28022024Qua
AtualizadoTer, 27 Fev 2024 9pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

 

Cemiplimabe neoadjuvante e sobrevida no câncer de cabeça e pescoço

renata ferrarotto.jpg.resizeEstudo piloto de fase 2, de braço único, reuniu pacientes com carcinoma escamoso cutâneo ressecável de cabeça e pescoço (CSCC-HN) estágio III/IV recém diagnosticado ou recorrente tratados com cemiplimabe neoadjuvante. Em artigo de Renata Ferrarotto (foto) e colegas publicado em agosto no JAMA Otolaryngology – Head and Neck Surgery, os pesquisadores relatam os dados de sobrevida a longo prazo, de acordo com a resposta patológica.

“Conduzimos um estudo piloto de fase II, iniciado pelo investigador, avaliando 2 ciclos de cemiplimabe neoadjuvante em 20 pacientes com CSCC loco-regionalmente avançado, ressecável, recém-diagnosticado ou recorrente de cabeça e pescoço (Estágio III-IV, M0). Anteriormente, havíamos relatado os dados de eficácia e segurança. Vimos uma resposta patológica notável em 15 pacientes (75%), com 55% sendo pCR e 20% MPR, sem preocupações de segurança”, descreve a primeira autora Renata Ferrarotto, diretora de Pesquisa Clínica de Cabeça e Pescoço e do programa de Oncologia Médica Torácica e de Cabeça e Pescoço do M.D. Anderson Cancer Center. Esses resultados foram recentemente validados em estudo confirmatório multicêntrico publicado no New England Journal of Medicine (NEJM).

Entre os 15 pacientes com resposta patológica (pCR + MPR), os pesquisadores relatam que 12 (80%) não receberam radioterapia (RT) adjuvante pré-planejada, o que tem implicações funcionais e estéticas. “No artigo do JAMA-OTO, relatamos a sobrevida a longo prazo de acordo com a resposta patológica. Em um seguimento mediano de 42,3 meses (intervalo de 2,2-50,6), 17 pacientes (85%) permaneceram livres de doença e 3 (35%) tiveram recorrência. Nenhum dos 15 pacientes que alcançou resposta patológica apresentou recorrência; todas as 3 recorrências ocorreram entre os 5 pacientes que não atingiram resposta patológica”, diz Ferrarotto. “Dois pacientes (10%) faleceram, um por progressão e 1 por outras causas. Para toda a coorte, a sobrevida livre de doença (SLD) de 3 anos e a sobrevida livre de eventos foi de 83,9% (95% CI, 68,7%-100,0%), a sobrevida específica de doença de 3 anos (DSS) foi de 95% (95% IC, 85,9%-100,0%) e a sobrevida global em 3 anos foi de 90% (95% CI, 77,8%-100,0%)”, completa.

Os resultados de sobrevida relatados nesta análise secundária comparam-se favoravelmente com estudos anteriores publicados para CSCC avançado. “Isso é particularmente digno de nota, visto que 12 (80%) desses pacientes não receberam RT adjuvante. Em contraste, 3 dos 5 pacientes que não responderam desenvolveram recorrência apesar de receberem terapia adjuvante. Está planejado um estudo randomizado de fase III investigando  cemiplimabe neoadjuvante com cirurgia e radioterapia adaptadas à resposta versus cirurgia e radioterapia iniciais”, conclui a pesquisadora.

Referência: Ferrarotto R, Nagarajan P, Maronge JM, et al. Outcomes of Treatment With Neoadjuvant Cemiplimab for Patients With Advanced, Resectable Cutaneous Squamous Cell Carcinoma of the Head and Neck: Secondary Analysis of a Phase 2 Clinical Trial. JAMA Otolaryngol Head Neck Surg. Published online August 03, 2023. doi:10.1001/jamaoto.2023.1729

 

 

Publicidade
ASTRAZENECA
Publicidade
ABBVIE
Publicidade
LIBBS
Publicidade
SANOFI
Publicidade
ASTRAZENECA
Publicidade
ASTELLAS
Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
SANOFI
Publicidade
INTEGRAL HOME CARE
Publicidade
300x250 ad onconews200519