25052022Qua
AtualizadoTer, 24 Maio 2022 1pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Radiogenômica: locus de suscetibilidade associado à mucosite induzida por radioterapia

Hanriot Net OKEstudo de associação genômica de toxicidade induzida por radioterapia em pacientes com câncer de cabeça e pescoço (CCP) identificou um locus de suscetibilidade associado à mucosite. Os resultados estão em artigo de Schack et al., no British Journal of Cancer. “O crescente acesso ao perfil genômico e a redução progressiva do seu custo ao longo dos anos vem permitindo cada vez mais estudos neste sentido, avalia Rodrigo Hanriot (foto), coordenador do Serviço de Radioterapia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

A análise incluiu 1.780 pacientes com CCP tratados com RT primária para câncer de laringe ou oro/hipofaringe. Em um estudo exploratório, as associações foram testadas em 1.183 pacientes tratados no Grupo Dinamarquês de Câncer de Cabeça e Pescoço (DAHANCA). Associações significativas foram posteriormente testadas em uma coorte holandesa independente de 597 pacientes com CCP e os dados resumidos obtidos de investigação e replicação foram avaliados em meta-análise. A validação adicional de achados significativamente replicados foi em uma coorte asiática de 235 pacientes com CCP com nasofaringe como local do tumor primário.

Os autores descrevem que foi identificada e replicada associação significativa entre um locus no cromossomo 5 no gene STING1 como significativamente associado à mucosite induzida por RT e a metanálise confirmou essa associação (OR agrupado para rs1131769*C em meta-análise = 1,95 (IC 95% 1,48–2,41; Ppooled = 4,34 × 10−16).

Este primeiro estudo exploratório de associação genômica em coortes européias de pacientes com CCP identificou e replicou um locus de risco para mucosite. Agora, a expectativa é realizar estudos maiores para identificar outras variantes de risco para toxicidade induzida por RT em pacientes com CCP.

“Até recentemente a principal mutação conhecida que aumentava risco de toxicidade radio-induzida era a do ATM. O presente estudo é aparentemente o primeiro a associar toxicidade específica de mucosas (a mucosite) associada a um gene especifico. Apesar de ainda muito inicial e com aplicabilidade muito restrita, a expectativa é de que mais genes possam ser identificados e que possamos aprender a lidar com estas mutações, tornando os tratamentos mais eficientes e menos tóxicos”, conclui Hanriot.

A íntegra do artigo está disponível, em acesso aberto.

Referências: Schack, L.M.H., Naderi, E., Fachal, L. et al. A genome-wide association study of radiotherapy induced toxicity in head and neck cancer patients identifies a susceptibility locus associated with mucositis. Br J Cancer 126, 1082–1090 (2022). https://doi.org/10.1038/s41416-021-01670-w

 


Publicidade
KITE PHARMA
Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
300x250 ad onconews200519