14042024Dom
AtualizadoSex, 12 Abr 2024 4pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

 

Síndrome hereditária do câncer de mama e ovário: guideline traz recomendações para rastreamento e aconselhamento genético

GuidelinesA Sociedade Europeia de Oncologia Médica (ESMO) publicou recomendações para o rastreamento da síndrome hereditária de câncer de mama e ovário, assim como diretrizes para a redução de risco em indivíduos afetados. As recomendações são baseadas em dados científicos disponíveis e na opinião de especialistas, destinadas principalmente a ambientes com muitos recursos.

A síndrome hereditária de câncer de mama e ovário (HBOC, da sigla em inglês) é definida clinicamente por critérios de história familiar e molecularmente definida pela identificação de variantes patogênicas de linhagem germinativa em genes clinicamente validados (VEJA QUADRO). Nesta diretriz, os autores lembram que esses genes podem ser classificados como genes de alto risco, aumentando o risco de câncer de mama e /ou ovário em pelo menos quatro vezes, e genes de risco moderado, que aumentam o risco em duas a quatro vezes.

Apesar de evidências robustas da grande sobreposição entre o HBOC clínico e molecular, a base genética de aproximadamente metade dos HBOC clínicos é atualmente desconhecida ou não pode ser explicada por variantes de um único gene, assim como cerca de metade dos indivíduos que abrigam variantes patogênicas em genes HBOC não têm história familiar sugestiva.

Diante do panorama atual, o painel de especialistas recomenda que indivíduos com histórico familiar significativo devem receber testes genéticos usando painéis multigênicos de genes HBOC clinicamente validados. No entanto, o guideline reforça que os testes baseados na história familiar perdem cerca de metade dos portadores do gene da síndrome HBOC, lembrando que estratégias para identificar esses indivíduos de alto risco estão sendo desenvolvidas.

Em relação ao aconselhamento genético, uma vez identificada a síndrome HBOC, os especialistas recomendam abordar potenciais implicações médicas e psicológicas para os indivíduos e suas famílias. A gestão de risco deve ser individualizada e, quando disponível, ferramentas validadas devem ser utilizadas para auxiliar a tomada de decisão. Outra recomendação valoriza os centros de atenção. "O gerenciamento de risco deve ser realizado em clínicas especializadas, que sejam multidisciplinares e incluam psicólogos sempre que possível", preconiza a diretriz da ESMO, que também reforça a importância de aumentar a conscientização e a disponibilidade de testes em familiares em risco.

Screening

Mulheres com HBOC devem receber triagem intensificada se não optarem pela mastectomia redutora de risco (RRM, da sigla em inglês). A ressonância magnética da mama deve ser considerada componente essencial dos programas de rastreamento intensificado, descreve a recomendação. De acordo com a disponibilidade de recursos, o guideline ainda considera a realização de ultrassonografia com ou sem mamografia (em portadores de 30 a 39 anos), assim como preconiza mamografia com ou sem ultrassonografia em portadoras ≥40 anos.

A diretriz também preconiza que na presença de variantes patogênicas em BRCA1, BRCA2 ou PALB2, a triagem intensificada deve começar aos 30 anos, ou 5 anos antes do que o membro mais jovem da família afetado pelo câncer de mama. A recomendação prevê intervalos de triagem anuais, exceto para BRCA1, onde a triagem semestral deve ser considerada.

A diretriz reforça que não há evidências sobre a data ideal para encerrar a triagem mamária, lembrando que a decisão deve ser baseada em fatores individuais, como densidade da mama, comorbidades e prioridades do paciente.

Em relação ao câncer de ovário, os autores lembram que todos os estudos de rastreamento em portadores de HBOC são observacionais. A triagem com base na ultrassonografia transvaginal e no teste de antígeno de câncer 125 (CA-125) pode reduzir o estadiamento da doença ao diagnóstico e favorecer taxas mais altas de ressecção completa, mas faltam evidências sobre o benefício de sobrevida em mulheres de alto risco.

A diretriz sustenta que, embora de benefício incerto, a triagem ovariana com ultrassonografia transvaginal a cada 6 meses e a determinação sérica de CA-125 podem ser consideradas até a realização da salpingo-ooforectomia bilateral de redução de risco (RRBSO, da sigla em inglês).

Assim, a diretriz da ESMO destaca a RRBSO como a estratégia mais eficaz para a redução do risco de câncer de ovário em portadores de variantes patogênicas BRCA1/2 e observa que não há evidências para apoiar a triagem de rotina após RRBSO.

A íntegra das recomendações está disponível em acesso aberto.

Table 1- Lifetime cancer risks in HBOC-associated PVs

 

 

Breast Cancer*

Tubo-ovarian Cancers

Pancreatic Cancer

Colon Cancer§

Other Cancers

ATM

Yes
25%-30%

Yes
<5%

Yes
<5%

No

Prostate 30%

BARD1

Yes
∼20%

No

No

No

No

BRCA1

Yes
>60%

Yes
40%-60%

Yes
<5%

No

 

BRCA2

Yes
>60%

Yes
15%-30%

Yes
<5%

No

Prostate 33%

BRIP1

No

Yes
5%-10%

No

No

No

CDH1

Yes (LBC)
40%

No

No

No

Diffuse gastric cancer 35%-45%

CHEK2

Yes
25%-30%

No

No

Yes
15%

 

PALB2

Yes
40%-60%

Yes
3%-5%

Yes
2%-3%

No

No

PTEN

Yes
40%

No

No

yes
10%

Thyroid cancer 20%; endometrial 20%

RAD51C

Yes
20%

Yes
10%

No

No

No

RAD51D

Yes
10%

Yes
10%

No

No

No

STK11

Yes
40%

No

Yes
10%-30%

Yes
30%

Gastric 30%; Sertoli-Leydig 10%-20%

TP53

Yes
40%

No

Possibly

Possibly

Sarcoma, brain, leukaemia, adrenocortical carcinoma

HBOC, hereditary breast and ovarian cancer syndrome; LBC, lobular breast cancer; PV, pathogenic variant.
Lifetime risk in general ‘average risk’ population: *breast cancer 11%, ovarian cancer 1.3%, pancreatic cancer 1.6%, §colon cancer 4%.

Referência: Sessa C, Balmaña J, Bober SL, Cardoso MJ, Colombo N, Curigliano G, Domchek SM, Evans DG, Fischerova D, Harbeck N, Kuhl C, Lemley B, Levy-Lahad E, Lambertini M, Ledermann JA, Loibl S, Phillips KA, Shimon P; ESMO Guidelines Committee. Risk reduction and screening of cancer in hereditary breast-ovarian cancer syndromes: ESMO Clinical Practice Guideline. Ann Oncol. 2022 Oct 19:S0923-7534(22)04193-X. doi: 10.1016/j.annonc.2022.10.004. Epub ahead of print.


Publicidade
ABBVIE
Publicidade
ASTRAZENECA
Publicidade
SANOFI
Publicidade
ASTELLAS
Publicidade
NOVARTIS
banner_assine_300x75.jpg
Publicidade
300x250 ad onconews200519