26102021Ter
AtualizadoSeg, 25 Out 2021 12am

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Atividade física e vigilância ativa no câncer de próstata

EDUARDO ZUCCA BXUm programa de atividade física de alta intensidade melhora a aptidão cardiorrespiratória e retarda a progressão bioquímica do câncer de próstata em pacientes submetidos à vigilância ativa? Resultados de estudo de Kang et al. reforçam a crescente base de evidências e indicam que o exercício pode ser uma intervenção eficaz para melhorar a aptidão cardiorrespiratória e suprimir a progressão do câncer de próstata em pacientes submetidos à vigilância ativa. "Apesar de pequeno, é um estudo muito interessante sobre um tema que ainda possui uma literatura escassa. Esse trabalho ressalta a importância do exercício físico ao demonstrar que o treinamento de alta intensidade por 12 semanas conferiu uma diminuição nos níveis de antígeno específico da próstata (PSA)", observa o oncologista Eduardo Zucca (foto), Diretor de Ensino e Pesquisa do Instituto do Câncer Brasil (ICB).

Este ensaio clínico randomizado de Fase 2 (ERASE) realizado por pesquisadores canadenses envolveu 52 homens com câncer de próstata sob vigilância ativa, com mediana de idade de 63,4 anos,  e mostrou que o treinamento de alta intensidade por 12 semanas melhorou significativamente o consumo máximo de oxigênio e diminuiu os níveis de antígeno específico da próstata – PSA ( 1.1 μg/L; 95% CI, −2.1 a 0.0; P = .04), além de diminuir a cinética do PSA (−1.3 μg /L/y; 95% CI, −2.5 a −0.1; P = .04) em comparação com o tratamento usual. A intervenção também inibiu o crescimento da linha celular de câncer de próstata nesta população de pacientes (−0.13 optical density unit; 95% CI, −0.25 a −0.02; P = .02).

Os pacientes foram recrutados na Universidade de Alberta, de 24 de julho de 2018 a 5 de fevereiro de 2020. Foram elegíveis homens adultos diagnosticados com risco muito baixo para câncer de próstata e submetidos à vigilância ativa, randomizados para o grupo de intervenção com atividade física de alta intensidade ou o grupo de cuidados habituais. Todas as análises estatísticas foram baseadas no princípio de intenção de tratar.

“Os resultados deste estudo indicam que o exercício pode ser uma intervenção eficaz para melhorar a aptidão cardiorrespiratória e suprimir a progressão do câncer de próstata em pacientes submetidos à vigilância ativa”, concluem os autores.

Homens com câncer de próstata que estão sob vigilância ativa têm um risco aumentado de morte cardiovascular e progressão da doença. O exercício demonstrou melhorar a aptidão cardiorrespiratória, funcionamento físico, composição corporal, fadiga e qualidade de vida, durante e após o tratamento. Para os autores, estudos maiores são necessários para determinar se essa melhora se traduz em resultados clínicos de longo prazo neste cenário.

O ensaio ERASE está registrado na plataforma ClinicalTrials.gov: NCT03203460. 

Referência: Kang D, Fairey AS, Boulé NG, Field CJ, Wharton SA, Courneya KS. Effects of Exercise on Cardiorespiratory Fitness and Biochemical Progression in Men With Localized Prostate Cancer Under Active Surveillance: The ERASE Randomized Clinical Trial. JAMA Oncol. Published online August 19, 2021. doi:10.1001/jamaoncol.2021.3067

 


Publicidade
Outubro Rosa A.C.Camargo 2021
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519