21052022Sáb
AtualizadoSex, 20 Maio 2022 7pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Tendências na incidência do câncer de próstata metastático

Prostata 2018 NET OKEstudo que explorou a incidência de câncer de próstata metastático (mPCa) nos Estados Unidos antes e depois das recomendações contra a triagem de rotina baseada no antígeno prostático específico (PSA) sugere que as taxas de incidência de mPCa aumentaram significativamente e coincidiram temporalmente com as recomendações contra o rastreamento. Os resultados estão em artigo de Desai et al, no Jama Network Open.

A Força-Tarefa de Serviços Preventivos dos EUA (USPSTF) não recomendou a triagem de rotina do câncer de próstata com base no antígeno prostático específico (PSA), inicialmente para homens com mais de 75 anos, em 2008, e depois para todos os homens, em 2012.

Para avaliar se essas recomendações afetaram as taxas de incidência de mPCa na população masculina nos EUA, este estudo de coorte de base populacional usou os dados de incidência de 18 registros de Vigilância e Epidemiologia (SEER) recentemente divulgados para identificar homens com 45 anos ou mais com diagnóstico de CaP invasivo de 2004 a 2018. Os dados foram analisados ​​de 1º de janeiro de 2004 a 31 de dezembro de 2018 e mudanças no percentual anual (Annual Percentage Changes - APCs) foram calculadas para quantificar as variações na incidência.

Os resultados mostram que de 2004 a 2018, um total de 836.282 pacientes com CaP foram registrados no banco de dados SEER; 26.642 (56,5%) casos de mPCa foram relatados em homens com idade entre 45 e 74 anos, enquanto 20.507 (43,5%) casos ocorreram em homens com 75 anos ou mais. Quando considerado o corte etário de 45 a 74 anos, a taxa de incidência de mPCa (estadiamento SEER Summary) permaneceu estável de 2004 a 2010 (APC, -0,4%; IC 95%, -1,7% a 1,1%; P = ,60) e aumentou significativamente de 2010 a 2018 (APC, 5,3%; IC 95%, 4,5% a 6,0%; P < ,001).

Em homens com 75 anos ou mais, a taxa de incidência de mPCa diminuiu de 2004 a 2011 (APC, -1,5%; IC 95%, -3,0% a 0%; P = .046), e depois aumentou de 2011 a 2018 (APC, 6,5%; IC 95%, 5,1% a 7,8%; P < .001). Tendências semelhantes também foram observadas para M1 mPCa definido pelo sistema de estadiamento AJCC. Aumentos na incidência de mPCa foram particularmente significativos em homens brancos não hispânicos (APC 2010-2018, 6,9%; IC 95%, 5,4% a 8,4%; P < .001).

Em conclusão, as tendências do mais recente conjunto de dados SEER (2004-2018) sugere que as taxas de incidência de mPCa aumentaram significativamente e coincidiram temporalmente com as recomendações da USPSTF contra o rastreamento de câncer de próstata entre raças e faixas etárias. Essas tendências de mPCa estão associadas a mudanças relatadas nas práticas de triagem seguindo as recomendações da USPSTF.

“Neste estudo de coorte baseado no registro SEER de 2004 a 2018, encontramos um aumento geral nas taxas de incidência de mPCa desde as recomendações da USPSTF de 2008 e 2012, apesar de uma redução significativa na incidência geral de diagnóstico de CaP durante este mesmo período. Isso contrasta com as tendências decrescentes na incidência de mPCa entre 2004 e 2009, precedendo as recomendações da USPSTF”, analisam os autores.

Referências: Desai MM, Cacciamani GE, Gill K, et al. Trends in Incidence of Metastatic Prostate Cancer in the US. JAMA Netw Open. 2022;5(3):e222246. doi:10.1001/jamanetworkopen.2022.2246


Publicidade
KITE PHARMA
Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
300x250 ad onconews200519