25052022Qua
AtualizadoTer, 24 Maio 2022 1pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Terapia sistêmica neoadjuvante afeta subtipo molecular no TNBC

gustavo werutsky 21 bxA quimioterapia sistêmica neoadjuvante no câncer de mama triplo negativo (TNBC, da sigla em inglês) pode afetar o subtipo molecular? Estudo de Masuda et al. reportado online no JCO Precision Oncology mostra que tanto o subtipo molecular do TNBC quanto as assinaturas imunomoduladoras mudam frequentemente após a quimioterapia neoadjuvante. “Este estudo corrobora com os dados de mudança do perfil molecular do câncer de mama entre tumor primário e a metástase", avalia Gustavo Werutsky (foto), chair do Latin American Cooperative Oncology Group (LACOG) e médico oncologista do Hospital São Lucas PUCRS.

Lehmann et al. identificaram quatro subtipos moleculares de câncer de mama triplo-negativo –o tipo basal 1 (BL1), BL2, mesenquimal (M) e receptor de andrógeno luminal – além de um modificador de assinatura de expressão gênica imunomoduladora (IM). “Nosso grupo mostrou anteriormente que a resposta do TNBC à quimioterapia sistêmica neoadjuvante (NST) difere por subtipo molecular, mas se o NST afeta o subtipo era desconhecido”, descrevem os autores.

Neste estudo multicêntrico com participação do MD Anderson Cancer Center, os pesquisadores utilizaram dados do Pan-Pacific TNBC Consortium contendo amostras de pacientes com TNBC de quatro países. Foram consideradas 64 amostras pareadas fixadas em formalina e parafina, pré e pós NST. O subtipo molecular foi determinado usando o ensaio TNBCtype-IM, em análise que também considerou uma métrica de pontuação de expressão gênica a partir de mRNA para avaliar a ocorrência da transição epitelial-mesenquimal nas amostras residuais pós-NST.

Das 64 amostras pareadas, 36 (56%) mostraram mudança no subtipo de TNBC após a quimioterapia sistêmica neoadjuvante. A alteração mais frequente foi dos subtipos BL1 para M (38%). Nenhum tumor mudou de M para BL1. A assinatura IM foi positiva em 14 (22%) pacientes antes da NST e em oito (12,5%) pacientes após tratamento neoadjuvante. A pontuação EMT aumentou após NST em 28 (78%) dos 36 pacientes com o subtipo alterado (versus 39% dos 28 pacientes sem alteração; P = 0,002254).

“Relatamos pela primeira vez que o subtipo molecular de TNBC e a assinatura IM mudam frequentemente após a NST. Nossos resultados também sugerem que a transição epitelial-mesenquimal é promovida pela quimioterapia sistêmica neoadjuvante. Esses achados podem levar a estratégias inovadoras de terapia adjuvante em casos de TNBC com tumor residual após tratamento sistêmico”, destacam os autores.

"É interessante que mais da metade dos pacientes com cancer de mama triplo negativo submetidos a quimioterapia neoadjuvante e apresentando doença residual tendem a mudar o perfil molecular intrínseco, neste caso o mais frequente (38%) foi de basal-like (BL1) para mesenquimal (M). Apesar de nao termos um agente alvo especifico para cada subtipo molecular de câncer de mama triplo negativo, este estudo abre oportunidades de desenvolvimento de novas drogas relacionadas ao perfil molecular e suas alterações gênicas”, conclui Werutsky. 

Referência: Masuda H, Harano K, Miura S, Wang Y, Hirota Y, Harada O, Jolly MK, Matsunaga Y, Lim B, Wood AL, Parinyanitikul N, Jin Lee H, Gong G, George JT, Levine H, Lee J, Wang X, Lucci A, Rao A, Schweitzer BL, Lawrence OR, Seitz RS, Morris SW, Hout DR, Nakamura S, Krishnamurthy S, Ueno NT. Changes in Triple-Negative Breast Cancer Molecular Subtypes in Patients Without Pathologic Complete Response After Neoadjuvant Systemic Chemotherapy. JCO Precis Oncol. 2022 Mar;6:e2000368. doi: 10.1200/PO.20.00368. PMID: 35294223.

 


Publicidade
KITE PHARMA
Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
300x250 ad onconews200519