756611.

Referência: Activity of venetoclax in patients with relapsed or refractory chronic lymphocytic leukaemia: analysis of the VENICE-1 multicentre, open-label, single-arm, phase 3b trial. Published: March 08, 2024. DOI: https://doi.org/10.1016/S1470-2045(24)00070-6

 


Publicidade
ABBVIE
Publicidade
ASTRAZENECA
Publicidade
SANOFI
Publicidade
ASTELLAS
Publicidade
NOVARTIS
banner_assine_300x75.jpg
Publicidade
300x250 ad onconews200519