23062021Qua
AtualizadoTer, 22 Jun 2021 4pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Proteína pode estar ligada ao mecanismo de metástase

DNA_ASCO_2_OK.jpgPesquisa realizada no Instituto de Oncologia Molecular da Universidade de Milão identificou uma proteína que dá às células cancerosas o dom da plasticidade, definida como a capacidade celular de assumir novos papeis, como por exemplo as metástases.


Ainvestigação sugere que uma proteína-chave relacionada com a supressão do tumor está, paradoxalmente, envolvida também no processo de metástase.

A investigação se concentrou na proteína ATR, conhecida por atuar como um sensor de danos em processos de reparação do DNA. Depois de detectar danos no DNA, a ATR ativa a p53, proteína conhecida como "o guardião do genoma", com papel fundamental na prevenção das mutações do DNA que levam ao câncer. Agora, a equipe de Milão descobriu que a ATR tem funções na célula mesmo na ausência de danos no DNA. "Observamos a atividade molecular de ATR e seu papel crucial na plasticidade celular", diz o coordenador da pesquisa, Marco Foiani.

O novo papel da ATR pode lançar pistas sobre os mecanismos da plasticidade das células-tronco. Alguns cientistas suspeitam que as células-tronco podem desencadear recaídas após o tratamento de câncer, atuando como reservatórios. "A relação de causa e efeito entre a ATR e a plasticidade das células-tronco é altamente provável", diz Foiani. "Agora, estamos estudando o papel da ATR no contexto de diferenciação celular."

O estudo tem a colaboração da Universidade Nacional de Cingapura e do Centro de Pesquisa em Câncer de Copenhague, na Dinamarca.
 


Publicidade
NEXT FRONTIERS 2021
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519