25052022Qua
AtualizadoTer, 24 Maio 2022 1pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Sedentarismo piora resultados em sobreviventes de câncer

sedentario bxEstudo de coorte prospectivo demonstrou que o comportamento sedentário aumenta o risco de mortalidade por todas as causas e mortalidade câncer-específica em sobreviventes da doença. O maior risco foi entre os inativos ou insuficientemente ativos, com tempo sentado superior a 8 horas por dia. Os resultados foram publicados no JAMA Oncology.

Os pesquisadores analisaram uma coorte prospectiva de uma amostra nacionalmente representativa de sobreviventes de câncer, com idade igual ou superior a 40 anos (n = 1535; população ponderada, 14002666), do US National Health and Nutrition Examination Survey entre 2007 e 2014.

Os participantes foram vinculados aos dados de mortalidade de sua entrevista e data do exame físico até 31 de dezembro de 2015. O tempo diário sentado e os níveis de atividade física de lazer (do inglês, LTPA - Leisure-Time Physical Activity) foram autorrelatados utilizando o Questionário de Atividade Física Global. As análises de dados foram realizadas entre 1 ° de janeiro e 1 ° de maio de 2021.

Resultados

Entre 1.535 sobreviventes de câncer (idade média [SE], 65,1 [0,4] anos; 828 [60,1%] mulheres; 945 [83,1%] indivíduos brancos não hispânicos), 950 (56,8%) relataram LTPA de 0 minutos por semana ( min/sem) na semana anterior (inativo); 226 (15,6%) relataram LTPA inferior a 150 min/semana (insuficientemente ativo); 359 (27,6%) relataram LTPA de 150 min/semana ou mais (ativo); 553 (35,4%) relataram aproximadamente 6 a 8 horas diárias sentado (h/d); e 328 (24,9%) relataram mais de 8 h/d sentado. “É importante notar que 574 (35,8%) dos sobreviventes de câncer não relataram LTPA de mais de 6 horas por dia”, ressaltam os autores.

Durante o período de acompanhamento de até 9 anos (mediana, 4,5 anos; 6.980 pessoas-ano), houve 293 óbitos (câncer, 114; doenças cardíacas, 41; outras causas, 138). Modelos multivariáveis ​​mostraram que ser fisicamente ativo foi associado a menores riscos de mortalidade por todas as causas (hazard ratio [HR], 0,34; 95% CI, 0,20-0,60) e mortalidade câncer-específica (HR, 0,32; 95% CI, 0,15-0,70) em comparação com a inatividade.

Permanecer sentado por mais de 8 horas diárias foi associado a maiores riscos de mortalidade por todas as causas (HR, 1,81; 95% CI, 1,05-3,14) e mortalidade câncer-específica (HR, 2,27; 95% CI, 1,08-4,79) em comparação com aqueles que relataram ficar sentando por um período menor que 4 horas por dia. Nas análises conjuntas, ficar sentado por longos períodos foi associado a um risco aumentado de morte entre os sobreviventes de câncer que não eram suficientemente ativos. Especificamente, os sobreviventes inativos e insuficientemente ativos que relataram ficar sentados mais de 8 h/d apresentaram maior risco de mortalidade geral (HR, 5,38; IC 95%, 2,99-9,67) e mortalidade câncer-específica (HR, 4,71; 95% CI, 1,60-13,9).

“Os resultados sugerem que a combinação de permanecer sentado por longos períodos e falta de atividade física, altamente prevalente entre os sobreviventes de câncer nos EUA, está associada a piores desfechos de mortalidade em sobreviventes de câncer”, concluíram os autores.

Referência: Cao C, Friedenreich CM, Yang L. Association of Daily Sitting Time and Leisure-Time Physical Activity With Survival Among US Cancer Survivors. JAMA Oncol. Published online January 06, 2022. doi:10.1001/jamaoncol.2021.6590

 

Publicidade
KITE PHARMA
Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
300x250 ad onconews200519