25052022Qua
AtualizadoTer, 24 Maio 2022 1pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Telessaúde e aconselhamento genético de câncer durante a pandemia

telemedicina 2020 bxCom o início da pandemia de COVID-19, a telessaúde tornou-se a principal modalidade para consultas de saúde. Estudo que examinou as experiências e preferências dos pacientes em uma clínica de aconselhamento genético de câncer durante os primeiros 6 meses da pandemia (mar-ago/2020) reporta as vantagens e desvantagens da telessaúde, em artigo de Breen et al no JCO Oncology Practice.

Os pesquisadores avaliaram dados demográficos dos pacientes; uso e experiência anterior com tecnologia; respostas emocionais, experiências técnicas e satisfação com a consulta de telessaúde, através da Escala de Satisfação em Aconselhamento Genético e do Questionário de Satisfação Específico da Visita. A análise também considerou a intenção de futuro atendimento por telessaúde e a disposição de recomendar a terceiros.

Os resultados mostram que entre 380 entrevistados, a maioria estava muito satisfeita com a consulta de telessaúde (com 65,6% e 66,4% dos participantes preenchendo a Escala de Satisfação com Aconselhamento Genético e o Questionário de Satisfação Específico da Visita, respectivamente).

As análises multivariadas indicaram que participantes com menor nível de escolaridade sentiram-se significativamente mais preocupados com a abordagem por telessaúde do que aqueles com maior nível de escolaridade. Quando considerado o corte etário, os participantes com idades entre 40-69 anos foram os que se sentiram mais confortáveis, aliviados e gratos por sua consulta ter sido agendada por telessaúde do que aqueles com mais de 70 anos. Na análise por gênero, apesar da diferença discreta, as mulheres foram mais propensas a externar alívio e gratidão pelo atendimento por telessaúde do que os homens. À medida que a pandemia progredia, um número significativamente maior de participantes se mostrou muito satisfeito com sua consulta de telessaúde e com maior disposição para o uso futuro dessa modalidade. A maioria dos participantes (78,6%) recomendaria telessaúde para outras pessoas, embora 50,8% tenham externado preferência por consultas pessoais futuras.

“À medida que a pandemia progredia, os pacientes expressaram preferências e satisfação crescentes com a telessaúde. Modelos de prestação de serviços que incorporam as preferências individuais do paciente devem ser desenvolvidos, com atenção especial a fatores como idade, sexo e nível de educação”, concluem os autores.

Referência: Factors Influencing Patient Preferences for Telehealth Cancer Genetic Counseling During the COVID-19 Pandemic - DOI: 10.1200/OP.21.00301 JCO Oncology Practice Published online October 15, 2021.


Publicidade
KITE PHARMA
Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
300x250 ad onconews200519