13042024Sáb
AtualizadoSex, 12 Abr 2024 4pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

 

Parar de fumar melhora a sobrevida em dois anos após o diagnóstico de câncer de pulmão

tabagismoFumar no momento do diagnóstico está associado a pior sobrevida no câncer de pulmão, mas parar de fumar está associado de forma independente e significativa à melhoria da sobrevida, independentemente do estágio da doença. Os resultados são de estudo multicêntrico que acompanhou 2.751 pacientes com câncer de pulmão recém-diagnosticados e reforçam a importância de programas de apoio à cessação do tabagismo como parte dos cuidados em câncer.

Neste estudo multicêntrico realizado no Reino Unido (NCT01192256), os pesquisadores acompanharam por até 2 anos 2.751 pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas (CPCNP) recém-diagnosticados. Os pacientes receberam conselhos e tratamentos para parar de fumar, de acordo com as diretrizes nacionais e os serviços locais. O tabagismo foi verificado pelos níveis de monóxido de carbono exalado. A análise de sobrevida de Kaplan-Meier e a Modelagem de Riscos Proporcionais de Cox examinaram os efeitos de parar de fumar na sobrevida aos 2 anos.

Gemine et al. descrevem que 646 pacientes com CPCNP eram fumantes atuais no momento do diagnóstico. Em 2 anos, as curvas de sobrevida de Kaplan-Meier não ajustadas foram significativamente diferentes (teste log-rank p<0,01) entre aqueles que pararam de fumar (0,45, IC 95% 0,37 a 0,53) e os que continuaram fumando (0,32, 0,28 a 0,36). O tempo médio de sobrevida foi de 659 dias para os que abandonaram o tabagismo e de 348 dias para os que continuaram a fumar.

Os autores descrevem que após ajuste para idade, sexo, estágio, status de desempenho, cirurgia com intenção curativa, radioterapia radical e comorbidade, a razão de risco para parar de fumar no momento do diagnóstico (0,75, IC 95% 0,58 a 0,98) indicou redução estatisticamente significativa no risco de morte em todo o período de estudo de dois anos.

“Acompanhamos prospectivamente e validamos repetidamente o status de tabagismo em 93% dos pacientes recrutados, recentemente diagnosticados com CPCNP em todo o Reino Unido. Encontramos maior sobrevida naqueles que pararam de fumar no momento do diagnóstico ou nos três meses seguintes ao diagnóstico, em comparação com aqueles que continuaram fumando. O benefício de parar de fumar foi estatisticamente significativo e com uma diferença de 10,4 meses, clinicamente importante”, explicam.

Em conclusão, parar de fumar está associado de forma independente e significativa à melhoria da sobrevida, independentemente do estágio do CPNPC. “Recomendamos que aconselhamento e tratamentos para parar de fumar sejam oferecidos aos fumantes com câncer de pulmão”, destacam os autores.

Referência: Published: September 30, 2023. DOI:https://doi.org/10.1016/j.lungcan.2023.107388

Publicidade
ABBVIE
Publicidade
ASTRAZENECA
Publicidade
SANOFI
Publicidade
ASTELLAS
Publicidade
NOVARTIS
banner_assine_300x75.jpg
Publicidade
300x250 ad onconews200519